Descrição biométrica de plantas e dos atributos quanti-qualitativos de frutos de icozeiro (Capparis yco) procedentes de áreas espontâneas no semiárido paraibano

Cícero Silva Dias

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus Picuí Brasil

José Lucínio de Oliveira Freire

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus Picuí Brasil

Jandeilson Alves de Arruda

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus Picuí Brasil

Resumo

The icozeiro (Capparis yco) is an endemic plant in the northeastern Brazil, with spontaneous access occurring in micro regions of the semi-arid region of Paraíba. However, there is practically no information about the plant or the characterization of its fruits from Curimataú in Paraíba. Based on that, this research aimed to describe the biometric characteristics of plants and the physical and chemical attributes of icozeiro fruits coming from spontaneous accesses. In plants, the variables evaluated were the following: height, stem diameter, crown diameter, leaf length and width, length of floral rachis, number of flowers per panicle and number of fruits. In the fruits, the physical characters were analyzed (equatorial diameter and length, total fresh mass, peel mass, seed mass, pulp mass, number of seeds, percentage of peel, percentage of peel, peel thickness and pulp yield), and chemical attributes (contents of soluble solids and pH). The plants presented average heights of 2.7 ± 0.8 m. Average canopy diameter was 2.4 ± 1.0 m, and average floral rachis length was 10.8 ± 4.9 cm and between 3.0 and 58.0 flowers per panicle. Analysis of fruits indicated an average mass of 77.7 ± 35.7 g, 12 ± 7.2 seeds per fruit, average pulp yield of 44.1 ± 8.5%, soluble solids between 11.0 oBrix and 33.0 oBrix and pH between 3.3 and 6.4. The icozeiro has a low medium size, being characterized as a shrubby plant, resistant to the edaphoclimatic weather of the region, remaining green, producing flowers and fruits in periods of drought. With regards to fruits, they presented aspects that are compatible with the requirements for industrial processing and fresh consumption in the domestic consumer market, which does not impede studies about their processing. Considering results presented and the domestic market, fresh consumption can be advantageous.

Palavras-chave


Avaliações biométricas; Atributos qualitativos de frutos; Bioma Caatinga; Icó


Texto completo:

Referências


ALMEIDA, M. M. et al. Caracterização física e físico-química de frutos do mandacaru. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. 11, n. 1, p. 15-20, 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v11n1p15-20.

ASCENSO, J. C. et al. Seleção preliminar de mangueira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 16, n. 3, p. 417-429, 1981. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/198474/1/Selecao-preliminar-na-mangueira.pdf. Acesso em: 24 jun. 2020.

CARVALHO, J. E. U.; MÜLLER, C. H. Biometria e rendimento percentual de polpa de frutas nativas da Amazônia. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2005. 3 p. (Comunicado Técnico, 139).

CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. B. Pós-colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. Lavras: UFLA, 2005. 785 p.

CORRÊA, M. P. Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas cultivadas. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1978. v. 1.

CRONQUIST, A. The evolution and classification of flowering plants. 2. ed. Nova York: The New York Botanical Garden, 1988.

DUTRA, F. V. et al. Características físicas e químicas de umbuzeiros (Spondias tuberosa Arr. Cam). Revista de Ciências Agrárias, v. 40, n. 4, p. 814-822, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.19084/RCA17027.

FREIRE, J. L. O. et al. Atributos qualitativos do maracujá amarelo produzido com água salina, biofertilizante e cobertura morta no solo. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 5, n. 1, p. 102-110, 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.5039/agraria.v5i1a674.

FREIRE, J. L. O. et al. Atributos qualitativos físicos e químicos de frutos da sapoteira preta (Diospyros ebenaster Retz) procedentes do estado do Ceará. In: CONGRESSO TÉCNICO CIENTÍFICO DA ENGENHARIA E DA AGRONOMIA — CONTECC, 2015, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: CONFEA, 2015.

FREIRE, J. L. O. et al. Produção de mudas de icozeiro (Capparis yco) irrigadas com águas salinas e cobertura do substrato com fibra de coco. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, v. 10, n. 1, p. 11-20, 2019. DOI: https://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2019.001.0002.

GARRIDO, M. S. et al. Características física e química de frutos de quixaba (Sideroxylon obtusifolium Penn.). Caatinga, v. 20, n. 4, p. 34-37, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/caatinga/article/view/34. Acesso em: 24 jun. 2020.

GIULIETTI, A. M. et al. Diagnóstico da vegetação nativa do bioma Caatinga. 2004. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18267/1/Biodiversidade_Caatinga_parte2.pdf. Acesso em: 28 jul. 2019.

GUEDES, T. J. F. L. et al. Otimização da extração e atividade antioxidante do óleo de icó (Capparis yco Mart.). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 25., 2016, Gramado. Anais [...]. Gramado: UFRGS, 2016.

GUSMÃO, E.; VIEIRA, F. A.; FONSECA JUNIOR, E. M. Biometria de frutos e endocarpos de murici (Byrsonima verbascifolia Rich. ex A. Juss.). Cerne, v. 12, n. 1, p. 84-91, 2006. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=74412110. Acesso em: 24 jun. 2020.

KAOSS, B. Capparis yco ou icozeiro. Blogspot, 19 dez. 2014. Disponível em: https://brunokaoss.blogspot.com.br/2014/12/capparis-yco-ou-icozeiro.html. Acesso em: 3 mar. 2020.

KRAMER, A. Fruits and vegetables. In: KRAMER, A.; TWUIGG, B. A. Quality control for the food industry. Westport, Connecticut: Avi Publishing Company, 1973. v. 2, p. 157-227.

LEMOS, E. E. P.; ALVES, R. E.; MADEIRA, N. R. Espécies alimentícias nativas. In: CORADIN, L.; CAMILLO, J.; PAREYN, F. G. C. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro: região Nordeste. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2018. p. 123-128.

LIMA, C. A. et al. Características físico-químicas, polifenóis e flavonoides amarelos em frutos de espécies de pitaias comerciais e nativas do cerrado. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 35, n. 2, p. 565-570, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-29452013000200027.

MATTIETTO, R. A.; LOPES, A. S.; MENEZES, H. C. Caracterização física e físico-química dos frutos da cajazeira (Spondias mombin L.) e de suas polpas obtidas por dois tipos de extrator. Brazilian Journal of Food Technology, v. 13, n. 3, p. 156-164, 2010. Disponível em: http://bjft.ital.sp.gov.br/arquivos/artigos/v13n3418a.pdf. Acesso em: 24 jun. 2020.

MISHRA, S. N.; TOMAR, P. C.; LAKRA, N. Medicinal and food value of Capparis – a harsh terrain plant. Indian Journal of Traditional Knowledge, v. 6, n. 1, p. 230-238, 2007. Disponível em: http://nopr.niscair.res.in/handle/123456789/911. Acesso em: 24 jun. 2020.

MORAES, J. P. S. et al. Avaliação do crescimento vegetativo em plantas de maniçoba (Manihot pseudoglaziovii) encontradas no bioma Caatinga - Região do Vale do São Francisco. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, supl. 2, p. 1071-1073, 2007. Disponível em: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/860/712. Acesso em: 24 jun. 2020.

OLIVEIRA, E. J. et al. Correlações genéticas e análise de trilha para número de frutos comerciais por planta em mamoeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 45, n. 8, p. 855-862, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-204X2010000800011.

PEIXOTO, A. M. et al. Enciclopédia Agrícola Brasileira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002. (v. 4).

PEREZ-MARIN, A. M.; SANTOS, A. P. S. (coord.). O semiárido brasileiro: riquezas, diversidades e saberes. Campina Grande: INSA/MCTI, 2013. 73 p. (Coleção Reconhecendo o Semiárido, 1).

PIMENTA, A. C. et al. Caracterização de plantas e de frutos de araticunzeiro (Annona crassiflora Mart.) nativos no Cerrado Matogrossense. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 36, n. 4, p. 892-899, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0100-2945-416/13.

RABÊLO, C. C. P. Isolamento e caracterização parcial de lectinas em sementes de Capparis yco. 2005. 77 f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

SANTOS, M. B. et al. Caracterização e qualidade de frutos de umbu-cajá (Spondias tuberosa X S. mombin) provenientes do Recôncavo Sul da Bahia. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 32, n. 4, p. 1089-1097, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-29452011005000015.

SENA, L. M. M. Conheça e conserve a Caatinga: o Bioma Caatinga. Fortaleza: Associação Caatinga, 2011. 54 p. (v. 1).

TORRES, L. B. V.; FIGUEIRÊDO, R. M. F.; QUEIROZ, A. J. M. Caracterização química de carambolas produzidas em região semiárida do Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. especial, n. 1, p. 43-54, 2003. DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v5n3p43-54.

VIEIRA, F. A.; GUSMÃO, E. Biometria, armazenamento de sementes e emergência de plântulas de Talisia esculenta Radlk. (Sapindaceae). Ciência e Agrotecnologia, v. 32, n. 4, p. 1073-1079, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-70542008000400006.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n50p189-197

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1280

Total de downloads do artigo: 1109