Estresse salino e uso de biofertilizantes como mitigadores dos sais nos componentes morfofisiológicos e de produção de glicófitas

José Lucínio de Oliveira Freire

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus Picuí Brasil

Lourival Ferreira Cavalcante

ORCID iD Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus Areia Brasil

Murielle Magda Medeiros Dantas

Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus Bananeiras Brasil

Adailza Guilherme da Silva

Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus Bananeiras Brasil

Josinaldo da Silva Henriques

Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus Bananeiras Brasil

José Flávio Cardoso Zuza

ORCID iD Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus Bananeiras Brasil

Resumo

A salinidade elevada das águas de boa parte dos mananciais hídricos do semiárido do Nordeste brasileiro contribui para reduzir o potencial produtivo da maioria das culturas alimentícias e não alimentícias. O acúmulo de sais no solo, além de comprometer as propriedades físicas e químicas do meio edáfico, reduz o potencial osmótico da solução do solo, restringindo a disponibilidade de água, resultando em desbalanço nutricional e toxicidade, prejudicando os processos metabólicos e fisiológicos das plantas. O uso de condicionadores orgânicos do solo, como os biofertilizantes, vem sendo testado em glicófitas como ferramenta de ajustamento osmótico das plantas aos sais. Com isso, essa Revisão de Literatura objetivou relatar estudos que tratam do estresse salino e concatenar algumas experimentações com biofertilizantes utilizados para mitigarem os efeitos depressivos dos sais nos componentes morfofisiológicos e produtivos de plantas glicófitas.

Palavras-chave


Agroecologia; Bioplasma; Esterco líquido; Salinidade


Texto completo:

Referências


ALENCAR, T. L. et al. Atributos físicos de um Cambissolo cultivado e tratado com biofertilizante na Chapada do Apodi, Ceará. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 39, n. 3, p. 737-749, 2015.

ALVES, F. L. et al. Germinação e estabelecimento de plântulas de cajueiro-anão precoce (Anacardium occidentale L.) em função da salinidade. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 8, n. 2, p. 197-204, 2013.

AMORIM, J. R. A. et al. Efeito da salinidade e modo de aplicação da água de irrigação no crescimento e produção de alho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 37, n. 2, p. 167-176, 2002.

ASHRAF, M.; HARRIS, P. J. C. Potential biochemical indicators of salinity tolerance in plants. Plant Science, v. 166, n. 1, p. 3-16, 2004.

ASIK, B. B. et al. Effects of humic substances on plant growth and mineral nutrients uptake of wheat (Triticum durum cv. Salihli) under conditions of salinity. Asian Journal Crop Science, v. 1, n. 2, p. 87-95, 2009.

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. 2. ed. Tradução de H. R. Gheyi, J. F. Medeiros e F. A. V. Damasceno. Campina Grande: UFPB, 1999. 153 p. (Estudos FAO: Irrigação e Drenagem, 29).

BAALOUSHA, M.; MOTELICA-HEINO, M.; LECOUSTUMER, P. Conformation and size of humic substances: effects of major cation concentration and type, pH, salinity, and residence time. Colloids and surfaces A: physicochemical and engineering aspects, v. 272, n. 1-2, p. 48-55, 2006.

BAKER, N. R.; ROSENQVIST, E. Applications of chlorophyll fluorescence can improve crop production strategies: an examination of future possibilities. Journal of Experimental Botany, v. 55, n. 403, p. 1607-1621, 2004.

BENBOUALI, E. H.; HAMOUDI, S. A. A.; LARICH, A. Short-term effect of organic residue incorporation on soil aggregate stability along gradient in salinity in the lower cheliff plain (Algeria). African Journal of Agricultural Research, v. 8, n. 19, p. 2141-2152, 2013.

BEZERRA, M. A. et al. Fotossíntese de plantas de cajueiro-anão precoce submetidas ao estresse salino. In: Proceedings of the Interamerican Society for Tropical Horticulture, v. 47, p. 149-152, 2003.

CAVALCANTE, L. F. et al. Maracujá-amarelo e salinidade. In: CAVALCANTE, L. F.; LIMA, E. M. (Eds.). Algumas frutíferas tropicais e a salinidade. Jaboticabal: FUNEP, 2006. p. 91-114.

CAVALCANTE, L. F. et al. Caracterização qualitativa de frutos do maracujá-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deg.) em função da salinidade da água de irrigação. Agropecuária Técnica, v. 24, n. 1, p. 34-45, 2003.

CAVALCANTE, L. F. et al. Clorofila e carotenoides em maracujazeiro-amarelo irrigado com águas salinas no solo com biofertilizante bovino. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 33, n. supl. 1, p. 699-705, 2011.

COELHO, D. C. et al. Crescimento de mudas de mamoeiro em condições controladas com água salina. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 10, n. 1, p. 1-5, 2015.

CONUS, L. A. et al. Germinação de sementes e vigor de plântulas de milho submetidas ao estresse salino induzido por diferentes sais. Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 4, p. 67-74, 2009.

CORREIA, K. G. et al. Crescimento, produção e características de fluorescência da clorofila a em amendoim sob condições de salinidade. Revista Ciência Agronômica, v. 40, n. 4, p. 514-521, 2009.

COSTA, P. H. et al. Crescimento e níveis de solutos orgânicos e inorgânicos em cultivares de Vigna unguiculata submetidos à salinidade. Revista Brasileira de Botânica, v. 26, n. 3, p. 289-297, 2003.

DIAS, T. J. et al. Qualidade química de frutos do maracujazeiro-amarelo em solo com biofertilizante irrigado com águas salinas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 15, n. 3, p. 229-236, 2011.

DINIZ NETO, M. A. et al. Mudas de oiticica irrigadas com águas salinas no solo com biofertilizante bovino e potássio. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 18, n. 1, p. 10-18, 2014.

DUTRA, T. R. et al. Germinação e crescimento inicial de plântulas de carobinha-docampo submetido ao estresse hídrico e salino. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 10, n. 4, p 39-45, 2014.

FLOWERS, T. J. Improving crop salt tolerance. Journal of Experimental Botany, v. 55, n. 396, p. 307-319, 2004.

FREIRE, J. L. O. et al. Teores de micronutrientes no solo e no tecido foliar do maracujazeiro amarelo sob uso de atenuantes do estresse salino. Agropecuária Técnica, v. 36, n. 1, p. 65-81, 2015.

FREIRE, J. L. O. et al. Teores de clorofila e composição mineral foliar do maracujazeiro irrigado com águas salinas e biofertilizante. Revista de Ciências Agrárias, v. 36, n. 1, p. 57-70, 2013.

FREIRE, J. L. O. et al. Quality of yellow passion fruit juice with cultivation using different organic sources and saline water. Idesia, v. 32, n. 1, p. 79-87, 2014.

FREIRE, J. L. O. et al. Atributos qualitativos do maracujá amarelo produzido com água salina, biofertilizante e cobertura morta no solo. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 5, n. 1, p. 102-110, 2010.

HASEGAWA, P. M. et al. Plant cellular and molecular responses to high salinity. Annual Review of Plant Physiology and Plant Molecular Biology, v. 51, p. 463-499, 2000.

HOLANDA FILHO, R. S. F. et al. Água salina nos atributos químicos do solo e no estado nutricional da mandioqueira. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 15, n. 1, p. 60-66, 2011.

LACERDA, C. F. et al. Estratégias de manejo para uso de água salina na agricultura. In: GHEYI, H. R.; DIAS, N. S.; LACERDA, C. F. (Eds.). Manejo da salinidade na agricultura: estudos básicos e aplicados. Fortaleza: INCT Sal, 2010. p. 303-318.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: Rima, 2000. 529 p.

LOPES, J. C. et al. Germinação e vigor de sementes de pau d’alho sob estresse salino. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 35, n. 82, p. 169-177, 2015.

MATIAS, J. R. et al. Germinação de sementes de pepino cv. Caipira em condições de estresse hídrico e salino. Sodebras, v. 10, n. 113, p. 33-39, 2015.

MEDEIROS, R. F. et al. Crescimento inicial do tomateiro-cereja sob irrigação com águas salinas em solo com biofertilizantes bovino. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 15, n. 5, p. 505-511, 2011.

MELLEK, J. E. et al. Dairy liquid manure and no-tillage: Physical and hydraulic properties and carbon stocks in a Cambisol of Southern Brazil. Soil & Tillage Research. v. 110, p. 69-76, 2010.

MUNNS, R.; TESTER, M. Mechanisms of salinity tolerance. Annual Review of Plant Biology, v. 59, p. 631-681, 2008.

NASCIMENTO, I. B. et al. Desenvolvimento inicial da cultura do pimentão influenciado pela salinidade da água de irrigação em dois tipos de solos. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 11, n. 1, p. 37-43, 2015.

NASCIMENTO, J. A. M. Respostas do maracujazeiro amarelo e do solo com biofertilizante bovino irrigado com água salina de baixa e alta salinidade. 2010. 101 f. Dissertação (Mestrado em Manejo de Solo e Água) – Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Areia, 2010.

NEVES, A. L. R. et al. Trocas gasosas e teores de minerais no feijão-de-corda irrigado com água salina em diferentes estádios. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 13, Suplemento, p. 873-881, 2009.

PAK, V. A.; NABIPOUR, M.; MESKARBASHEE, M. Effect of salt stress on chlorophyll content, fluorescence, Na+ and K+ ions content in rape plants (Brassica napus L.). Asian Journal of Agricultural Research, v. 3, n. 2, p. 28-37, 2009.

PARANYCHIANAKIS, N. V.; CHARTZOULAKIS, K. S. Irrigation of Mediterranean crops with saline water: from physiology to management practices. Agriculture, Ecosystems and Enviroment, v. 106, n. 2-3, p. 171-187, 2005.

RHOADES, J. D.; KANDIAH, A.; MASHALI, A. M. The use of saline waters for crop production. Rome: FAO, 1992. 133 p. (FAO Irrigation and Drainage Paper, 48).

RIBEIRO, M. C. C.; MARQUES, B. M.; AMARRO FILHO, J. Efeito da salinidade na germinação de sementes de quatro cultivares de girassol (Helianthus annuus L.). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 23, n. 1, p. 281-284, 2001.

SALES, M. A. L. et al. Germinação e crescimento inicial do coentro em substrato irrigado com água salina. Brazilian Journal of Biosystems Engineering, v. 9, n. 3, p. 221-227, 2015.

SECCO, L. B. et al. Germinação de sementes de melão (Cucumis melo L.) em condições de estresse salino. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 4, n. 4, p. 129-135, 2010

SILVA, F. L. B. et al. Interação entre salinidade e biofertilizante bovino na cultura do feijão-de-corda. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 15, n. 4, p. 383-389, 2011.

SOUSA, G. G. et al. Estresse salino em plantas de feijão-caupi em solo com fertilizantes orgânicos. Revista Agro@mbiente On-line, v. 8, n. 3, p. 359-367, 2014.

SOUSA, M. S. et al. Eficiência fotoquímica de híbridos de porta-enxertos de citros sob irrigação com água salinizada. In: INOVAGRI

INTERNATIONAL MEETING, 2., Fortaleza, 2014. Anais... Fortaleza: Inovagri, 2014.

TORRES, E. C. M. et al. Biometria de mudas de cajueiro anão irrigadas com águas salinas e uso de atenuadores do estresse salino. Nativa, v. 2, n. 2, p. 71-78, 2014.

UMEZAWA, T.; MIZUNO, K.; FUJIMURA, T. Discrimination of genes expressed in response to the ionic or osmotic effect of salt stress in soybean with cDNA-AFLP. Plant, Cell & Environment, v. 25, n. 12, p. 1617-1625, 2002.

VIANA, P. C. et al. Análise de crescimento e desenvolvimento vegetativo de plantas de maracujazeiro amarelo irrigadas com água salina. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 8, n. 1, p. 66-71, 2013.

WAHOME, P. K.; JESCH, H. H.; GRITTNER, I. Mechanisms of salt stress tolerance in two rose rootstocks: Rosa chinensis Major and R. rubiginosa. Scientia Horticulturae, v. 87, n. 3, p. 207-216, 2001.

YOKOI, S.; BRESSAN, R. A.; HASEGAWA, P. M. Salt stress tolerance of plants. JIRCAS Working Report, v. 23, n. 1, p. 25-33, 2002.

ZHU, J. K. Plant salt tolerance. Trends in Plant Science, v. 6, n. 2, p. 66-71, 2001.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n29p29-38

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 2286

Total de downloads do artigo: 1674