Conflitos decorrentes da ocupação do solo nas margens da represa Guarapiranga, no município de Embu Guaçu, em consonância com a legislação ambiental vigente

Maurício Tadeu Sobrinho

Universidade Guarulhos (UNG) Brasil

Fabrício Bau Dalmas

Universidade Guarulhos (UNG) Brasil

Renata Aparecida Costa

ORCID iD Universidade Guarulhos (UNG) Brasil

Antonio Roberto Saad

ORCID iD Universidade Guarulhos (UNG) Brasil

Resumo

O Código Florestal (Lei Federal nº 12.651/12) definiu limites para a ocupação e uso do solo, criando as Áreas de Preservação Permanente, pois a ocupação e atividades humanas exercidas nas margens dos grandes reservatórios de abastecimento de água aumentam constantemente, prejudicando a qualidade da água, da flora e da fauna, fenômeno conhecido como atividade antrópica. O reservatório Guarapiranga localiza-se na porção sudoeste da Região Metropolitana de São Paulo, abrangendo parcelas territoriais dos municípios de Cotia, Embu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, área total do município de Embu Guaçu e São Paulo. O objetivo deste estudo foi constatar a situação em que se encontra a área abrangida no entorno da Represa Guarapiranga e sua bacia contribuinte, em especial no município de Embu Guaçu, no que diz respeito ao uso da água e ocupação do solo, em consonância com o Código Florestal Brasileiro e a legislação pertinente. Utilizaram-se técnicas de geoprocessamento para delimitar o tipo de uso das margens do reservatório, dentro da Área de Proteção Permanente (100 metros em zona rural e 30 metros em zona urbana). Esta delimitação foi realizada no Google Earth e no programa QGIS. Esta aplicação de técnicas de geoprocessamento foi acompanhada por trabalho de campo, por meio dos quais foi possível analisar a ocupação e uso do solo na área de estudo. Como resultado final, observou-se que, salvo casos pontuais, a legislação que determina o uso do solo dentro das Áreas de Preservação Permanente está sendo respeitada no município de Embu Guaçu.

Palavras-chave


Bacia Hidrográfica Embu Guaçu; Reservatório Guarapiranga; Área de Preservação Permanente; Código Florestal; Ocupação do Solo


Texto completo:

Referências


ALMEIDA, F. F. M. Fundamentos geológicos do relevo paulista. Série Teses e Monografias. Instituto de Geografia, Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, 1964, p. 169-263.

BRASIL. Lei Federal nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Novo Código Florestal. Rio de Janeiro, RJ, p. 1-28, maio, 2012.

GOOGLE EARTH. Versão 7.1.5.1557, 2015. Imagem do Município de Embu Guaçu de 02/08/2015. Disponível em: http/www.google.com/Earth. Acesso 14 dez 2015.

HASUI, Y.; CARNEIRO, C. D. R.; COIMBRA, A. M. The Ribeira folded belt. Revista Brasileira de Geociências, v. 5, n. 4, p. 257-266, 1975.

MONBEIG, P. A divisão regional do Estado de São Paulo. In: Associação dos Geógrafos do Brasil, Anais..., São Paulo: AGB, 1949. p. 19-30.

OLIVEIRA, A.M.S. et al. Análise geoambiental da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo e da bacia do Guarapiranga. Relatório Geoambiental 3, 2013, 27p + Anexos.

QUEIROZ, W. Análise geoambiental da bacia contribuinte ao Reservatório Guarapiranga (SP) para a avaliação de sedimentos. 2013. 69 f. Dissertação (Mestrado em Análise Geoambiental)– Universidade Guarulhos, 2013.

SALIM, A. Caracterização do uso da terra em periferias urbanas utilizando geotecnologias – bacia do Reservatório Guarapiranga. 2013. 165 f. Dissertação (Mestrado em Geografia física)–Universidade de São Paulo, 2013.

SACHS, L. L. B. Programa Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil: Integração Geológica da Folha de São Paulo. São Paulo: CPRM, 1999.

TUNDISI, J. G.; MATSUMARA-TUNDISI, T.; ROCHA, O. Ecossistemas de Águas Interiores. In: REBOUÇAS, A.C.; BRAGA, B.; TUNDISI, J.G. (org). Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 3. ed. São Paulo: Escritores Editores, 2008.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n33p21-28

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1724

Total de downloads do artigo: 1449