Educação Ambiental: uma contribuição para gestão de políticas públicas implementadas no estuário do rio Paraíba

Daniele Souza Farias

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Maria da Conceição Monteiro Cavalcanti

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Resumo

Este trabalho teve como objetivo investigar como a educação ambiental tem contribuído enquanto ferramenta para gestão de políticas públicas implementadas no estuário do rio Paraíba. Para isso, analisou-se o Programa de Implementação de Políticas Públicas em Territórios de Áreas Protegidas (PIPPTAP): o caso do estuário do rio Paraíba do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba – IFPB, Campus João Pessoa, em parceria com outras instituições. Como procedimento metodológico, realizou-se uma pesquisa de abordagem descritiva e exploratória, com análise qualitativa. Para a coleta de dados, utilizou-se documento do PIPPTAP, aplicação de questionário e observação enquanto participante do referido programa. Após a análise dos dados, verificou-se que a educação ambiental tem contribuído para a gestão de políticas públicas que estão sendo implementadas no estuário do rio Paraíba, como a elaboração de materiais educativos formais e não formais, entre os quais destaca-se a construção do livro didático, que tem como objetivo desenvolver a percepção acerca da importância da conservação das diversidades, funcionando como um suporte para que as informações sobre a região estuarina do rio Paraíba sejam disseminadas e como estratégia para conhecimento, reflexão de ações, transformação de comportamentos, que visam atitudes para proteção das diversidades de ecossistemas desse ambiente estuarino.

Palavras-chave


Gestão Pública; Educação Ambiental; Estuário do rio Paraíba


Texto completo:

Referências


BERGUE, S. T. Cultura e Mudança Organizacional. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC; [Brasília]: CAPES:UAB, 2012.

BRASIL. [Leis, etc.] Constituição federal, Código civil (2002/1916), Código de processo civil, Código penal, Código de processo penal: legislação complementar fundamental/ [ organização, editoria jurídica da Editora; coordenador da revisão José Roberto Neves Amorim; equipe de revisão, Vanda Lúcia Cintra Amorim...et al.]._ 3. ed._Barueri, SP: Manole, 2004.

________. Lei n.9795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a política nacional de educação ambiental e dá outras providências. Diário oficial da República Federativa do Brasil. Brasília(DF). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm. Acesso em: 24 ago. 2014.

CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

DAGNINO, R. P. Planejamento estratégico governamental. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2012.

DESLANDES, S. F; NETO, O. C; GOMES, R; MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. 9. ed. São Paulo: Gaia, 2004.

FLONA. Diagnóstico do Plano de Manejo da FLONA de Cabedelo- Versão Preliminar (2013). Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/flonacabedelo/downloads/finish/4-plano-demanejo/5-diagnostico-do-plano-de-manejo-da-flonade-cabedelo.html. Acesso em: 23 jun. 2014.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. Saberes Necessários à Prática Educativa. Ano da Publicação: 1996; Ano da Digitalização: 2002. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/espanhol/pdf%5Cpedagogia_da_autonomia_-_paulofreire.pdf. Acesso em: 06 out. 2014.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

IFPB. Anexo III- Projeto de Extensão II- Pró- Reitoria de Extensão (2014).

MALMEGRIN, M. L. Redes públicas de cooperação em ambientes federativos. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB, 2012.

PHILIPPI JR, A; PELICIONI, M. C. F. Educação ambiental e sustentabilidade. Barueri, SP: Manole, 2005.

PHILIPPI JR, A; ROMÉRO, M. A; BRUNA, G. C. (Ed.). Curso de gestão ambiental. Barueri, SP: Manole, 2004. RUA, M. G. Políticas Públicas. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC .2012.

SEABRA, G. F. Estuário do Rio Paraíba: dinâmica ambiental e ocupação territorial. (2010). Disponível em: http://www.academia.edu/6743613/Livro_Gestao_dos_Recursos_Hidricos_Editora_UFPB_2010. Acesso em: 25 jun. 2014.

SEIFFERT, M. E. B. Gestão ambiental: instrumentos, esferas de ação e educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

SILVA, L. M. T. Nas Margens do Rio Paraíba do Norte. Cadernos do Logepa, v. 2, n. 2, 2003. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/logepa/article/view/10975. Acesso em: 24 ago. 2014.

STRAUSS, A. Pesquisa Qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. Porto Alegre: Artmed, 2008.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n31p29-40

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 2096

Total de downloads do artigo: 1330