Pozolanicidade do resíduo cerâmico

Janaína Anne Mota Melo

Instituto Federal da Paraíba. Brasil

João Batista Duarte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Brasil

Leonardo do Nascimento Dias

Instituto Federal da Paraíba. Brasil

Sóstenes Rodrigues do Rêgo

Instituto Federal da Paraíba. Brasil

Vamberto Monteiro da Silva

Instituto Federal da Paraíba.

Wilson Acchar

Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Resumo

The construction industry is still responsible for generating a significant volume of waste from mortars, concrete and ceramic materials. We underline in this scenario the residue of ceramic bricks that can be used in the production of new materials, such as laying and coating mortars, concrete and ecological bricks. This usage allows the reduction of the percentage of binders in these compositions and, consequently, the reduction of costs, less consumption of non-renewable natural resources and the reduction of carbon dioxide emissions from clinker manufacture. In order to do so, it is necessary to make the scientific verification of the process of pozzolanic activity through the following experiments: X-ray Diffraction (XRD) mineralogical analysis, sieving and sedimentation particle size analysis, X-ray Fluorescence (FRX) chemical analysis and the verification of Ca(OH)2 consumption by the modified Chapelle experiment. The results showed that the ceramic residue from non-structural masonry has high levels of silica (SiO2 ), aluminum oxide (Al2 O3 ) and iron oxide (Fe2 O3 ). Secondary pozzolanic additive.

Palavras-chave


Construction. Ceramic waste. Pozzolanicity


Texto completo:

Referências


ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 5751: Materiais pozolânicos -Determinação de atividade pozolânica – Índice de atividade pozolãnica com cal. Rio de Janeiro, 2015.

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 5752: Materiais pozolânicos -Determinação de atividade pozolânica – Índice de atividade pozolãnica com cimento. Rio de Janeiro,2014.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 7175: Cal hidratada argamassa. Rio de Janeiro, RJ, 2003.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 12653: Materiais Pozolânicos. Rio de Janeiro, RJ, 2014.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15895: Materiais Pozolânicos- Determinação do teor de cálcio fixado-Método Chapelle modificado. Rio de Janeiro, RJ, 2010.

ABPC-Associação Brasileira dos Produtores de Cal. Programa setorial da qualidade de cal hidratada para a construção civil. São Paulo: ABPC, relatório setorial n◦ 58,2010.

Ali, M.B. et al. A review on emission analysis in cement industries. Renewable and Sustainable Energy Reviews. Junho 2011, Vol. 15(5), p. 2252-2261.

GARCIA, E. et al. Avaliação da atividade pozolânica dos resíduos de cerâmica vermelha produzidos nos principais polos ceramistas do Estado de S. Paulo. Revista Cerâmica, n◦ 61, p. 251-258, 2015.

GARCIA, E. et al. Resíduo de Cerâmica Vermelha (RCV): Uma Alternativa como Material Pozolânico. Revista Cerâmica Industrial, nº 14, 2014.

KUA, H.W.; KAMATH, S. Na attributional and consequential lyfe cycle assessment of substituting concrete with bricks. Journal of Cleaner Production. 15 outubro 2014, Vol.81, p.190-200.

LEITE, M.B. et al. Avaliação da atividade pozolânica do material cerâmico presente no agregado reciclado do resíduo de C e D. Sitientibus. Feira de Santana, 2002.

MEDEIROS, E.N. M de et al. Incorporação de cinza de lenha, lodo de estação de tratamento de água e cinza de casca de arroz em massa cerâmica: utilização de técnica de planejamento. Cerâmica.2010, vol.56, n.340. pp.399-404.

MEHTA, P.K; MONTEIRO, P. J.M. CONCRETO: estrutura, propriedades e materiais. São Paulo: IBRACON, 2008.

MEIRA, G. R. et al. Comportamento de concreto armado com adição de resíduos de tijolo cerâmico moído frente à corrosão por cloretos. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 14, n. 4, p. 33-52, out/dez.2014.

MILANI, A. P. S. Avaliação física, mecânica e térmica do material solo-cimento-cinza de casca de arroz e seu desempenho como parede monolítica. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) – Universidade Estadual de Campina – UNICAMP. Campinas, 2008.

PALHARES, R. A. Avaliação da Atividade Pozolânica dos Resíduos de Cerâmica Vermelha Produzidos no Vale do Assú/RN. 22° Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais, Natal/RN, 2016.

PINTO, R. L. et al. Análise comparativa de argamassas com incorporação de resíduos cerâmico e de rochas ornamentais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO-CBC2014,56,2014. Natal. Anais eletrônicos. Natal, 2014. Disponível em CD-ROM

PONTES, J.S. et al. Contributos para a melhoria da durabilidade e sustentabilidade de argamassas e betões-avaliação da reatividade de pozolanas artificiais. In: CONGRESSO CONSTRUÇÃO, 4., 2012, Coimbra.

SEBASTIANY, L. D. Avaliação de métodos de determinação do potencial pozolânico de resíduos da indústria de cerâmica vermelha. 2014. 143. F. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). São Leopoldo, 2014.

TYDLITÁT, V. et al. Hydration heat development in blended cements containing fine-ground ceramics. Thermochimica Acta, v.543, p.125-129.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n48p139-145

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 279

Total de downloads do artigo: 172