Análise das propriedades físicas e mecânicas de painéis de partículas fabricados com maravalhas integrais de Pinus sp. e resina

Vitor Uemura da Silva

ORCID iD Universidade de São Paulo (USP), Campus de São Carlos Brasil

Felipe Nascimento Arroyo

ORCID iD Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Brasil

Vinícius Borges de Moura Aquino

ORCID iD Universidade Federal do Sul e do Sudeste de Pará (UNIFESSPA) Brasil

Diogo Aparecido Lopes Silva

ORCID iD Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Brasil

André Luis Christoforo

ORCID iD Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Brasil

Francisco Antonio Rocco Lahr

ORCID iD Universidade de São Paulo (USP), Campus de São Carlos Brasil

Resumo

A cadeia produtiva da madeira sólida gera grande quantidade (60%) de resíduos, que, alternativamente ao descarte e à queima, podem ser utilizados na fabricação de outros produtos, como painéis particulados. Dessa forma, esta pesquisa objetivou, com o uso do mix de maravalhas na forma integral de madeiras de Pinus elliottii e Pinus taeda e do adesivo ureia-formaldeído, avaliar as propriedades físicas dos painéis gerados com partículas de diferentes densidades, além de estimar propriedades em função de outras, através de modelos de regressão lineares, considerando também parâmetros colorimétricos. Foram produzidos seis painéis de partículas de média e seis de alta densidade. As propriedades foram obtidas de acordo com as premissas e métodos de cálculo da norma brasileira ABNT NBR 14.810-2:2018, sendo os requisitos avaliados com base em normas brasileiras e internacionais. De acordo com os resultados obtidos, verificou-se que a densidade dos painéis afetou, significativamente, em praticamente 50% as propriedades determinadas. Os painéis podem ser classificados como P2 pela norma brasileira, cabendo destacar que, em algumas propriedades, os valores superaram os requisitos da classe P7. A condutividade térmica indica ser apropriada a aplicação dos compósitos em edificações. Dos modelos de regressão, apenas quatro apresentaram coeficiente de determinação ótimo.

Palavras-chave


colorimetria; madeira particulada; painéis de madeira reconstituída; resina ureia-formaldeído


Texto completo:

Referências


ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14.810: Painéis de partículas de média densidade. Parte 2: Requisitos e métodos de ensaio. Rio de Janeiro, 2018.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7190: Projeto de estruturas de madeira. Rio de Janeiro, 1997. 107 p.

BUZO, A. L. S. C. Painéis aglomerados produzidos com partículas de pinus e bagaço de cana empregando-se ureia formaldeído e poliuretano à base de mamona. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/157188. Acesso em: 25 ago. 2022.

CABRAL, M. R.; FIORELLI, J.; CRAVO, J. C. M.; SAVASTANO, H. Painéis de partículas com maravalha de Pinus spp. e fibra de sisal. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 45, n. 114, p. 353-362, 2017. DOI: https://doi.org/10.18671/scifor.v45n114.11.

DACOSTA, L. P. E.; HASELEIN, C. R.; SANTINI, E. J.; SCHNEIDER, P. R.; CALEGARI, L. Qualidade das chapas de partículas aglomeradas fabricadas com resíduos do processamento mecânico da madeira de Pinus elliottii (Engelm.). Ciência Florestal, v. 15, n. 3, p. 311-322, 2005. DOI: https://doi.org/10.5902/198050981869.

FAGUNDES, H. A. V. Diagnóstico da produção de madeira serrada e geração de resíduos do processamento de madeira de florestas plantadas no Rio Grande do Sul. 2003. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/4567. Acesso em: 25 ago. 2022.

FERRO, F. S.; SOUZA, A. M.; ARAÚJO, I. I.; ALMEIDA, M. M. V. D. N.; CHRISTOFORO, A. L.; LAHR, F. A. R. Effect of alternative wood species and first thinning wood on oriented strand board performance. Advances in Materials Science and Engineering, v. 2018, article ID 4603710, 2018. DOI: https://doi.org/10.1155/2018/4603710.

HAZRATI-BEHNAGH, M.; ZAREA-HOSSEINABADI, H.; DALIRI-SOSEFI, M.; ABGINEHCHI, Z.; HEMMATI, A. Mechanical and insulating performances of ultralight thick particleboard from sugarcane residues and wood planer shavings. European Journal of Wood and Wood Products, v. 74, p. 161-168, 2016. DOI: https://doi.org/10.1007/s00107-015-0989-7.

IBÁ – INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES. Relatório 2017. Brasília, DF: Indústria Brasileira de Árvores, 2017. Disponível em: https://iba.org/images/shared/Biblioteca/IBA_RelatorioAnual2017.pdf. Acesso em: 19 fev. 2018.

IWAKIRI, S.; SILVA, J. R. M.; MATOSKI, S. L. S.; LEONHADT, G.; CARON, J. Produção de chapas de madeira aglomerada de cinco espécies de pinus tropicais. Floresta e Ambiente, v. 8, n. 1, p. 137-142, 2001. Disponível em: https://www.floram.org/article/588e21f9e710ab87018b45c7. Acesso em: 25 ago. 2022.

IWAKIRI, S.; MATOS, J. L. M.; TRIANOSKI, R.; PRATA, J. G. Produção de painéis aglomerados homogêneos e multicamadas de Melia azedarach (Cinamomo) e Pinus taeda com diferentes teores de resina. Cerne, v. 18, n. 3, p. 465-470, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-77602012000300014.

MACEDO, L. B.; SILVA, M. R.; CÉSAR, A. A. S.; PANZERA, T. H.; CHRISTOFORO, A. L.; LAHR, F. A. R. Painéis OSB de madeira Pinus sp. e adição de partículas de polipropileno biorientado (BOPP). Scientia Forestalis (IPEF), v. 44, n. 112, p. 887-894, 2016. DOI: https://doi.org/10.18671/scifor.v44n112.10.

MALONEY, T. M. Modern particleboard and dry process fiberboard manufacturing. San Francisco: Backbeat Books, 1977. 672 p.

MARINI, L. J. Estimativa de propriedades físicas e mecânicas de Pinus sp. por colorimetria. Dissertação (Mestrado em Ciências e Engenharia de Materiais) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2019. DOI: https://doi.org/10.11606/D.18.2019.tde-14032019-102959.

MIN, Y.; MAO, H.; HUANG, R.; GE, Z.; TIAN, P.; SUN, L.; WU, Q.; SUN, K. Mechanical and thermal properties of r-high density polyethylene composites reinforced with wheat straw particleboard dust and basalt fiber. International Journal of Polymer Science, v. 2018, article ID 5101937, 2018. DOI: https://doi.org/10.1155/2018/5101937.

MOUBARIK, A.; PIZZI, A.; ALLAL, A.; CHARRIER, F.; KHOUKH, A.; CHARRIER, B. Cornstarch–mimosa tannin–urea formaldehyde resins as adhesives in the particleboard production. Starch ‐ Stärke, v. 62, n. 3‐4, p. 131-138, 2010. DOI: https://doi.org/10.1002/star.200900228.

NASCIMENTO, M. F.; CHRISTOFORO, A. L.; CAMPOS, C. I.; ALMEIDA, D. H.; LAHR, F. A. R. Efeitos das intempéries na rugosidade de painéis de partículas de Pinus sp. Ambiente Construído, v. 18, n. 3, p. 227-238, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/s1678-86212018000300278.

POLETO, S. F. S.; AQUINO, V. B. M.; CHAHUD, E.; PINHEIRO, R. V.; BRANCO, L. A. M. N.; SILVA, D. A. L.; CAMPOS, C. I.; MOLINA, J. C.; CARVALHO, C. M.; CHRISTOFORO, A. L.; LAHR, F. A. R. Evaluation of CCB-preserved medium density particleboards under natural weathering. BioResources, v. 15, n. 2, p. 3678-3687, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.15376/biores.15.2.3678-3687.

SANTOS, M. F. N.; BATTISTELLE, R. A. G.; BEZERRA, B. S.; VARUM, H. S. A. Comparative study of the life cycle assessment of particleboards made of residues from sugarcane bagasse (Saccharum spp.) and pine wood shavings (Pinus elliottii). Journal of Cleaner Production, v. 64, p. 345-355, 2014. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2013.06.039.

TRIANOSKI, R.; PICCARDI, A. B. R.; IWAKIRI, S.; MATOS, J. L. M.; BONDUELLE, G. M. Incorporação de Grevillea robusta na Produção de Painéis Aglomerados de Pinus. Floresta e Ambiente, v. 23, n. 2, p. 278-285, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2179-8087.141515.

VARANDA, L. D.; NASCIMENTO, M. F.; CHRISTOFORO, A. L.; SILVA, D. A. L.; LAHR, F. A. R. Oat Hulls as addition to high density panels production. Materials Research (São Carlos. Impresso), v. 16, n. 6, p. 1355-1361, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-14392013005000131.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id5313

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 598

Total de downloads do artigo: 301