Caracterização de sementes crioulas de feijão fava produzidas no estado da Paraíba

Marciano Costa Nunes

ORCID iD Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Brasil

Rommel Santos Siqueira Gomes

ORCID iD Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Brasil

Luciana Cordeiro do Nascimento

ORCID iD Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Brasil

Resumo

Estudos relacionados aos aspectos fisiológicos e sanitários de sementes fornecem informações sobre os principais problemas relacionados à qualidade das sementes de culturas de importância econômica. O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade física, sanitária e fisiológica de sementes de feijão fava (Phaseolus lunatus), do estado da Paraíba. Foram utilizados dez lotes de sementes de feijão fava ‘Orelha de vó’, dos municípios de Arara (1), Areia (2), Esperança (3), Campina Grande (4), Juarez Távora (5), Alagoa Grande (6), Lagoa de Roça (7), Lagoa Seca (8), Alagoa Nova (9) e Remígio (10). Foi realizado o teste de sanidade de sementes (Blotter test) a fim de avaliar a presença de patógenos. Os aspectos fisiológicos foram determinados pela germinação e vigor das sementes. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com quatro repetições de 50 sementes. As sementes de feijão fava, pertencentes aos lotes 5, 6 e 10 possuem melhor qualidade física, através da análise biométrica e peso de mil sementes. Foram identificados os fungos Aspergillus sp., Aspergillus niger, Botrytis sp., Cladosporium sp., Rhizopus sp., Fusarium sp., Penicillium sp. e Colletotrichum sp., associados às sementes. Os lotes 2 e 9 apresentam melhor qualidade fisiológica, através das análises de emergência, germinação, comprimento e massa seca da parte aérea e raiz.

Palavras-chave


Emergência; Germinação; Phaseolus lunatus; Sanidade


Texto completo:

Referências


ASSUNÇÃO, I.P. et al. Reaction of faba bean genotypes to Rhizoctonia solani and resistance stability. Horticultura Brasileira, v. 29, n. 4, p. 492-497. 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362011000400008

BARBOSA, F. R.; GONZAGA, A. C. O. Informações técnicas para o cultivo do feijoeiro comum na região central brasileira: 2012-2014. 1. ed. Brasília, DF: EMBRAPA. 2012. 248p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para Análise de Sementes. Brasília, DF: Assessoria de Comunicação Social. 2009. 399p.

CARDOSO, R. B. et al. Potencial fisiológico de sementes de crambe em função de embalagens e armazenamento. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 42, n. 3, p. 272-278. 2012.

CARVALHO, E. M. S. Antracnose em feijão-fava: caracterização do agente causal e reação de genótipos a Colletotrichum truncatum. 2009. 53f. Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal. 2009.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 1. ed. Jaboticabal, SP: FUNEP. 2012. 590 p.

DAVID, A. M. S. S. et al. Qualidade sanitária de sementes de mamona (cv. IAC-226). Comunicata Scientiae, v. 5, n. 3, p. 311-317. 2014.

DUTRA, A. S. et al. Qualidade fisiológica de sementes de feijão-caupi em quatro regiões do estado do Ceará. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 2, p. 111-116. 2007.

FLÁVIO, N.S.D.S. et al. Health and physiological quality of sorghum seeds treated with aqueous extracts and essential oils. Semina, v. 35, n. 1, p. 7-20. 2014. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2014v35n1p7

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 2017. Disponível em: http:// www.sidra.ibge.gov.br, Acesso em: 20 Mar. 2015. 2021.

KOBAYASTI, L. et al. Incidência de fungos em sementes de pinhão-manso. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 41, n. 3, p. 385-390. 2011.

LARRÉ, C. F. et al. Influência do 2.4 epibrassinolídeo na tolerância ao estresse salino em plântulas de arroz. Semina, v. 35, n. 1, p. 67-76. 2014.

LOPES JUNIOR, C. O. et al. Otimização da extração enzimática das proteínas do feijão. Acta Scientiarum Technology, v. 32, n. 3, p. 319-325. 2010.

LUDWIG, M. P. et al. Qualidade de sementes de soja armazenadas após recobrimento com aminoácido, polímero, fungicida e inseticida. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 3, p. 395-406. 2011.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination: aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigour. Crop Science, v. 2, n. 2. p. 176-199. 1962.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: FEALQ, v.1, 2005. 495p.

MARINO, R. H.; MESQUITA, J. B. Micoflora de sementes de feijão comum (Phaseolus vulgaris L.) provenientes do Estado de Sergipe. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 4; n. 3, p. 252-256. 2009.

MARQUES, O. J. et al. Incidência fúngica e contaminações por micotoxinas em grãos híbridos comerciais de milho em função da umidade de colheita. Acta Scientiarum, v. 31, n. 4, p. 667-675. 2009.

MARTINS, A. B. N. et al. Qualidade fisiológica de lotes de sementes de amaranto. Revista da Jornada de Pós-Graduação e Pesquisa, 2433-2440. 2017.

NOBRE, D. A. C. et al. Qualidade física, fisiológica e morfologia externa de sementes de dez variedades de feijão-fava (Phaseolus lunatus L.). Revista Brasileira de Biociências, v. 10, n. 4, p. 425-429. 2012.

OLIVEIRA, F. N. et al. Caracterização botânica e agronômica de acessos de feijão fava, em Mossoró, RN. Revista Caatinga, v. 24, n. 1, p. 143-148. 2011.

PIVETA, G. et al. Superação de dormência na qualidade de sementes e mudas: influência na produção de Senna multijuga (L. C. Rich.) Irwin & Barneby. Acta Amazônica, v. 40, n. 2, p. 281-288. 2010.

SANTOS, J.O. et al. Ontogenia da nodulação em feijão fava (Phaseolus lunatus). Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 4, n. 4, p. 426-429. 2009. http://dx.doi.org/10.5039/agraria.v4i4a9

SCHNEIDER, C. F. et al. Armazenamento de sementes de feijão submetidas a tratamentos sanitários alternativos. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 9, n. 4, p. 278-283. 2014.

SILVA, G. C. et al. Qualidade fisiológica e sanitária de sementes de feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) provenientes do Estado de Goiás. Semina, v. 29, n. 1, p. 29-34. 2008.

SILVA, G.C. et al. Incidência de fungos e germinação de sementes de feijão--caupi (Vigna unguiculata L. Walp) tratadas com óleo de nim (Azadirachta indica A. Juss). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 16, n. 4, p. 850-855. 2014. http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/11_088

SILVA, M. M. et al. Qualidade fisiológica e armazenamento de sementes de feijão-comum produzidas no norte de Minas Gerais. Revista Agro@mbiente, v. 8, n. 1, p. 97-103. 2014.

SOARES, C.A. et al. Aspectos socioeconômicos. In: LOPES, A.C.A.; GOMES, R.L.F.; ARAÚJO, A.S.F. (Orgs.). A cultura do feijão-fava no Meio Norte do Brasil. Teresina: EDUFPI, 2010. p.237-263.

VECHIATO, M. H.; PARISI, J. J. D. Importância da qualidade sanitária de sementes de florestais na produção de mudas. Instituto Biológico, v. 75, n. 1, p. 27-32. 2013. Disponível em: http://www.biologico.sp.gov.br/artigos_ok.php?id_artigo=136. Acesso em11 Mar. 2021.

ZAUZA, E. A. V. et al. Esterilização, preparo de meios de cultura e fatores associados ao cultivo de fitopatógenos. In: ALFENAS, A. C.; MAFIA, R. G. (Eds.). Métodos em fitopatologia. 1. ed. Viçosa, MG: UFV, 2007. p. 23-51.

ZUCCHI, T. D.; MELO, I. S. Controle biológico de fungos aflatoxigênicos. In: van BETTIOL, W.; MORANDI, M. A. B. (Eds.). Biocontrole de doenças de plantas: uso e perspectivas. Jaguariúna, SP: EMBRAPA, 2009. p. 69-94.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id6226

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 82

Total de downloads do artigo: 38