Desenvolvimento de recursos visuais para o aprendizado de alunos surdos: teoria atômica de Dalton

Andrea de Lucena Lira

ORCID iD Instituto Federal de Educação da Paraíba Brasil

Regina de Fátima Freire Valentim Monteiro

Instituto Federal de Educação da Paraíba Brasil

Katia Michaele Conserva

Instituto Federal de Educação da Paraíba Brasil

Marcos Vasconcelos Paiva

Instituto Federal de Educação da Paraíba Brasil

José Lucas da Costa Campos

Instituto Federal de Educação da Paraíba Brasil

Resumo

This work aims to present the production of teaching video materials with the translation in Libras carried out in a Scientific Initiation Project. We approach Dalton’s Atomic Theory, an integral part of the Atomic Theories content, contemplated by the Atomicity for the Deaf project carried out by the Federal Institute of Education, Science and Technology of Paraíba (IFPB), Campus João Pessoa, theoretically based on cultural studies on the deaf, considering visual experience and Libras as the main cultural artifacts of this community. The project was guided by the following methodological steps: research on the development of the aforementioned atomic theory, definition of the sequence of the concepts covered, script writing, image research for the elaboration of PowerPoint slides, content study and discussion of the translation into Libras, recording of the translation, audio recording, image processing, final editing and availability on the website. The final product consists of a set of video lessons in Libras, enabling linguistic accessibility to the deaf audience

Palavras-chave


Ensino de Química. Surdos. Educação Inclusiva. Teorias atômicas. Ensino-aprendizagem.


Texto completo:

Referências


BRASIL (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n º 9.394/96, Brasília: DF. Lex: Diário Oficial da União, de 23 de dezembro de 1996.

BRASIL (2005). Decreto n º 5.626/05, regulamenta a Lei nº 10.436/02 Lingua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Brasília: DF. Lex: Diário Oficial da União, de 22 de dezembro de 2005.

BRASIL (2001). Ministério da Educação. Resolução nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: CNE/CEB, 2001.

BRASIL (2015). Ministério da Educação. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília: CNE/CEB, 2015.

BRUNO, M.M.G. Educação Inclusiva: componente da formação de educadores. Revista Benjamin Constant, Edição 38, dezembro de 2007.

BREIVIK, J.-K. Deaf identities in the making. Washington, D.C.: Gaulladet University, 2005

DA SILVA, J. L.; DA SILVA, D. A.; MARTINI, C.; DOMINGOS, D, C, A,; LEAL, P. G.; BENEDETTI FILHO, E.; FIORUCCI, A. R.. A utilização de vídeos didáticos nas aulas de Química do Ensino Médio para abordagem histórica e contextualizada do tema vidros. [S.l]. Silva, p. 1, 2010. Disponivel em: Acesso em: 13 mai. 2018.

ECHEVERRIA, A.R. Dimensão empírico-teórica no processo de ensino-aprendizagem do conceito soluções no ensino médio. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas, 1993.

FILGUEIRAS, Carlos Alberto L. Duzentos Anos da Teoria Atômica de Dalton. Química Nova da Escola, nº20, novembro de 2004.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ed. São Paulo. Atlas, 2007.

GLAT, R. e NOGUEIRA, M.L.L. Políticas educacionais e a formação de professores para a educação inclusiva no Brasil. Revis¬ta Integração, v. 24, p. 22-27, 2002.

GLAT, R. e PLETSCH, M.D. O papel da universidade frente às políticas públicas para educação inclusiva. Revista Benjamin Constant, Edição 29, p. 3-8, 2004.

GUIMARÃES, C. Arquitetura pedagógica computacional para interações intelectuais entre crianças surdas e pais não-surdos em Libras e Português. 2013, 161f. Tese (Doutorado em Informática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2013.

LUCENA, T.B.D., BENITE, C.R.M.; BENITE, A.M.C. Elaboração de material instrucional para ensino de química em nível médio, em foco: A surdez. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, 31ª, São Paulo, 2008.

LUZ, E. R. O Ensino de Química para surdos: uma análise a partir da triangulação de dados. Anápolis, 2016, 58 p. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Química). IFG, 2016.

MARRE, Jacques Andre Leon. História de vida e método biográfico. In: Cadernos de sociologia (Porto Alegre), Porto Alegre, v. 3, n. 3. jan./jun. 1991.

PEREIRA, L.L.S.; BENITE, C.R.M; BENITE, A.M.C. Aula de Química e Surdez: sobre interações pedagógicas mediadas pela visão. Química nova na escola. São Paulo, vol. 33, nº 1, p. 47-56, 2011.

PERLIN, G.T.T. Identidades surdas, In Skliar, C.(Org.) A Surdez: um olhar sobre as diferenças. 4ª ed. Porto Alegre: Mediação, 2010.

PINTO, P.L.F. Identidade surda na diversidade brasileira. Revista Espaço. INES, Rio de Janeiro, nº 36, jul/dez 2001.

RODRIGUES, Chris. O cinema e a produção. 3ª.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

SANTANA, A. P.; BERGAMO, A. Cultura e identidade surdas: encruzilhada de lutas sociais e teóricas. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v.26, n.91, p.565-582, maio 2005.

SANTOS, W.L.P.e MÓL, G.S. (coord.); MATSUNAGA, R.T.; DIB, S.M.F.; CASTRO, E.N.F.; SOUZA SILVA, G.; OLIVEIRA SANTOS, S.M.; FARIAS, S.B. e. Química e sociedade. Volume único. São Paulo: Nova Geração, 2005.

SACKS, O. W. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. São Paulo: companhia das Letras, 1998.

SEDREZ, N. H. Reusabilidade de Objetos de Aprendizagem de Línguas para alunos surdos e ouvintes. 2014. 147f. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2014.

SKLIAR, C. Uma perspectiva sócio-histórica sobre a psicologia e a educação dos surdos. In Skliar, C. (Org.) Educação e exclusão. Porto Alegre: Mediação, 1997.

TORQUATO, Rosane Andrade. Linguagem audiovisual e formação de professores: um diálogo possível. Cadernos da Escola de Comunicação, n. 01, out/nov 2003. Disponivel em: < file:///C:/Users/Andr%C3%A9a/Downloads/1905-7538-1-PB.pdf > acesso em: 20 mai. 2018.

TAVEIRA, C. C.; ROSADO, L. A. S. Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes: articulando pesquisas sobre letramento, matrizes de linguagem e artefatos surdos. Revista Espaço, Rio de Janeiro, n. 39, p. 27-42, jan/jun. 2013.

VILLELA, F. e GRIESINGER, D. IBGE: 6,2% da população têm algum tipo de deficiência. Edição online da EBC. Publicado em 21/08/2015. Disponível em: http://www.ebc.com.br/noticias/2015/08/ibge-62-da-populacao-tem-algum-tipo-de-deficiencia. Acessado em: 18/05/2017.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021v1n54p83-92

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 126

Total de downloads do artigo: 72