Aplicação de técnicas termoanalíticas (TGA/DTA) para avaliação do comportamento térmico de amostras de argilas para obtenção de pozolanas

Jean Luis Gomes de Medeiros

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Crislene Rodrigues da Silva Morais

Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) Brasil

Resumo

A busca por materiais que sejam empregados na construção civil de forma sustentável, tanto do ponto de vista ambiental como em relação a durabilidade e resistência, tem sido motivo de muitas pesquisas. As argilas termicamente ativadas ganharam importância como uma fonte de material cimentício suplementar, uma vez que apresentam vantagens ambientais, como redução da emissão de CO2, econômicas, devido à redução do consumo de energia para produção de cimentos, e técnicas, uma vez que melhoram a resistência e a durabilidade dos concretos e argamassas, além da abundância na natureza. Neste trabalho, é avaliado o comportamento térmico de três argilas do litoral sul da Paraíba. As amostras das argilas foram submetidas a um tratamento térmico para as temperaturas de 600 ºC, 700 ºC e 800 ºC e analisadas pelas técnicas termoanalíticas (TGA/DTA). As argilas foram caracterizadas físico-química e mineralogicamente, antes e após o tratamento térmico, e foram classificadas como material pozolânico tipo N, de acordo com as exigências químicas da Norma NBR 12653/2015. Os estudos térmicos das amostras de argila indicam que, nas temperaturas de calcinação de 600 °C e 800 °C, as perdas de massa observadas foram muito pequenas, da ordem de 2%, enquanto que, na temperatura de calcinação de 700 °C, grandes perdas de massa foram verificadas, principalmente para as amostras JPS2 e JPS3, com  valores de 7,41% e 11,02%, respectivamente.

Palavras-chave


Argilas; Calcinação; Metacaulinita; Comportamento Térmico; Técnicas Termoanalíticas


Texto completo:

Referências


ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 12653:2014 Versão Corrigida:2015: Materiais Pozolânicos – Requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

ASTM INTERNATIONAL. ASTM C311 / C311M-18: Standard test methods for sampling and testing fly ash or natural pozzolans for use in Portland-Cement Concrete. West Conshohocken, PA: ASTM International, 2018.

BADOGIANNIS, E.; KAKALI, G.; DIMOPOULOU, G.; CHANIOTAKIS, E.; TSIVILIS, S. Metakaolin as a main constituent. Exploitation of poor Greek kaolins. Cement & Concrete Composites, v. 27, n. 2, p. 197-203, 2005. DOI: 10.1016/j.cemconcomp.2004.02.007. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0958946504000228. Acesso em: 29 abr. 2020.

BRITO, I. P.; ALMEIDA, E. P.; NEVES, G. A.; MENEZES, R. R.; SILVA, V. J.; SANTANA, L. N. L. Avaliação de novos depósitos de argilas do Estado da Paraíba visando sua aplicação como matérias-primas cerâmicas. Cerâmica, v. 61, n. 360, p. 391-398, 2015. DOI: 10.1590/0366-69132015613601926. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0366-69132015000400391&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 29 abr. 2020.

EL-DIADAMONY, H.; AMER, A. A.; SOKKARY, T. M.; EL-HOSENY, S. Hydration and characteristics of metakaolin pozzolanic cement pastes. HBRC Journal, v. 14, n. 2, p. 150-158, 2015. DOI: 10.1016/j.hbrcj.2015.05.005. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1687404815000486. Acesso em: 29 abr. 2020.

FERNANDEZ, R.; MARTIRENA, F.; SCRIVENER, K. L. The origin of the pozzolanic activity of calcined clay minerals: a comparison between kaolinite, illite and montmorilonite. Cement and Concrete Research, v. 41, n. 1, p. 113-122, 2011. DOI: 10.1016/j.cemconres.2010.09.013. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0008884610002176. Acesso em: 29 abr. 2020.

FRIAS, M.; CABRERA, J. Pore size distribution and degree of hydration of metakaolin-cement pastes. Cement and Concrete Research, v. 30, n. 4, p. 561-569, 2000. DOI: 10.1016/S0008-8846(00)00203-9. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0008884600002039. Acesso em: 29 abr. 2020.

HOLLANDERS, S.; ADRIAENS, R.; SKIBSTED, J.; CIZER, Ӧ.; ELSEN, J. Pozzolanic reactivity of pure calcined clays. Applied Clay Science, v. 132-133, p. 552-560, 2016. DOI: 10.1016/j.clay.2016.08.003. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0169131716303271. Acesso em: 29 abr. 2020.

MEDEIROS, M. H. F.; HOPPE FILHO, J.; GOBBI, A.; PEREIRA, E. Pozolanas de alta reatividade: uma avaliação crítica de ensaio de Índice de Atividade Pozolânica (IAP) com cal usando Difração de Raios X. Ambiente Construído, v. 15, n. 3, p. 19-29, 2015. DOI: 10.1590/s1678-86212015000300023. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1678-86212015000300019&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 29 abr. 2020.

MEDINA, E. A. Pozolanicidade do metacaulim em sistemas binários com cimento Portland e Hidróxido de Cálcio. 2011. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Departamento de Engenharia de Construção Civil, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

MOHAMMED, S. Processing, effect and reactivity assessment of artificial pozzolans obtained from clays and clays wastes: a review. Construction and Building Materials, v. 140, p. 10-19, 2017. DOI: 10.1016/j.conbuildmat.2017.02.078. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S095006181730274X. Acesso em: 29 abr. 2020.

MOODI, F.; RAMEZANIANPOUR, A. A.; SAFAVIZADEH, A. Sh. Evaluation of the optimal process of thermal activation of kaolins. Scientia Iranica A, v. 18, n. 4, p. 906-912, 2011. DOI: 10.1016/j.scient.2011.07.011. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1026309811001258. Acesso em: 29 abr. 2020.

SANTOS, P. S. Tecnologia das Argilas. Porto Alegre: Edgard Blucher, 1992. v. 1.

TIRONI, A.; TREZZA, M. A.; IRASSAR, E. F.; SCIAN, A. N. Thermal treatment of kaolin: effect on the pozzolanic activity. Procedia Materials Science, v. 1, p. 343-350, 2012. DOI: 10.1016/j.mspro.2012.06.046. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2211812812000478. Acesso em: 29 abr. 2020.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2020v1n50p54-63

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1296

Total de downloads do artigo: 1149