Construção de foguete de água na Educação Infantil: possibilidades de iniciação científica

Ana Luiza Matos Lopes Sinieghi

ORCID iD Universidade de São Paulo (USP) Brasil

Josefa Edivoneide Andrade dos Santos

Universidade de São Paulo (USP) Brasil

Maria Auxiliadora Motta Barreto

ORCID iD Escola de Engenharia de Lorena (EEL) / Universidade de São Paulo (USP) Brasil

João Paulo Sinieghi

Fundação Getúlio Vargas (FGV) Brasil

Resumo

A iniciação científica pode começar a ser realizada de forma sistemática desde o início da escolaridade, facilitando a aprendizagem e instigando a curiosidade das crianças. O presente trabalho aborda o tema da Iniciação Científica na Educação Infantil, relatando uma experiência escolar. O objetivo principal foi despertar e incentivar o interesse e a curiosidade das crianças para os conhecimentos da Física, por meio de atividades lúdicas, buscando proporcionar a compreensão e o entendimento de fenômenos físicos que envolvem água, ar e pressão, conduzindo aulas práticas e inovadoras baseadas na investigação e na experimentação. As etapas da pesquisa foram desenvolvidas por meio de uma sequência didática que focou especificamente na repercussão e demonstração de um foguete de água, sendo sujeitos da pesquisa vinte e cinco crianças do Nível II da Educação Infantil, numa escola da rede privada de ensino no Vale do Paraíba, no estado de São Paulo. Foram feitos registros por fotos, gravação em vídeo com posterior transcrição e organização em episódios interativos (EI). A análise dos dados permite afirmar que houve um aumento dos conhecimentos dos alunos quanto ao tema abordado, de forma lúdica.

Palavras-chave


Iniciação Científica; Educação Infantil; Foguete de água


Texto completo:

Referências


AMARAL, C. L. C.; GUERRA, A. S. Utilizando a pedagogia de projetos para despertar o interesse da ciência em alunos do Ensino Fundamental II. Ciência em Tela, v. 5, n. 1, p. 1-8, 2012. Disponível em: http://www.cienciaemtela.nutes.ufrj.br/artigos/0112_costa.pdf. Acesso em: 19 jun. 2020.

CASTELO BRANCO, H.; ZIRALDO (org.). O pequeno planeta perdido. 30. ed. São Paulo: Melhoramentos, 2011. 31 p.

BRUNER, J. A Cultura da Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001.

BRUNER, J. Sobre o Conhecimento: ensaios da mão esquerda. São Paulo: Phorte, 2008.

BRUNER, J. The process of education. Cambridge, MA, EUA: Harvard University Press, 1977.

CAIXA de Brinquedo - O Foguete - Desenho Infantil. Adaptação da música: Marcelo Gil Malça. Desenhos: Gleidson Araujo. [S. l.: s. n.], 2017. 1 vídeo (3 min.). Publicado pelo canal Caixa de Brinquedo. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Xr0MMcde49s. Acesso em: 3 out. 2018.

GUIMARÃES, Y. A. F.; GIORDAN, M. Instrumento para construção e validação de sequências didáticas em um curso a distância de formação continuada de professores. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 8., 2011, Campinas, SP. Atas […]. Campinas, SP: ABRAPEC, 2011.

HARLEN, W.; JELLY, S. Developing Science in the Primary Classroom. London: Longman, 1997.

KAMII, C.; LEE-KATZ, L. Physics in Preschool Education: A Piagetian Approach. In: BROWN, J. G. (ed.). Curriculum Planning for Young Children. Washington, DC: National Association for the Education of Young Children, 1982. p. 171-176.

KISHIMOTO, T. M. (org.). O brincar e suas teorias. 1. ed. São Paulo: Cengage Learning, 1998.

LEITE, L. H. A. Pedagogia de projetos e projetos de trabalho. Presença Pedagógica, v. 13, n. 73, p. 62-69, 2007.

MENEZES, P. H. D.; MIRANDA, L. M.; MATTOSO, V. C. Entre o lúdico e o didático: o que se aprende com brinquedos científicos. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM ENSINO DE CIÊNCIAS, 10., 2015, Águas de Lindóia, SP. Anais [...]. Águas de Lindóia, SP: ABREPEC, 2015.

MOREIRA, M. A.; MASSONI, N. T. Interfaces entre teorias de aprendizagem e Ensino de Ciências/Física. Porto Alegre: UFRGS, 2015. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/public/tapf/tapf_v26_n6.pdf. Acesso em: 19 jun. 2020.

SANTOS, R. A. O desenvolvimento de Sequências de Ensino Investigativas como forma de promover a alfabetização científica dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental. Ilhéus, BA: UESC, 2016.

SILVA, S. L. L. A primeira Lei de Newton: uma abordagem didática. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 40, n. 3, 3001, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1806-9126-RBEF-2018-0015.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2020v1n50p99-108

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1765

Total de downloads do artigo: 1872