Mal-estar no ambiente de trabalho: o caso do IFRN

Maria Josely de Figueiredo Gomes

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Fernando Henrique da Silva

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Valéria Regina Carvalho de Oliveira

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Augusto André Santos de Souza

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Roberta Keile Gomes de Sousa Manso

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Resumo

Este trabalho tem como objetivo diagnosticar o mal-estar no trabalho na percepção dos servidores do IFRN. A pesquisa é do tipo descritiva e de natureza qualitativa. As respostas apontadas pelos servidores permitiram os seguintes resultados: 1. A relação socioprofissional (45,09%) foi o fator mais expressivo e, entre suas dimensões mais pontuadas, podemos destacar: Relação interpessoal negativa (33,41%), Ausência de compromisso (16,7%) e Desempenho negativo da gestão (16,7%). 2. O segundo fator mais pontuado foi Organização do trabalho (26,74%) e, entre suas dimensões, podemos destacar: Sobrecarga/pressão/ ausência de flexibilidade/liberdade (35,74%), Insatisfação com a jornada de trabalho (22,13%) e Padrão organizacional negativo (21,7%); 3. No fator Condição de trabalho (14,73%), destaca-se:  Deslocamento/distância de casa para o trabalho (43,85%). 4. No fator Reconhecimento e Crescimento Profissional (3,88%), destacam-se: A falta de reconhecimento e capacitação dos servidores (39,39%); 5. No fator Elo trabalho e vida social (3,23%), temos como destaque: A insatisfação (33,33%) e o estresse e cansaço físico no trabalho (3%). Os aspectos que proporcionam mal-estar no ambiente de trabalho devem ser considerados nos projetos de Qualidade de Vida no Trabalho, e ser pontos de reflexões quanto à mudança de paradigma institucional. Urgem ações que reforcem as relações interpessoais, melhorem o comportamento gerencial, analisem aspectos da organização do trabalho, dos deslocamentos como também o estresse no trabalho.

Palavras-chave


Qualidade de Vida no Trabalho; IFRN; Mal-estar


Texto completo:

Referências


ANTLOGA, C. S. Práticas gerenciais e qualidade de vida no trabalho: o caso das micro e pequenas empresas do setor de alimentação. 2009. 239 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações)–Programa de Pós-graduação em Psicologia Social do Trabalho e das Organizações ( PSTO), Universidade de Brasília, Brasília-DF, Brasil, 2009. p. 53.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 4. ed. Portugal: Edições 70, 2010.

BEZERRA, M. F. Qualidade de Vida no Trabalho: A Perspectiva dos Servidores e Colaboradores de uma Instituição Pública do Poder Executivo Federal. 2013. 69 f. Monografia (Especialização em Gestão Pública)–Escola Nacional de Administração Pública – ENAP, Brasília, 2013.

CHAVEZ, R. C. Condiciones de trabajo y bienestar/ malestar docente em profesores de enseñanza media de Santiago de Chile. Educação e Sociedade, v. 30, n. 107, p. 409-426, 2009.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Trad. Durley de Carvalho Cavicchia. Bauru: Edusc, 1999.

FERREIRA, M. C.; MENDES, A. M. Trabalho e riscos de adoecimento: o caso dos auditores fiscais da Previdência Social Brasileira. Brasília: Edições ler, pensar, agir (LPA), 2003.

FERREIRA, M. C. A Ergonomia da Atividade se Interessa pela Qualidade de Vida no Trabalho? Reflexões Empíricas e Teóricas. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v.11, p. 83-99, 2008.

FERREIRA, M. C.; SEIDL, J. Mal-estar no trabalho: análise da cultura organizacional de um contexto bancário brasileiro. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 25, n. 2, p. 245-254, 2009.

FERREIRA, M. C. Inventário de Avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho (IA_QVT): instrumento para diagnóstico e planejamento. In: FÓRUM INTERNACIONAL DE QVT, 11., 2009, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, 2009.

FERREIRA, M.C. Qualidade de vida no trabalho: uma abordagem centrada no olhar dos trabalhadores. Brasília: Edições ler, pensar e agir, 2011.

FERREIRA, M. C.; FERREIRA JR, A. Sindicalismo, saúde e segurança no trabalho: Desafios na escola pública brasileira (Qualis B4 Interdisciplinar). Retratos da Escola, v. 6, p. 341-354, 2012.

FERNANDES, L. C.; FERREIRA, M. C. Qualidade de vida no trabalho e risco de adoecimento: estudo no poder judiciário brasileiro. Psicol. USP, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 296-306, Ago. 2015.

LHUILIER, D. Travail, management et santé psychique, Connexions, v. 91, n. 1, p.85-101, 2009.

MENDONÇA, H.; FERREIRA, M.C.; PORTO, J.; ZANINI, D. Saúde e bem estar no trabalho: dimensões individuais e culturais. IN: FERREIRA, M.C.; MENDONÇA, H. (Org.). Saúde, Qualidade de vida e bem estar: limites e interfases teórico metodológico. São Paulo: Casa do Psicólogo, p 10-33, 2012.

NEWSTROM, J. W. Comportamento Organizacional: o comportamento humano no trabalho. São Paulo: McGraw Hill, 2008.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n42p41-49

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1354

Total de downloads do artigo: 1079