Cultivar BRS Ponta negra irrigado com efluentes agroindustriais

Gerôncio Sucupira Junior

Universidade Federal de campina Grande Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em sistemas agroindustriais - UFCG Campus de Pombal Brasil

Medico Veterinário

Manoel Moisés Ferreira de Queiroz

Universidade Federal de Campina Grande - UFCG Brasil

Professor do Programa de Pós-graduação emsistemas agroeindustriais -UFCG

Ednaldo Barbosa Pereira Junior

Instituto Federal da Paraíba - Campus Sousa Brasil

Professor do curso superior de agroecologia, IFPB campus

Hermano Oliveira Rolim

Doutorando pelo programa de Pós-graduação em agronomia- UFPB Campus de Areia. Brasil

Engenheiro agrônomo e mestre em Manejo do solo e água.

João Ferreira Neto

Instituto Federal da Paraíba Campus Sousa Brasil

Tecnico em Agropecuaria e Mestre em Horticultura tropical

Pedro Lima Filho

Doutorando Pelo Programa de Pós-graduação em agronomia pela Universidade Federal da Paraíba, campus de Areia Brasil

Resumo

Este trabalho buscou avaliar a produção de forragem do Cultivar BRS Ponta Negra irrigado com efluentes agroindustriais proveniente da bovinocultura e da agroindústria de processamento de leite e derivados pertencentes ao IFPB – Sousa, O modelo experimental utilizado foi o delineamento em blocos casualizados, com seis tratamentos e cinco repetições. A parcela experimental foi composta por duas plantas. Os tratamentos utilizados resultaram em: T1 = irrigação com 100% de água residuária da Bovinocultura (ARB); T2: irrigação com a mistura de 75% de água residuária da Bovinocultura e 25% de água residuária da Agroindustrial (ARA); T3: irrigação com a mistura de 50% de ARB e 50% de ARA; T4: irrigação com a mistura de 25% de ARB e 75% de ARA; T5: irrigação com 100% de ARA; T6: Água do poço artesiano (testemunha). Foram analisados a seguintes variáveis: Altura de planta, diâmetro do colmo, matéria verde e seca da parte aérea, Proteína Bruta,  Cinzas, FDN, FDA, amostragem do solo na profundidade de 0-20 cm, em três momentos (antes do plantio, 79 dias e aos 107 dias) para determinar os seguintes atributos:  pH (H2O), Na+, MO (g.Kg-1) e PST (%).Portanto, este estudo mostra a possibilidade da produção de sorgo com águas residuárias pelos produtores rurais do semiárido, sendo a presença de resíduos da bovinocultura mais eficiente na produção de forragem, colaborando para o destino adequado desses efluentes.

Texto completo:

Referências


ALBUQUERQUE, C.J.B., JARDIM, R, R.; ALVES, DD., Características Agronômicas e Bromatólogicas dos Componentes Vegetativos de Genótipos de Sorgo Forrageiro em Minas Gerais, Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Vol.12n.2,p.164-182, 2013.

ARRUDA, F. P. et al. Efeito do estresse hídrico na emissão/abscisão de estruturas reprodutivas do algodoeiro herbáceo cv. CNPA 7H. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 6, n. 1, p. 21-27, 2002

AYERS, R.S.; WESTCOT, D.W. A qualidade da água na agricultura. Tradução de Hans Raj Gheyi, José Francismar de Medeiros, Francisco Ademilton Damasceno. Campina Grande: UFPB, 1991, 218p. (Estudos da FAO, Irrigação e Drenagem, 29).

DUARTE, A. S. AIROLDI, R. P. S. FOLEGATTI, M. V.. BOTREL, T. A &. SOARES, T. M., Efeitos da aplicação de efluente tratado no solo: pH, matéria orgânica, fósforo e potássio, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.12, n.3, p.302–310, Campina Grande, PB- 2008.

EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Manual de métodos de análise de solo, Centro Nacional de Pesquisa de Solos, 2ª ed. Rio de Janeiro, 1997.

FERREIRA, D. F. Sisvar: um programa para análises e ensino estatístico. Revista Científica Symposium, v. 6, n. 2, p. 36-41, 2008.

GOMES. S. O. et al. Comportamento Agronômico e composição químico-bromatólogica de cultivares do Sorgo forrageiro no estado do Ceará. Revista Ciência Agronômica, Ceará, v.37, n.2, p. 221-227, 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2017.

HERPIN, U.; GLOAGUEN, T.V.; FONSECA, A.F.; MONTES,C.R.; MENDONÇA, F.C.; PIVELI, R.P.; BREULMANN,G.; FORTI, M.C. & MELFI, A.J. Chemical effects on the soil–plant system in a secondary treated waste water irrigated coffee plantation - A pilot field study in Brazil. Agric. Water Manag, 89:105-115, 2007.

NETO, J. F. Produção de beterraba (beta vulgaris) irrigada com efluentes agroindustriais. Dissertação. Universidade Federal de Campina Grande. 2015, 99 p.

NÓBREGA, E. P.; SARMENTO, M. I. A.; RODRIGUES, M. L. M.; OLIVEIRA, P. R. R.;

NETO, J. F.; MARACAJÁ, P. Desenvolvimento inicial de mudas de goiabeira irrigadas com diferentes tipos de água. Revista de agroecologia no Semiárido, v. 1, n. 2, p. 01-09, jan. 2018.

SILVA, F. F., FREITAS, P. S. L., BERTONHA, A., MUNIZ, A. S. REZENDE. R. Impacto da aplicação de efluente maturado de fecularia de mandioca em solo e na cultura do sorgo. Acta Scientiarium agronomy, Maringá, v. 26, n. 4, p. 421 – 427, 2004.

VALE, M. B., AZEVEDO, P. V. Avaliação da produtividade e qualidade do capim elefante e do sorgo irrigados com água do lençol freático e do rejeito do dessalinizador. Holos, v. 3, n 3, p. 181 – 195, 2013.

VIEIRA, M. R; LACERDA, C. F; CÂNDIDO M. J. D; CARVALHO, P. L; COSTA R. N. T; TABOSA, J. N. Produtividade e qualidade da forragem de sorgo irrigado com águas salinas. Rev. Bras. Eng. Agric. Amb. 9:42-46,2005.


DOI: http://dx.doi.org/10.35512/ras.v3i1.3553

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 140

Total de downloads do artigo: 246