Caracterização fisico-química e microbiológica da beterraba irrigada com efluente agroindustrial

João Ferreira Neto

IFPB Campus Sousa Brasil

Pós-graduado Stricto Sensu em Horticultura Tropical, Nível de Mestrado do Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar, Campus Pombal, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Manoel Moisés Ferreira de Queirós

Professor da UFCG Campus de Pombal Brasil

Doutorado em Engenharia Hidráulica e Saneamento - Universidade de São Paulo

Reginaldo Gomes Nobre

Professor da UFCG Campus de Pombal Brasil

3Doutorado em Engenharia Agrícola na Universidade Federal de Campina Grande - UFCG  (Pós-Doutorado em Engenharia Agrícola no DEAg-UFCG .

Ednaldo Barbosa Pereira Junior

Professor do IFPB campus Sousa Brasil

Graduado em Geografia pela Universidade Federal de Campina Grande, mestrado em Sistemas Agrosilvopastoris no Semiárido pela Universidade Federal de Campina Grande  com doutorado em Fitotecnia pela Universidade Federal Rural do Semiárido - UFERSA ,  Professor efetivo do ensino médio, técnico e superior em agroecologia do IFPB - Campus Sousa

Januaria Caldeira de Sousa

Brasil

Graduação em Tecnologia em Agroecologia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB)

Joice Xavier de Sousa

Brasil

Graduação em Tecnologia em Agroecologia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) e Mestrado em Solos e Qualidade de Ecossistemas pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Resumo

Neste trabalho objetivou-se avaliar o teor de sólidos solúveis (Brix), pH, acidez em acido cítrico e acidez total bem como os parâmetros microbiológicos do tubérculo da cultura da beterraba (Beta vulgares L) irrigada com efluente agroindustrial procedente do processamento de leite e frutas. Os experimentos foram realizados em campo nas dependências do IFPB-campus-Sousa, no período de agosto a dezembro de 2014. Empregou-se o delineamento experimental em blocos casualizados utilizando esquema fatorial (3x5), três tipos de água e cinco doses de nitrogênio com 4 repetições, totalizando 15 tratamentos e 60 parcelas experimentais. Os tratamentos corresponderam a: água do açude de São Gonçalo, água de açude + efluente (1:1) e efluente bruto combinada com seguintes doses de Nitrogênio 0, 30, 60, 90 e 120% ou 0, 3, 6, 9 e 12g/m2. Avaliando os parâmetros físico-químicos e microbiológicos da beterraba irrigada com efluentes agroindustrial comparando com a irrigada com água de açude. Observou-se que a água de reuso não interferiu na sua composição físico-química, assim como na contaminação microbiológica, para os diferentes tratamentos não apresentando diferença significativa entre as variáveis estudadas, apontando que é possível produzir beterraba com água de reuso diluída 1:1 e bruta com qualidade igualando ao irrigar com água de açude.

Texto completo:

Referências


APHA. AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION. Standard methods for examination of water and wastewater. 21th ed. Washington: American Water Works Association, 2005. 1.368 p.

BARCELOS, J. C. Desempenho da beterraba ‘Katrina’ submetida a lâminas de água e doses de nitrogênio aplicadas via fertirrigação. Tese (Doutorado em Agronomia/Ciências do Solo)-Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional da vigilância Sanitária. Resolução RDC n° 12, de 02/01/2001. Regulamento Técnico Sobre os Padrões Microbiológicos para Alimentos. In: Diário Oficial da União, Brasília, 02/01/2001a. p.1-54. Seção 1. http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/e57b7380474588a39266d63fbc4c6735/RESOLUCAO_12_1978.pdf, acesso em: 21/02/2015.

CARDOSO, A.D. ALVARENGA, M. A. R., MELO, T. L., VIANA, A. E. S., Produtividade e qualidade de tubérculos de batata em função de doses e parcelamentos de nitrogênio e potássio. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 31, n. 6, p. 1729-1736, 2007.

CEFS-PE- Comissão Estadual de Fertilidade do Solo- PE- Recomendação de adubação do Estado de Pernambuco, 2ª aproximação. Instituto Agronômico de Pernambuco- Recife-PE- 2008.

CHITARRA, M.I.F.; CHITARRA, A.B. Pós-colheita de frutas e hortaliças. Fisiologia e manuseio. Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (FAEPE), ESAL, 1990. 293p.

DUARTE. A. S., Reuso de água residuária tratada na irrigação da cultura do pimentão (Capsicum Annun L), Tese de Doutorado, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz- Piracicaba -2006.

EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Manual de métodos de análise de solo, Centro Nacional de Pesquisa de Solos, 2ª ed. Rev. atual, Rio de Janeiro, 1997.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2.ed, Brasília: Embrapa Produção de Informação. Rio de Janeiro, 2006, 306p.

FILHO, A. G. A., OLIVEIRA, M. A. R., RIBAS DOLL, M. M., PHILIPPSEN, N. A. Estudos de demanda hídrica de culturas olerícolas para dimensionamento de reservatório de aproveitamento de água de chuva pelo método dos dias consecutivos sem precipitação pluviométrica, Revista de Engenharia e Tecnologia, V. 2, No. 3, p. 58-68, 2010.

IAL- Instituto Adolfo Lutz, Métodos físico-químicos para analise de alimentos, IV edição 1a Edição Digital – São Paulo: 2008 p. 1020.

MARQUES, L. F.; MEDEIROS, D. C., COUTINHO, O. L.; MEDEIROS, C. de B.; VALE, L. S., Produção e qualidade da beterraba em função da adubação com esterco bovino. Revista Brasileira de Agroecologia, Porto Alegre, v.5, n. 1, p. 24-31. 2010.

OLIVEIRA, P. C. P., GLOAGUEN, T. V., GONÇALVES, R. A. B., & SANTOS, D. L. Produção de moranga irrigada com esgoto doméstico tratado, Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.17, n.8, p.861–867, Campina Grande, PB, 2013.

PUSHARD, T. S., The State of Rainwater Harvesting In The U.S. On Tap , pp. 20-22, 2008.

RESENDE, G. M. CORDEIRO, G. G. Uso da Água Salina e Condicionador de Solo na Produtividade de Beterraba e Cenoura no Semiárido do Submédio São Francisco, Comunicado Técnico, 128, Embrapa Semiárido, 1ª edição, Formato digita, Petrolina-PE- 2007.

RIBEIRO JR., J. I. Análises estatísticas no SAEG (Sistema para análises estatísticas). Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2001. 301p.

SOUZA, J. A. R.; MOREIRA, D. A.; MARTINS, I. P.; CARVALHO, C. V. M.; CARVALHO, W. B. Sanidade de frutos de pimentão fertirrigado com água residuária da suinocultura. Ambi-Agua, Taubaté, v. 8, n. 2, p 124-134, 2013.

TIVELLI, S. W., FACTOR, T. L., TERAMOTO, J. R. S., FABRI, E. G., MORAES, A. R. A., TRANI, P. E., MAY, A. Beterraba: do plantio à comercialização, (Série Tecnologia APTA. Boletim Técnico IAC, 210), 45p. Campinas: Instituto Agronômico, 2011


DOI: http://dx.doi.org/10.35512/ras.v1i1.1641

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 5768

Total de downloads do artigo: 12146