Assistência ao paciente durante a intubação orotraqueal: prática do enfermeiro

Viviane Machado de Lima

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Regina Célia Sales Santos Veríssimo

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Amuzza Aylla Pereira dos Santos

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Maira de Melo Freire Calheiros

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

José Augustinho Mendes Santos

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Resumo

Este artigo visa identificar a prática do enfermeiro na assistência ao paciente durante a intubação orotraqueal no atendimento pré-hospitalar, realizada pelo serviço móvel de suporte avançado. O estudo é descritivo quantitativo e foi realizado com 24 enfermeiros. A coleta de dados foi realizada utilizando um questionário semiestruturado, com dados tabulados e analisados em pacote estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS Statistics®). Dos entrevistados, 75% alegam reconhecer situações em que há necessidade de intubação, destacando-se a de trauma. Houve diferença estatística, p=0,025, quanto a um item dos cuidados durante o transporte do paciente entre as variáveis “tempo de atuação no serviço” e “ausculta pulmonar". As práticas do enfermeiro são preparo do material, preparo do paciente, auxílio ao procedimento e manutenção, que o incluem na otimização do serviço e serve de instrumento para a construção de protocolos assistenciais que sejam confeccionados, subsidiando a prática da assistência profissional.

Palavras-chave


Enfermagem em emergência; Intubação intratraqueal; Cuidados de enfermagem


Texto completo:

Referências


ALMEIDA, P. M.V. et al. Análise dos atendimentos do SAMU 192: Componente móvel da rede de atenção às urgências e emergências. Esc Anna Nery, v. 20, n. 2, p. 289-295, Abr-Jun, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v20n2/1414-8145-ean-20-02-0289.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

ANVISA. Medidas de Prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária, 2017. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271855/Medidas+de+Preven%C3%A7%C3%A3o+de+Infec%C3%A7%C3%A3o+Relacionada+%C3%A0+Assist%C3%AAncia+%C3%A0+Sa%C3%BAde/6b16dab3-6d0c-4399-9d84-141d2e81c809. Acesso em: 14 jan. 2019.

CARDOSO, A. M., et al. Avaliação dos benefícios da sistematização da assistência de enfermagem pelos membros da equipe de saúde. Enfermagem Revista. v. 21, n. 3, p. 4-12, 2018.

CAVALCANTE, V. S. P.; DUTRA, L. M. A.Protocolo para Intubação Orotraqueal (IOT) segura na pandemia da COVID-19, no cenário do Sistema Único de Saúde. Health Residencies Journal (HRJ), v. 1, n. 2, 2020. Disponível em: https://escsresidencias.emnuvens.com.br/hrj/article/view/23. Acesso em: 14 out. 2020.

COFEN, Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN-429/2012. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-n-4292012_9263.html. Acesso em: 10 abr. 2016.

COFEN, Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN-358/2009. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html. Acesso em: 14 out. 2020.

CORTÉS, V. R. et al. Selección de hospital destino para el traslado de urgencia de pacientes. Revista Gerencia y Políticas de Salud, v. 17, n. 35, 2018. Disponível em: revistas.javeriana.edu.co/index.php/gerepolsal/article/view/24409. Acesso em: 21 fev. 2019.

GIEHL, C. T. et al. A equipe de enfermagem frente ao processo de implantação da sistematização da assistência de enfermagem. Rev Enferm Atenção Saúde, v. 5, n. 2, p. 87-95, ago-dez, 2016. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/1621/pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

GUTIÉRREZ, M. G. R.; MORAIS, S. C. R. V. Sistematização da Assistência de Enfermagem e a formação da identidade profissional. Rev Bras Enferm., v. 70, n. 2, p. 436-41, 2017.

KUYPERS, M. I. et al. Procedural sedation and analgesia practices by emergency physicians in the Netherlands: a nationwide survey. Emerg Med J, 2017.

LIMA, D. M. et al. Fixação de tubo orotraqueal: tecnologia diferenciada para segurança do paciente. Rev enferm UFPE, v. 10, n. 5, p. 1812-1821, 2016. Disponível em: bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=BDENF〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=29667&indexSearch=ID. Acesso em: 15 ago. 2018.

MARTINS, C. L.; PINTO, B. K.; SOARES, M. U.; NEVES, F. B. das; THOFEHRN, M. B. Pós-graduações lato sensu da Faculdade de Enfermagem/UFPel: breve análise documental. J Nurs Health. 6(suppl.): 199-210, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/8915/6003#. Acesso em: 14 out. 2020.

MELO, E. M. et al. Cuidados dispensados pela equipe de enfermagem durante o procedimento de punção venosa periférica. Rev enferm UFPE, v. 9, n. 3, p. 1022-1030, 2015. Disponível em: periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/10430/11226. Acesso em: 20 set. 2018.

O´DWYER G. et al. Atenção pré-hospitalar móvel às urgências: análise de implantação no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 7, p. 2189-2200, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n7/1413-8123-csc-21-07-2189.pdf. Acesso em: 21 fev. 2019.

O´DWYER, G. et al. O processo de implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência no Brasil: estratégias de ação e dimensões estruturais. Cad. Saúde Pública, v. 33, n. 7, p. 01-14, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v33n7/1678-4464-csp-33-07-e00043716.pdf. Acesso em: 21 fev. 2019.

PHTLS. Atendimento Pré-hospitalar ao Traumatizado. PHTLS/NAEMT. 8 Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016.

RODRIGUES, D. et al. Intubação Endotraqueal – Um Dilema na Assistência Pré-hospitalar. Pensar Enfermagem, v. 19, n. 1, p. 62-75, jan-jun, 2015.Disponível em: http://pensarenfermagem.esel.pt/files/PE_19_1sem2015_62_75.pdf. Acesso em: 14 jan. 2019.

SANTOS, L. F.; NERY, L. M. S. C.; MUTTI, C. F.; NUNES, D. P.; OLIVEIRA, L. M. de A. C.; RIBEIRO, A. C. O exame físico na prática hospitalar do enfermeiro.Research, Society and Development, v. 9, n.7, e132973794,(CC BY 4.0) | ISSN 2525-3409| DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.3794, 2020. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/3794/3288. Acesso em: 14 out. 2020.

SANTOS, M. A. S. et al. Assistência de enfermagem ao paciente politraumatizado. Ciências Biológicas e de Saúde Unit Alagoas, v. 4, n. 2, p. 11-22, 2018. Disponível em: periodicos.set.edu.br/index.php/fitsbiosaude/article/view/4648/2777. Acesso em: 21 fev. 2019.

SCHWEITZER, G. et al. Intervenções de emergência realizadas nas vítimas de trauma de um serviço aeromédico. Rev Bras Enferm, v. 70, n. 1, p. 54-60, jan.-fev., 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v70n1/0034-7167-reben-70-01-0054.pdf. Acesso em: 15 ago. 2017.

SOUZA, V. R. de; QUELUCI, G. de C.; SOARES, R. da S.; MENDONÇA, A. R.; DIAS, S. F. C. Checklist de Exame Físico: contribuições para o ensino de Fundamentos de

Enfermagem. Revista Enfermagem Atual, 86: 24, 2018. Disponível em: http://revistaenfermagematual.com/arquivos/ED_86_REVISTA_24/19.pdf. Acesso em: 14 out. 2020.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id4279

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 678

Total de downloads do artigo: 1358