Construção e validação de conteúdo do instrumento: consulta de enfermagem para pessoa com úlcera falcêmica à luz da teoria de Orem

Larissa Houly de Almeida Melo

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Thaís Honório Lins Bernardo

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Patrícia de Albuquerque Sarmento

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Amuzza Aylla Pereira dos Santos

ORCID iD Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Brasil

Resumo

Este artigo objetiva construir e validar o conteúdo do instrumento “Consulta de enfermagem para pessoa com úlcera falcêmica, à luz da teoria de Orem”. Estudo metodológico, baseado no modelo de Pasquali. A pesquisa conteve 3 momentos: 1) Construção do instrumento; 2) Análise dos juízes peritos na área que julgaram o instrumento, através da escala Likert de 5 pontos, quanto clareza de linguagem, pertinência prática e relevância teórica. A análise aconteceu mediante Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC), sendo adotada CVC ≥ 0.8; 3) Análise semântica, utilizando a técnica de brainstorming. Pesquisa aprovada pelo CEP da UFAL com número CAAE: 04247718.4.0000.5013.  O instrumento contém 23 itens e 271 subitens; 9 juízes peritos na área julgaram os itens; No quesito clareza de linguagem, 91,3% dos itens obtiveram CVC ≥ 0.9, apenas 8,7% CVC=0.8; Quanto pertinência prática 91,3% dos itens obtiveram CVC=1 e 8,7% CVC=0.9; Quantos  relevância teórica, 87% dos itens tiveram CVC=1 e 13% CVC=0.9; O instrumento obteve CVC total de 0,94; Houve  96 comentários, 73 sugestões foram acatadas; Na análise semântica, 4 itens receberam sugestão de adequação e todas foram acatadas. O instrumento apresenta conteúdo válido e viabiliza o embasamento científico ao enfermeiro e ao pensamento crítico, para tomar as decisões.

Palavras-chave


Validação; Teoria de Enfermagem; Autocuidado; Anemia Falciforme; Úlcera de perna.


Texto completo:

Referências


ALEXANDRE, S. G. Construção e validação de instrumentos para consulta de enfermagem à pessoa idosa estomizada fundamentado na teoria do autocuidado. Tese (doutorado). Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde do Centro de Ciências da Saúde. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, 2017. Disponível em: http://www.uece.br/cmacclis/dmdocuments/SOLANGE.pdf Acesso em: 23 set. 2018

ALMEIDA, A. H.; SOARES, C.B. Ensino de educação nos cursos de graduação em enfermagem. Rev Bras Enferm., v. 63, n. 1, p. 111-116, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672010000100018 Acesso em: 14 nov. 2019

ALMEIDA, M. M.; SANTOS, M. S.; SILVA, F.W.T. Assistência de enfermagem na Doença Falciforme na Estratégia Saúde da Família. J. Res. Fundam. Care, vol. 10, n.1, pág.36-45. 2018. Disponível em: file:///C:/Users/usuario/Downloads/5966-34277-3-PB%20(2).pdf Acesso em: 18 dez. 2019

ARAÚJO, P.I.C. O autocuidado na doença falciforme. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., vol.29, n.3, p. 239-246. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-84842007000300010 Acesso em: 11 nov. 2019

BARBOSA, SILVA, V. M.; SILVA, SANTOS, J. V. Utilização de teorias de enfermagem na sistematização da prática clínica do enfermeiro: revisão integrativa. Rev Enferm Atenção Saúde, vol.7, n.1, pág. 260-271. 2018. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/2517 Acesso em:11 nov. 2019

BARROSO, N. V. Comparação do tratamento com bota de unna e o curativo convencional em pacientes com anemia falciforme e úlceras em membros inferiores – ensaio clínico controlado randomizado. Dissertação (mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal de Sergipe, 2015. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFS-2_be96befed3b988f65b04d251a0566378 Acesso em: 18 set. 2018

BEZERRA, E. P. Construção e validação de instrumento para consulta de enfermagem aos usuários diabéticos no programa saúde da família. Dissertação (mestrado). Programa de pós-graduação em enfermagem do Centro de Ciências da Saúde. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/5110 Acesso em: 23 set. 2018

BLANCK, M.; GIANNINI, T. Úlcera e feridas, as feridas têm alma. Uma abordagem interdisciplinar do plano de cuidados e da reconstrução estética. Rio de Janeiro: Di Livros, 2014.

BRASIL. Decreto nº6.949 de 25 de agosto de 2009 - Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência foi incorporada a legislação em 2008. Brasília, 25 de agosto de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm Acesso em: 23 set. 2019

BRASIL. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas – Doença Falciforme. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2016/Relatorio_PCDT_DoencaFalciforme_CP_2016_v2.pdf Acesso em: 23 set. 2018

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual de Diagnóstico e Tratamento de Doença Falciformes. - Brasília : ANVISA, 2002. 142 p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/anvisa/diagnostico.pdf Acesso em: 23 set. 2018

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual da anemia falciforme para a população / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde,Departamento de Atenção Especializada. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2007. Disponível em: http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/cidadao/orientacao/manual_da_anemia_falciforme_para_a_populacao.pdf Acesso em: 23 set. 2018

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Doença falciforme: úlceras: prevenção e tratamento / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada. Brasília : Ministério da Saúde, 2012. 80 p.: il. – (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível em: https://www.nupad.medicina.ufmg.br/wp-content/uploads/2016/12/Manual-Doenca-Falciforme-Ulceras-tratamento-e-prevencao.pdf Acesso em: 23 set. 2018

COURA, A. S. Validação de conteúdo do instrumento para consulta de enfermagem na visita domiciliar às pessoas com lesão medular: um enfoque no autocuidado. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Enfermagem, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14757 Acesso em: 23 set. 2018

CURCIO; R.; LIMA, M. H. M.; TORRES, H.C. Protocolo para consulta de Enfermagem: assistência a pacientes com diabetes melittus tipo 2 em insulinoterapia. Rev. Gaúcha Enferm., vol.30, n.3, pág.552-7. 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/7987 Acesso em: 27 set. 2019

FEIJÃO, A. R. Consulta de enfermagem baseada na teoria de Orem para pacientes com coeinfecção HIV/tuberculose: efetividade na adesão e qualidade de vida. Tese (doutorado). Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Ceará, 2011. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/2052 Acesso em: 23 set. 2018

FELIX, L. G.; NÓBREGA, M. M. L.; FONTES, W. D.; SOARES, Maria Júlia Guimarães de Oliveira. Análise da teoria do autocuidado de orem de acordo com os critérios de fawcett. Rev. Enferm. UFPE, vol.3, n.2, pág.392-8. 2009. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/6135 Acesso em: 14 ago. 2019

FERNANDES, A. P.; JANUÁRIO, J. N.; CANGUSSU, C. B.; DE MACEDO, D. L. VIANA, M.B. Mortality of children with sickle cell disease: a population study. Jounal of Pediatry (Rio J). 2010;86(4):279-284. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20508908 Acesso em: 20 ago. 2019

FREITAS, J. S.; SILVA, A. E.; MINAMISAVA, R.; BEZERRA, A.L.; SOUSA, M.R. Quality of nursing care and satisfaction of patients attendend at a teaching hospital. Rev. Latino-Am Enfermagem, vol. 22, pág.3, pág. 454-560, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692014000300454 Acesso em: 20 ago. 2019

GEORGE, J. B. et al. Teorias de enfermagem: dos fundamentos para à prática profissional. 4.ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

GRANJA P. D.; QUINTÃO, S. B. M.; PERONDI, F.; LIMA, R. B. F.; MARTINS, C. L. M.; MARQUES, M. A.; OLIVEIRA, J.C.P. Úlceras de perna em pacientes com anemia falciforme. J. Vasc. Bras. vol.19, Porto Alegre, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/jvb/v19/1677-5449-jvb-19-e20200054.pdf Acesso em: 20 ago. 2019

GUEDES, D. S. Construção e validação de instrumento para consulta de enfermagem às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, 2018. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/31695 Acesso em: 23 set. 2018

HERNANDEZ-NIETO, R. A. Contributions to Statistical Analysis. Merida: Universidad de Los Andes, 2002.

MEDEIROS, R. K. S.; FERREIRA JÚNIOR, M. A.; PINTO, D. P. S. R.; VITOR, A. F.; SANTOS, V. E. P.; BARICHELLO, E. Modelo de validação de conteúdo de Pasquali nas pesquisas em Enfermagem. Revista de Enfermagem Referência, vol.5, n. 4. 2015. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-02832015000100014 Acesso em: 20 set. 2018

MELO, R. P.; MOREIRA, R.P.; FONTENELE, F. C.; AGUIAR, A. S. C.; JOVENTINO, E. S.; CARVALHO, E. C. Critérios de seleção de experts para estudos de validação de fenômenos de enfermagem. Ver. Rene, vol. 12, n. 2, pág. 424-431, 2011. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/4254 Acesso em: 20 ago. 2019

NAOUM, PC; NAOUM, FA. Doença das células falciformes. São Paulo: Sarvier, 2004.

OREM, D. E. Nursing Concepts of Pratice. 3 ed. Boston:Mosby; 1991.

PALESE, A. et al. Clinical assessment instruments validated for nursing practice in the Italian ontexto: a systematic review of the literature. Ann. Ist. Super. Sanità, Roma, v. 50, n. 1, p. 67-76, mar. 2014. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24695256 Acesso em: 20 set. 2018

PASQUALI, L. Instrumentação psicológica: Fundamentos e práticas. Porto Alegre, Brasil: Artmed. 2010.

PASQUALI, L. Princípios de elaboração de escalas psicológicas. Revista de Psiquiatria Clínica, vol. 25, n. 5, pág. 206-213, 1998. Disponível em: http://mpet.ifam.edu.br/wp-content/uploads/2017/12/Principios-de-elaboracao-de-escalas-psicologicas.pdf Acesso em: 20 set. 2018

PIMENTEL, T. S. Construção e validação do instrumento para consulta de enfermagem ao indivíduo com diabetes mellitus tipo 2. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-Graduação em enfermagem. Universidade Federal de Sergipe. Aracaju. 2018. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/8534/2/THIAGO_SOUZA_PIMENTEL.pdf Acesso em: 23 set. 2018

POLIT, D. F.; BECK, C.T.; HUNGLER, B. P. The contente validity índex: are you sure uou know what’s being reported? Critique and recommendations. Research Nurse Health., vol. 29, n. 5, pág. 489-497. 2006. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16977646 Acesso em: 20 set. 2019

SARAT, C. N.; FERRAZ, M. B.; FERREIRA JÚNIOR M. A.; CORRÊA FILHO, R. A.; SOUZA, A. S.; CARDOSO, A. I.; et al. Prevalência da Doença Falciforme em adultos com diagnóstico tardio. Acta Paul Enferm., vol.32, n.2, pág.202-9. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002019000200202 Acesso em: 20 set. 2018

TOLENTINO, G. S.; BETTENCOURT, A. R. C.; FONSECA, S. M. Construção e validação de instrumento para consulta de enfermagem em quimioterapia ambulatorial. Rev. Bras. Enferm. 2019, vol.72, n.2, pág.391-399. 2019. http://www.scielo.br/pdf/reben/v72n2/pt_0034-7167-reben-72-02-0391.pdf Acesso em: 23 set. 2019

VITOR, A. F. V; LOPES, M. V. O; ARAÚJO, T. L. Teoria do déficit de autocuidado: análise da sua importância e aplicabilidade na prática de enfermagem. Esc. Anna Nery, vol. 14, n. 3. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-81452010000300025&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 23 set. 2019


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id3937

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 483

Total de downloads do artigo: 231