Influência das condições ambientais de armazenamento na qualidade fisiológica de sementes de Mimosa tenuiflora (Willd.) Poir.

Adriano Salviano Lopes

Universidade Federal da Paraíba Brasil

Carina Seixas Maia Dornelas

Universidade Federal de Campina Grande Brasil

Iracy Amélia Pereira Lopes

Universidade Federal de Campina Grande Brasil

Ariana da Mota Oliveira

Brasil

Micilene Silva de Brito

Universidade Federal de Campina Grande Brasil

Alecksandra Vieira de Lacerda

Universidade Federal de Campina Grande Brasil

Resumo

Storage is a fundamental practice in the control of physiological seed quality since it is a method that can preserve seed viability and vigor for a longer period. Thus, this study aimed to analyze the influence of storage in the physiological quality of seeds of “jurema-preta” (Mimosa tenuiflora (Willd)) in different environments and packages. The experiment was conducted in the Laboratory of Ecology and Botany (CDSA/UFCG), using seeds collected from matrix trees in the municipality of Sumé (Paraíba State, Brazil). The seeds were homogenized and placed in different packages (Kraft paper bag and glass packaging). After that, they were stored under laboratory conditions and in a freezer for nine months. In each and every month of storage, the following characteristics were evaluated: moisture content, emergence, emergence speed index, seedling length. The seeds stored in freezer in glass packaging showed the best results for all evaluated parameters, whereas the seeds stored in paper bags at room temperature lost their germination vigor after 120 days of storage. Thus, storage in glass packaging, in freezer, is more appropriate for storing seeds of Mimosa tenuiflora (Willd).

Palavras-chave


Packaging. Vigor. Physiological quality. Semi-arid of Paraíba


Texto completo:

Referências


ALBUQUERQUE, U. P. et al. Caatinga: biodiversidade e qualidade de vida. Bauru, SP: Canal6, 2010.

Almeida, L. D'A., N. R. Braga, R. R. Santos, P. B. Gallo & J. C. V. N. A. Pereira. Comportamento de sementes de grão de bico na armazenagem. Bragantia, v. 56 n. 1, p. 97-102, 1997.

ALVES, E. U.; SILVA, K. B.; BRUNO, R. L. A.; ALVES, A. U.; CARDOSO, E. A.; GONÇALVES, E. P.; BRAZ, M.S.S. Comportamento fisiológico de sementes de pitombeira [Talisia esculenta (A. ST. Hill) Radlk] submetidas à desidratação. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 30, n. 2, p. 509-516, 2008.

ARAÚJO, F. S; RODAL, M. J. N; BARBOSA, M. R. V. Análise das variações da biodiversidade do bioma caatinga: suporte a estratégias regionais de conservação. Brasília. 2005. 446 p.

ARAÚJO, L. V. C.; LEITE, J. A. N.; ARRIEL, E. F.; BAKKE, O. A. Aspectos fenológicos de uma população de jurema preta (Mimosa hostilis, Benth.). In: Congresso e exposição internacional sobre floresta vi, 2000. Porto Seguro, Anais. Porto Seguro: 2000. p. 18-19.

ARAUJO, L. V. C.; LEITE, J. A. N.; PAES, J. B. Estimativa da produção de biomassa de um povoamento de Jurema-preta (Mimosa tenuiflora (Willd.) Poiret. com cinco anos de idade. Renabio Biomassa & Energia, v. 1, n. 4, p. 347-352, 2004.

ARAÚJO, S. M. S. de. A Região Semiárida do Nordeste do Brasil: Questões Ambientais e Possibilidades de Uso Sustentável dos Recursos. Rios Eletrônica - Revista Cientifica da FASETE, n. 5, p. 89-98, dez. 2011.

Azevedo, M. R. de Q. A.; Gouveia, J. P. G. de; Trovão, D. M. M.; Queiroga, V. de P. Influência das embalagens e condições de armazenamento no vigor de sementes de gergelim. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.7, p.519-524, 2003.

BAKKE, I. A. Potencial de acumulação de fitomassa e composição bromatológica da jurema preta (Mimosa tenuiflora (Willd.) Poiret.) na região semiárida da Paraíba. 2005. Tese (Doutorado em Ecologia Vegetal e Meio Ambiente) - Universidade Federal da Paraíba, Areia, 2005.

BRAGA, R. Plantas do Nordeste: especialmente do Ceará. 3.ed. Fortaleza: ESAM, 1976. 450 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 395p.

CARDOSO, D. B. O. S.; QUEIROZ, L. P. Diversidade de leguminosae nas caatingas de Tucano, Bahia: implicações para a fitogeografia do semiárido do Nordeste do Brasil. Rodriguésia, v. 58, n. 2, p. 379-391, 2007.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Armazenamento. In: CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. Jaboticabal: Funep, 2000.

CASTRO, A. S; CAVALCANTE, A. Flores da caatinga: Caatinga flowers. Campina Grande: Instituto Nacional do Semiárido, 2010.

DRUMOND, M. A. et al. Avaliação e identificação de ações prioritárias para a conservação, utilização sustentável repartição de benefícios da biodiversidade do bioma Caatinga. Documento para discussão no GT Estratégias para o Uso Sustentável. Petrolina, 2000.

DUQUE, J. G. O Nordeste e as Lavouras Xerófilas. ed – Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2004. 330p.

FREITAS, R. A. Qualidade fisiológica e caracterização bioquímica de sementes de algodão durante a deterioração e avaliação do seu potencial de armazenamento. 2003. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2003.

GUEDES, R. S. et al. Teste de comprimento de plântula na avaliação da qualidade fisiológica de sementes de Erythrina velutina Willd. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 30, n. 4, p. 793-802, mar. 2009.

JUNIOR, V. T. da, S. Biometria, germinação e crescimento inicial de Mimosa tenuiflora Willd. (Leguminosae-Papilionoideae) ocorrente em caatinga e brejo de altitude (PE). 2005. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

LIMA, J. L. S. Plantas forrageiras das caatingas: uso e potencialidades. Petrolina: EMBRAPACPTASA/ PNE/RBG-KEW, 1996. 28 p.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 2002.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seeding emergence and vigor. Crop Science, Madison, v. 2, n. 2, p. 76-177, 1962.

MAIA, G. N. Catingueira. In: MAIA, G. N. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. São Paulo: Leitura e Arte, 2004. p. 159-169.

MEDEIROS, S. S. de. Sinopse do censo democrático para o semiárido brasileiro. Campina Grande: Instituto Nacional do Semiárido, 2012. 103 p.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho de plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. cap.2, p.1-24.

NUNES, Y.R.F. et al. Aspectos ecológicos da aroeira (myracrodruon urundeuva allemão - anacardiaceae): fenologia e germinação de sementes. Revista Árvore, Viçosa-MG, v.32, n.2, p.233-243, 2008.

OLIVEIRA, F. R. B, DE. Valor nutricional e consumo de plantas arbóreas, arbustivas e herbáceas nativas da caatinga. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) – Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF, Petrolina, 2010.

PINTO, M. S. C; CAVALCANTE, M. A. B; ANDRADE, M.V. M. Potencial forrageiro da caatinga, fenologia, métodos de avaliação da área foliar e o efeito do déficit hídrico sobre o crescimento de plantas. Revista Eletrônica de Veterinária – REDVET, España, v. 7, n. 04, 4 abril. 2006.

PRADO, D. As caatingas da América do Sul. In: LEAL, I.R. TABARELLI, M.; SILVA, J.M.C. (eds). Ecologia e conservação da Caatinga. Recife: Editora Universitária/ UFPE, 2003. P. 3-73.

PRISCO, T. J. Possibilidades de Exploração de Lavouras Xerófilas no Semiárido Brasileiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, p. 334-342, abr/1986.

RODAL, M. J. N.; MARTINS, F. R.; SAMPAIO, E. V. S. B. Levantamento quantitativo das plantas lenhosas em trechos de vegetação de caatinga em Pernambuco. Revista Caatinga, v.21, n.3, p.192-205, 2008.

SAMPAIO, E. V. S. B.; PAREYN, F. G. C.; FIGUEIRÔA, J. M. de; SANTOS JÚNIOR, A. G. (Ed.). Espécies da flora nordestina de importância econômica potencial. Recife: Associação Plantas do Nordeste, 2005. 331 p.

SILVA, R. M. A. da. ENTRE DOIS PARADIGMAS: combate à seca e convivência com o semiárido. Sociedade e Estado, Brasília, v. 18, n. 1, p. 361-385, out. 2003.

SILVA, R. M. A. da. Entre o combate à seca e a convivência com o semiárido: transições paradigmáticas e sustentabilidade do desenvolvimento. 2006. Tese (Doutorado) – Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

TOLEDO, F. F. & MARCOS FILHO, J. Manual de sementes: tecnologia da produção. São Paulo, Agronômica Ceres, 1977. 224 p.

TROLEIS, et al. Estudos do semiárido. 2 ed. Natal: EDUFRN, 2011. 168 p.

VALE, L.V.; ARAUJO FILHO, J. A. DE; ARRUDA, F. A.V. SERPA, M. B. M. Valor forrageiro da vagem de jurema preta. In: Revista da Sociedade Brasileira de Zootecnia. XXII. 1985. Camboriú. P. 237


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n48p119-127

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 416

Total de downloads do artigo: 242