Avaliação dos parâmetros fisiológicos e de alterações musculoesqueléticas em equinos de vaquejada, utilizando a termografia

Lucas Rafael de Andrade

Médico Veterinário Autônomo, Alexandria (RN) Brasil

José Gabriel Gonçalves Lins

ORCID iD Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Botucatu Brasil

Ana Valéria Mello de Souza Marques

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (IFAC), Campus de Sena Madureira Brasil

Resumo

Objetivou-se determinar os parâmetros fisiológicos de equinos atletas de vaquejada e avaliar o emprego da termografia infravermelha como ferramenta de auxílio ao diagnóstico precoce de lesões musculoesqueléticas decorrentes do treinamento físico desses animais. Foram utilizados 10 animais atletas da raça Quarto de Milha, machos e fêmeas, com idades entre 5 e 15 anos. Os animais foram divididos em dois grupos: animais da categoria puxada (G1) e animais da categoria esteira (G2). Foram determinados: frequência cardíaca (FC), frequência respiratória (FR), temperatura retal (TR), tempo de preenchimento capilar (TPC), movimentos intestinais e coloração das mucosas. Temperatura superficial (TS) foi obtida por meio da realização de projeções de cada animal com câmera termográfica FLIR® T10611. As variáveis foram mensuradas em três momentos: antes do treino (AT), imediatamente após o treino (PT) e duas horas após o treino (2h PT). As variáveis climáticas foram mensuradas com Data Loggers Hobo®. O índice de conforto térmico (IC) indicou que os animais se encontravam em conforto térmico durante os momentos avaliados. O esforço físico foi suficiente para causar alterações em alguns dos parâmetros avaliados: FC, FR, TR e TS. Na avaliação das termografias, observou-se um aumento da temperatura local na região de músculo semitendinoso em um dos animais avaliados. A utilização da câmera termográfica pode contribuir para a prevenção e para o diagnóstico precoce de lesões musculoesqueléticas de equinos de vaquejada.

Palavras-chave


Cavalo; Exercício; Lesões musculoesqueléticas; Termograma


Texto completo:

Referências


ABVAQ – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE VAQUEJADA. Regulamento Geral de Vaquejada. João Pessoa: ABVAQ, 2016. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1J38Zil0uYMCqa1IC9umCXf3cwBdUppbF/view. Acesso em: 22 abr. 2020.

ARAUJO, A. M. S. Treinamento e desempenho atlético de equinos (Revisão). PUBVET, v. 8, n. 18, p. 2173-2291, 2014. Disponível em: https://www.pubvet.com.br/uploads/0920d982d8923bd45c85e6c44f091a0f.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

BASILE, R. C. Metodologia de avaliação e análise de termografia em equinos. 2012. 102 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) – Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/11823. Acesso em: 10 mar. 2018.

BASILE, R. C. et al. Guia prático de exames termográficos em equinos. Revista Brasileira de Medicina Equina, v. 6, n. 31, p. 24-28, 2010. Disponível em: https://document.onl/documents/guia-pratico-de-exames-termograficos-em-equinos.html. Acesso em: 10 mar. 2018.

BELLO, C. A. O. et al. Avaliação ecocardiográfica de equinos após exercício de polo. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 32, n. 11, p. 1191-1195, 2012. DOI: 10.1590/S0100-736X2012001100020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pvb/v32n11/a20v32n11.pdf. Acesso em: 25 jun. 2019.

BOFFI, F. M. Fisiología del ejercicio en equinos. 1. ed. Buenos Aires: Inter-Médica, 2007. 320 p.

BOGOSSIAN, P. M. et al. Testes de esforço em cavalos: índices úteis ao ajuste do treinamento. Ciência Animal, v. 27, n. 1, p. 99-117, 2017. Disponível em: http://www.uece.br/cienciaanimal/dmdocuments/V27n1_p99a117RCA.pdf. Acesso em: 25 jun. 2019.

CHAVES, A. A. Avaliação dos parâmetros físicos vitais, hematológicos e bioquímicos de equinos Quarto de Milha submetidos à prova de três tambores com diferentes frequências de treinamento. 2016. 57 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) – Universidade Estadual Paulista, Araçatuba, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/143831/chaves_aa_me_araca_int_sub.pdf?sequence=4&isAllowed=y. Acesso em: 25 jun. 2019.

DE GRAAF-ROELFSEMA, E. et al. Hormonal responses to acute exercise, training and overtraining: a review with emphasis on the horse. Veterinary Quarterly, v. 29, n. 3, p. 82-101, 2007. DOI: 10.1080/01652176.2007.9695232. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/01652176.2007.9695232. Acesso em: 22 abr. 2020.

EVANS D. L. Cardiovascular adaptations to exercise and training. Veterinary Clinics of North America: Equine Practice, v. 1, n. 3, p. 513-531, 1985. DOI: 10.1016/S0749-0739(17)30748-4. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0749073917307484?via%3Dihub. Acesso em: 10 mar. 2018.

FARINELLI, F. Recursos fisioterapêuticos em medicina equina (Revisão de Literatura). 2010. 37 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Medicina Veterinária) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/SMOC-9JXGHP/1/monografia_pdf.pdf. Acesso em: 22 abr. 2020.

FEITOSA, F. L. F. Semiologia veterinária: a arte do diagnóstico. 3. ed. São Paulo: Roca, 2014. 644 p.

GERARDI, B. et al. Use of infrared thermography in Quarter Horse submitted to team roping. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 39, n. 7, p. 530-537, 2019. DOI: 10.1590/1678-5150-pvb-5790. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pvb/v39n7/1678-5150-pvb-39-07-530.pdf. Acesso em: 22 abr. 2020.

GOMES, C. L. N. et al. Parâmetros fisiológicos e bioquímicos de equinos em treinamento de três tambores: pós-condicionamento, pós-percurso e pós-descanso. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 71, n. 2, p. 631-639, 2019. DOI: 10.1590/1678-4162-10270. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/abmvz/v71n2/1678-4162-abmvz-71-02-631.pdf. Acesso em: 22 abr. 2020.

HODGSON, D. R. Thermoregulation. In: HODGSON, D. R.; MCKEEVER, K. H.; MCGOWAN, C. M. (ed.). The Athletic Horse: Principles and Practice of Equine Sports Medicine. 2nd. ed. St. Louis: Saunders Elsevier, 2014. p. 108-124.

HODGSON, D. R.; DAVIS, R.E.; MCCONAGHY, F. F. Thermoregulation in the horse in response to exercise. British Veterinary Journal, v. 150, n. 3, p. 219-235, 1994.

JACKSON, P.; COCKCROFT, P. Clinical Examination of Farm Animals. 1. ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2002. 320 p.

JONES, S. Horseback riding in the dog days. Animal Science e-News, v. 2, n. 3, p. 3-4, 2009.

LACOMBE, V. A.; HINCHCLIFF, K. W.; TAYLOR, L. E. Interactions of substrate availability, exercise performance, and nutrition with muscle glycogen metabolism in horses. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 223, n. 11, p. 1576-1585, 2003. DOI: 10.2460/javma.2003.223.1576. Disponível em: https://avmajournals.avma.org/doi/abs/10.2460/javma.2003.223.1576. Acesso em: 21 abr. 2018.

LEE, J. A.; ROUSSEL, J. D.; BEATTY, J. F. Effect of temperature-season on bovine adrenal cortical function, blood cell profile, and milk production. Journal of Dairy Science, v. 59, n. 1, p. 104-108, 1976. DOI: 10.3168/jds.S0022-0302(76)84163-X. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S002203027684163X. Acesso em: 21 abr. 2018.

LIMA, T. K. L. Avaliação dos aprumos na seleção de cavalos de competição da modalidade de três tambores. 2016. 35 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) – Universidade Federal do Maranhão, Chapadinha, 2016. Disponível em: https://monografias.ufma.br/jspui/handle/123456789/842. Acesso em: 22 abr. 2020.

MACHADO, L. F. S. Padronização do exame termográfico das articulações de cavalos atletas hígidos e com artropatias. 2011. 91 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/48436. Acesso em: 18 jun. 2019.

MARCONDES, E. Determinação das variações de frequência cardíaca em cavalos de salto na região de Dourados-MS. Webartigos, 8 dez. 2009. Disponível em: https://www.webartigos.com/artigos/determinacao-das-variacoes-de-frequencia-cardiaca-em-cavalos-de-salto-na-regiao-de-dourados-ms/29606. Acesso em: 19 abr. 2018.

MARQUES, M. S. et al. Influência do exercício físico sobre os níveis de lactato plasmático e de cortisol sérico em cavalos de corrida. A Hora Veterinária, v. 22, n. 129, p. 29-32, 2002.

MATTOS, F. et al. Uso de óleo na dieta de equinos submetidos ao exercício. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 35, n. 4, p. 1373-1380, 2006. DOI: 10.1590/S1516-35982006000500017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbz/v35n4/17.pdf. Acesso em: 19 abr. 2018.

MCCUTCHEON, L. J.; GEOR, R. J. Thermoregulation and exercise-associated heat stress. In: HINCHCLIFF, K. W.; GEOR, R. J.; KANEPS, A. J. Equine exercise physiology: The science of exercise in the athletic horse. Philadelphia: Saunders Elsevier, 2008. p. 382-396.

MENDONÇA, M. F. F. Determinação dos parâmetros fisiológicos e utilização da câmera termográfica para diagnosticar lesões em equinos de salto na cidade de João Pessoa-PB. 2014. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) – Universidade Federal de Campina Grande, Patos-PB, 2014. Disponível em: http://www.cstrold.sti.ufcg.edu.br/grad_med_vet/mono_2014_1/mono_mucio_fernando_ferraro_de_mendonca.pdf. Acesso em: 18 jun. 2019.

MOURA, D. J. et al. Uso da termografia infravermelha na análise da termorregulação de cavalo em treinamento. Engenharia Agrícola, v. 31, n. 1, p. 23-32, 2011. DOI: 10.1590/S0100-69162011000100003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/eagri/v31n1/v31n1a03.pdf. Acesso em: 21 abr. 2018.

OLIVEIRA, K. et al. Dinâmica da temperatura da pele de equinos durante atividade física por meio da termografia. Brazilian Journal of Biosystems Engineering, v. 12, n. 4, p. 327-332, 2018. DOI: 10.18011/bioeng2018v12n4p327-332. Disponível em: http://seer.tupa.unesp.br/index.php/BIOENG/article/view/717/387. Acesso em: 18 jun. 2019.

REDAELLI, V. et al. The use of Infrared Thermography (IRT) as stress indicator in horses trained for endurance: a pilot study. Animals, v. 9, n. 3, art. 84, 2019. DOI: 10.3390/ani9030084. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6466296/pdf/animals-09-00084.pdf. Acesso em: 20 abr. 2020.

RIBEIRO, N. L. et al. Avaliação dos índices de conforto térmico, parâmetros fisiológicos e gradiente térmico de ovinos nativos. Engenharia Agrícola, v. 28, n. 4, p. 614-623, 2008. DOI: 10.1590/S0100-69162008000400001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/eagri/v28n4/01.pdf. Acesso em: 21 abr. 2018.

SALA, L. C. C.; ELUI, M. C.; JARDIM, M. C. Avaliação termográfica da musculatura pélvica de equinos da modalidade esportiva de três tambores. PUBVET, v. 6, n. 29, p. 1436-1442, 2012. Disponível em: https://www.pubvet.com.br/uploads/c1f535244a37aac8631909ba48ac4ce3.pdf. Acesso em: 21 abr. 2018.

SANTOS, V. P. Variações hemato-bioquímicas em equinos de saltos submetidos a diferentes protocolos de exercício físico. 2006. 95 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: https://www.ufrgs.br/lacvet/publicacoes/variacoes-hemato-bioquimicas-em-equinos-de-salto-submetidos-a-diferentes-protocolos-de-exercicio-fisico/. Acesso em: 18 jun. 2019.

SIMON, E. L. et al. Influence of exercise on thermographically determined surface temperatures of thoracic and pelvic limbs in horses. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 229, n. 12, p. 1940-1944, 2006. DOI: 10.2460/javma.229.12.1940. Disponível em: https://avmajournals.avma.org/doi/full/10.2460/javma.229.12.1940?url_ver=Z39.88-2003&rfr_id=ori:rid:crossref.org&rfr_dat=cr_pub%20%200pubmed. Acesso em: 21 abr. 2018.

SOUSA, R. A. et al. Effect of vaquejada exercise on the physiological and biochemical profiles of sporadic competitors and athletic horses. Acta Veterinaria Brasilica, v. 12, n. 1, p. 17-23, 2018. DOI: 10.21708/avb.2018.12.1.7231. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/acta/article/view/7231. Acesso em: 22 abr. 2020.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n50p80-89

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1397

Total de downloads do artigo: 2225