Análise e validação de uma escala de Otimismo para a realidade brasileira

Anna Cecília Chaves Gomes

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Anderson Luiz Rezende Mól

ORCID iD Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Brasil

Mayara Carla Marques

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Resumo

O presente estudo se propôs a apresentar contribuições referentes ao viés do Otimismo, com o objetivo de analisar e validar uma escala para o Otimismo na população brasileira. Para tanto, foi usada a escala TOV-R, utilizada em outros países e, embora já traduzida para o Brasil, não teve sua validade de construto testada na ocasião. Em relação à amostra, esta foi composta por 2.843 indivíduos. O tratamento estatístico dos dados se deu por meio de Análises Fatoriais Exploratórias (AFE), em que testou-se o Alfa de Cronbach (α), com resultado de 0,654 para o fator Otimismo e 0,609 para o Pessimismo, indicando confiabilidade. Posteriormente, foram realizadas Análises Fatoriais Confirmatórias (AFC), nas quais percebeu-se a correlação significativa negativa entre os fatores Otimismo e Pessimismo, algo já esperado devido ao antagonismo entre os fatores. Não foi possível, no entanto, a validação de construto, por não haver validação convergente e discriminante para os fatores Otimismo e Pessimismo.

 

Palavras-chave


Vieses; Otimismo; Validação de escalas; Construto


Texto completo:

Referências


BANDEIRA, M et al. Validação transcultural do teste de orientação da vida (TOVR). Estud. Psicol. (natal), v. 7, n. 2, p. 251-258, jul. 2002. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-294x2002000200006.

BARBER, B. M.; ODEAN, T. Boys will be boys: gender, overconfidence, and common stock investmen. The Quarterly Journal Of Economics, v. 116, n. 1, p. 261-292, fev. 2001.

BARROS, L. A. B. de C.; SILVEIRA, A. M. Excesso de Confiança, Otimismo Gerencial e os Determinantes da Estrutura de Capital. Revista Brasileira de Finanças, v. 6, n. 3, p. 293-334, 2008.

BORSA, J. C.; DAMÁSIO, B.; KOLLER, S. H. Escala de Positividade (EP): Novas Evidências de Validade no Contexto Brasileiro. Psico-usf, v. 21, n. 1, p. 1-12, abr. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-82712016210101.

BOTELHO, A. S. C.; PEREIRA, M. G.. Qualidade de vida, otimismo, enfrentamento, morbidade psicológica e estresse familiar em pacientes com câncer colorrectal em quimioterapia. Estudos de Psicologia, v. 20, n. 1, p. 51-60, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1678-4669.20150007.

BYRNE, B. M. Structural Equation Modeling with AMOS: Basic Concepts, Applications, and Programming. 2. ed. New York: Routledge –Taylor & Francis G., 2010.

CHANG, L.; MCBRIDE-CHANG, C. The Factor Structure of the Life Orientation Test. Educational And Psychological Measurement, v. 56, n. 2, p. 325-329, 1 abr. 1996. DOI: http://dx.doi.org/10.1177/001316449605600201.

DEJOY, D. The Optimism Bias and Traffic Accident Risk Perception. Accid. Anal. & Prev., v. 21, n. 4, p. 333-340, 1989.

EVANS, J. St B. T. Heuristic and analytic processes in reasoning. British Journal of Psychology, v. 75, n. 4, p. 451-468, nov. 1984. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/j.2044-8295.1984.tb01915.x.

FEITOSA, A.; SILVA, P. R.; SILVA, D. R. A influência de vieses cognitivos e motivacionais na tomada de decisão gerencial: Evidências empíricas em uma empresa de construção civil brasileira. Revista de Negócios, v. 19, n. 3, p. 3-22, 2 out. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1980-4431.2014v19n3p3-22.

GLAESMER, Heide et al. Psychometric properties and population-based norms of the Life Orientation Test Revised (LOT-R). British Journal Of Health Psychology, [s.l.], v. 17, n. 2, p.432-445, 21 jul. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/j.2044-8287.2011.02046.x.

GRIFFIN, D.; TVERSKY, A. The Weighing of Ecidence and Determinants of Confidence. Cognitive Psychology, v. 24, p. 411-435, 1992.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HARRIS, A. J. L.; HAHN, U. Unrealistic Optimism About Future Life Events: A Cautionary Note. Psychological Review, v. 118, n. 1, p. 135-154, 2011.

HJELLE, L. A.; BUSCH, E. A.; WARREN, J. E. Explanatory Style, Dispositional Optimism, and Reported Parental Behavior. The Journal Of Genetic Psychology, v. 157, n. 4, p. 489-499, dez. 1996. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/00221325.1996.9914881.

KAHNEMAN, D. Rápido e Devagar: duas formas de pensar. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012. 610 p.

KAHNEMAN, D.; FREDERICK, S. Representativeness revised: Attribute substitution in intuitive judgment. In: GILOVICH, T.; GRIFFIN, D.; KAHNEMAN, D. Heuristics of Intuitive Judgment: Extensions and Applications. New York: Cambridge University Press, 2002.

KYLE, A. S.; WANG, F. A. Speculation Duopoly with Agreement to Disagree: Can Overconfidence Survive the Market Test? The Journal of Finance, v. 53, n. 5, p. 2073-2090, dez. 1997.

LAI, J. C. L. et al. The Utility of the Revised Life Orientation Test to Measure Optimism among Hong Kong Chinese. International Journal Of Psychology, v. 33, n. 1, p. 45-56, fev. 1998. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/002075998400600.

MARÔCO, J. Análise de Equações Estruturais: Fundamentos Teóricos, Software & Aplicações. 2. ed. Pêro Pinheiro: Report Number, 2014. 389 p.

MYERS, L. B.; STEED, L. The relationship between dispositional optimism, dispositional pessimism, repressive coping and trait anxiety. Personality And Individual Differences, v. 27, n. 6, p. 1261-1272, dez. 1999. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/s0191-8869(99)00071-9

PALLIER, G., et. al. The Role of Individual Differences in the Accuracy of Confidence Judgments. The Journal of General Psychology, v. 129, n. 3, p. 257- 299, 2002.

PIMENTA, D. P.; BORSATO, J. M. L. S.; RIBEIRO, K. C. S. Um estudo sobre a influência das características sociodemográficas e do excesso de confiança nas decisões dos investidores, analistas e profissionais de investimento à luz das finanças comportamentais. Rege – Revista de Gestão de Empresas, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 261-278, abr. 2012.

REPPOLD, C. T. et al. Características clínicas e psicológicas de pacientes asmáticos de um Ambulatório de Pneumologia. Psico-usf, v. 19, n. 2, p.199-208, ago. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413- 82712014019002005.

RIGONI, P. A. G. et al. Orientação de vida e comportamentos de risco para a saúde em universitários: uma análise sob o olhar da psicologia positiva. Revista da Educação Física/uem, v. 23, n. 3, p. 361-368, 30 set. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v23i3.16856.

SCHEIER, M. F.; CARVER, C. S. Optimism, coping, and health: Assessment and implications of generalized outcome expectancies.. Health Psychology, v. 4, n. 3, p. 219-247, 1985. DOI: http://dx.doi.org/10.1037/0278-6133.4.3.219.

SCHEIER, M. F.; CARVER, C. S.; BRIDGES, M. W. Distinguishing Optimism From Neuroticism (and Trait Anxiety, Self-Mastery, and Self-Esteem): A Reevaluation of the Life Orientation Test. Journal Of Personality And Social Psychology, v. 67, n. 6, p. 1063-1078, 1994

SILVA, E. L. de; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. Rev. Atual. Florianópolis: UFSC, 2005.

TAYLOR, S. E.; BROWN, J. D. Illusion and well-being: A social psychological perspective on mental health. Psychological Bulletin, v. 103, n. 2, p. 193-210, 1988. DOI: http://dx.doi.org/10.1037/0033-2909.103.2.193

VERA-VILLARROEL, P.; CÓRDOVA-RUBIO, N.; CELIS-ATENAS, K.. Evaluación del optimismo:: un análisis preliminar del Life Orientation Test versión revisada (lot-r) en población chilena. Universitas Psychologica, Santiago, v. 8, n. 1, p. 61- 68, jan. 2009.

WEINSTEIN, N. D. Unrealistic Optimism About Life Events. Journal of Personality and Social Psychology, v. 39, n. 5, p. 806-820, 1980.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n45p112-121

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1056

Total de downloads do artigo: 728