Perfil do consumidor de alimentos integrais na cidade de Cuiabá/MT

José Paulo Araújo Siquieri

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) Brasil

Gabriel Silvério Filbido

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) Brasil

Alencar Garcia Bacarji

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) Brasil

Resumo

O alimento integral é aquele definido como pouco ou não processado, sendo esse rico em nutrientes como as fibras. A pesquisa objetivou analisar o perfil do consumidor dos alimentos integrais, juntamente com a determinação dos fatores que motivam esse consumo. Além disso, buscou-se verificar se há uma relação entre consumo de alimentos integrais com a preocupação com a saúde do consumidor. Para o desenvolvimento da pesquisa foi realizada uma pesquisa qualitativa exploratória, dividida em duas etapas. A primeira composta por um desk research em livros, revistas científicas e web. A segunda etapa compreendeu em um estudo empírico por meio da aplicação de um questionário estruturado. Os resultados da pesquisa permitem observar a interação entre a alimentação e a saúde dos consumidores em relação ao consumo desse tipo de alimento. Acrescido a esse resultado, foi possível constatar que há uma correspondência entre o grau de instrução com o consumo desse tipo de produto, além dos motivos que influenciam ou não o consumo dos alimentos integrais.

Palavras-chave


alimento integral; consumidores; saudabilidade


Texto completo:

Referências


ANTON, A. A.; DE FRANCISCO, A.; HAAS, P. Análise físico-química de pães da cidade de Florianópolis e a situação dos alimentos integrais no Brasil. Alimentos e Nutrição Araraquara. v. 17, n. 4, p. 381-386, 2009.

BEARDSWORTH, A. et al. Women, men and food: the significance of gender for nutritional attitudes and choices. British Food Journal. v. 104. n. 7. p. 470-491, 2002.

BRASIL. Resolução CNNPA nº 12, de 24 de julho de 1978. Aprova regulamento técnico para fixação de identidade e qualidade de biscoitos e bolachas. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 1978.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Secretaria de Atenção à Saúde. Glossário temático: alimentação e nutrição. Brasília. Editora do Ministério da Saúde, 2008. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/glossario_alimenta.pdf.

BRASIL. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Ministério da saúde, 2017.

BRASILIA. Alimentação e Nutrição no Brasil. 2007.

CARVALHO, C. A. et. al., Consumo alimentar e adequação nutricional em crianças brasileiras: revisão sistemática. Revista Paulista de Pediatria. V. 33, p. 211-221, 2015.

COELHO, A. B.; AGUIAR, D. R. D.; FERNANDES, E. A. Padrão de consumo de alimentos no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural. v. 47, n. 2, p. 335-362, 2009.

FIESP; IBOPE. Pesquisa Nacional Fiesp/IBOPE sobre perfil do consumo de alimentos no Brasil. Brasil Food Trends 2020. Disponível em: http://www.abic.com.br/media/EST_PESQFoodTrendsl.pdf. Acesso em: 27 mai 2018.

FISCHLER, C. Food, self and identity. Social Science Information, v. 27, n. 2, 1988, p. 275–292.

FOTOPOULOS, C. et al. Food choice questionaire (FCQ) revisited: Suggestions for the development of an enhanced general food motivation model. Appetite, n. 52, p. 199-208, 2009.

FRANCISCO, T. R. Alimentos integrais e mudanças de hábitos alimentares em acadêmicos de um curso de nutrição. Criciúma, SC. 2012.

GALDEANO, M. C. Os grãos integrais estão fazendo bem? Brasil, 2012.

GOMES, A. N. O novo consumidor de produtos naturais: consumindo conceitos muito mais do que produtos. ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing. 2009.

KOTLER, P. Administração de marketing. 10ª edição. São Paulo: Prentice Hall, 2000. 764p.

LANDSTRÖM, E.; HURSTI, U.-K. K.; BECKER, W.; MAGNUSSON, M. Use of Functional Foods among Swedish Consumers is Related to Health-Consciousness and Perceived Effect. British Journal of Nutrition, v. 98, n. 5, 2007, p.1058-1069.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 3. Ed. Porto Alegre: Brookman, 2001. 311p.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996.

MARQUEZ, D. S. et al. A influência do marketing nutricional na obesidade infantil. Faculdade Atenas, PACARATU, MG, 2013.

DE MOURA, A. F.; MASQUIO, D. C. L. A influência da escolaridade na percepção sobre alimentos considerados saudáveis. Revista de Educação Popular. v. 13, n. 1, p. 82-94, 2014.

DE QUEIROZ MIRANDA, J, M,. et. al. Prevalência de sobrepeso e obesidade infantil em instituições de ensino: públicas vs. privadas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. V. 21, n. 2, Mar/Abr, 2015.

OZEN, A. PONS, A. TUR, J. Worldwide consumption of functional foods: a systematic review, Nutrition Reviews. v. 70, n. 8, p. 472-481, 2012.

PÃO DE AÇUCAR. Salgadinhos e Snacks, disponível em: https://www.paodeacucar.com/produto/221126/salgadinho-de-milho-sabor-presunto-fandangos-59g. Acesso em 07 de novembro de 2017.

POZZO, D. M. O perfil do consumidor de alimentos funcionais: um estudo bibliográfico das tendências mundiais. Revista Cadeia Produtiva. v. 1, n. 1, 2012.

SILVA, O. Introdução Teórica – Obesidade. Repositório Aberto, U. Porto, Universidade do Porto, Porto. PT. 2011.

SOUSA, A, A. Perfil do consumidor de alimentos orientado para a saúde no Brasil. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós Graduação Multiinstitucional em Agronegócios. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Departamento de Economia e Administração, 2006. 240p.

VITAO, Lanches. Disponível em: http://vitao.com.br/snaks-integral-de-queijo/p. Acesso em 07 de novembro de 2017.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005. 212 p.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n41p180-189

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1761

Total de downloads do artigo: 2148