Avaliação dos impactos da seca no Perímetro Irrigado de São Gonçalo-PB

Eliezer da Cunha Siqueira

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Semirames do Nascimento Silva

ORCID iD Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) / Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Francisco Guimarães Lopes

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Francisco Edu de Andrade

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Caio Braga Ferreira

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar os impactos econômicos, sociais e ambientais causados pela seca no Perímetro Irrigado de São Gonçalo, Paraíba. O estudo foi desenvolvido no Perímetro Irrigado de São Gonçalo (PISG), situado no distrito de São Gonçalo, próximo à cidade de Sousa, estado da Paraíba. O delineamento empreendido para a realização da pesquisa foi baseado na aplicação de questionário aos colonos do Perímetro, em visitas in loco e no levantamento de dados por meio de referências na literatura. O Perímetro Irrigado de São Gonçalo teve uma grande redução na produção de coco e banana, que representam as principais culturas exploradas no Perímetro. Além da perda da produção, a seca ocasionou outros problemas para os produtores, tais como seu empobrecimento e endividamento a partir de empréstimos a bancos. Constataram-se, também, grandes problemas sociais, como a falta de emprego, o aumento no número de assaltos e a saída dos filhos dos colonos para os centros urbanos e para outros estados, provocando o êxodo rural. Foram verificados, ainda, problemas ambientais, como o aumento do uso de agrotóxicos, que causam sérios dados ao solo, à água, aos animais, às plantas e ao ser humano.

Palavras-chave


Água; Efeitos; Escassez


Texto completo:

Referências


AESA. Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba. Monitoramento dos Volumes dos Açudes (Tabelas e Gráficos), 2015. Disponível em: http://www.aesa.pb.gov.br/. Acesso em: 20 nov. 2016.

ALMEIDA, M. D. M. Crise hídrica: Um estudo sobre o desempenho econômico-financeiro das empresas brasileiras de saneamento diante de escassez de água. 2016. 148 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis e Atuariais)–PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO, PUC-SP, 2016.

DINIZ, A. S. A construção dos perímetros irrigados e a criação de novas territorialidades no sertão. In: ELIAS, D.; SAMPAIO, L. F.;

DINIZ, A. S. Modernizações excludentes. Coleção paradigmas da agricultura Cearense. Fortaleza: Edições Democráticas Rocha, 2002. p. 39-59.

DUARTE, R. Seca, pobreza e políticas públicas no Nordeste, 2010. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/gt/20101030020 924/16duarte.pdf. Acesso em: 28 jan. 2017.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa solos, 2006, 306 p.

FARIAS, E. E. V. de. Distribuição da água do projeto de integração do rio São Francisco no Estado da Paraíba – eixo leste: analise de perdas. 2009. 143 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental)–Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2009.

GURJÃO, K. C. O. et al. Avaliação das condições ambientais do açude de São Gonçalo – PB. Revista Brasileira de Agroecologia, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 2234-2235, 2009.

G1, 2015. Jornal Hoje. Secas que atingem o nordeste. Disponível em: http://g1.globo.com/jornal- hoje/noticia/2015/06/seca-que-atinge-o-nordeste-chega-ao-grandes-centros-urbanos.html. Acesso em: 10 nov. 2016.

PEREIRA, G. R.; CUELLAR, M. D. Z. Conflitos pela água em tempos de seca no Baixo Jaguaribe, Estado do Ceará. Revista Estudos Avançados, v. 29 n. 84, p. 115-137, 2015.

PIMENTEL, M. Água: fonte de geração de vida, riqueza e de lucro. 2007. Disponível em: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/leia/reportagens-artigos/reportagens/459-agua-fonte-de-vida-e-de-lucro. Acesso em: 20 out. 2016.

RATTNER, H. Liderança para uma sociedade sustentável. São Paulo: Nobel, 1999.

SAMPAIO, Y. S. B.; SAMPAIO, G. R. Um modelo dos impactos da Seca sobre a economia do Semi-Árido. In: ENCONTRO REGIONAL DE ECONOMIA, 15., 2010. Fortaleza. Anais... Encontro Regional de Economia, 2010. Disponível em: http://www.bnb.gov.br/content/aplicacao/evnos/forumbnb2010/docs/um-modelo.pdf. Acesso em: 28 jan. 2017.

SILVA, C. H, R. T. Recursos hídricos e desenvolvimento sustentável no Brasil. Boletim do legislativo nº 23, de 2012. Brasília, 2012. Disponível em: https://www12 .senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/outras-publicacoes /temas-e-agendas-para-o-desenvolvimento-sustentavel/recursos-hidricos-edesenvolvimento-sustentavel-no-brasil. Acesso em: 02 jan. 2018.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n40p21-27

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1247

Total de downloads do artigo: 1627