Uma análise do ensino de química na Escola Estadual de Ensino Médio Mestre Júlio Sarmento frente aos Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino médio

Francisca Alany Bonifácio

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Anderson Savio de Medeiros Simões

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Sousa Brasil

Resumo

É perceptível a grande diferença existente entre o atual ensino de química e o ensino proposto pelos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM). Enquanto o primeiro continua respaldado na memorização e na preparação do aluno para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), o segundo propõe um ensino interdisciplinar. Diante de tal realidade, faz-se necessária uma discussão sobre essa grande diferença existente entre a prática de ensino, defendida no PCNEM, e o atual ensino de química. De modo a verificar essa realidade, o principal objetivo deste trabalho foi identificar os fatores que determinam ou que contribuem para a ocorrência das divergências e das semelhanças entre o ensino de química oferecido na Escola Estadual de Ensino Médio Mestre Júlio Sarmento, da cidade de Sousa-Paraíba, e as propostas dos PCNEM. A pesquisa teve um caráter explicativo e foi realizada por meio de levantamento de dados, utilizando um questionário como instrumento de coleta de informações. Os sujeitos da pesquisa foram os cinco professores responsáveis pela disciplina de química no ensino médio da referida escola. Após a análise dos dados, verificou-se que os fatores que mais contribuem para as divergências são: o currículo extenso do ensino médio, a superlotação de salas e a falta de interesse por parte dos alunos. Sobre as semelhanças com as propostas do documento, é possível afirmar que o fator que mais se assemelha é a contextualização do ensino de química, diante das metodologias utilizadas pelos professores, dando ao aluno a oportunidade de estudar conceitos químicos a partir de acontecimentos cotidianos.

Palavras-chave


Ensino de Química; PCNEN; EEEM Mestre Júlio Sarmento; Contextualização; Interdisciplinaridade.


Texto completo:

Referências


ANTUNES, C. Como desenvolver as competências em sala de aula. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Parte III: Ciências da Natureza Matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC. SEMTEC, 2000a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Parte I: Bases Legais. Brasília: MEC. SEMTEC, 2000b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCNs + Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, SEMTEC, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica Resumo Técnico 2013. Brasília, DF, 2014.

CRUZ, C. H. C. Competências e Habilidades: da proposta a prática. 5. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

DIAS, I. S. Competências em Educação: conceito e significado pedagógico. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 14, n. 1, p. 73-78, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LÜCK, H. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos. 14. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MORAN, J. E. A Educação que Desejamos. São Paulo: Papirus, 2008.

NUNES, A. O.; NUNES, A. O. PCN – Conhecimentos de Química, um olhar sobre as orientações curriculares oficiais. Holos, v. 2, p. 105-113, 2008.

PERRENOUD, F. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

RIBEIRO, M. E. M.; FANTINEL, M.; RAMOS, M. G. Um estudo sobre referências curriculares de química em escolas Brasileiras. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR, 8., 2012, Havana. Anais... Havana, Cuba. 2012.

RICARDO, E. C. Implementação dos PCN em sala de aula: Dificuldades e possibilidades. Física na Escola, v. 4, n. 1, p. 8-11, 2003.

SANTOS, W. L. S.; MALDANER, O. A. (Org.). Ensino de química em foco. Coleção educação em química. Ijuí: Editora Unijaí, 2010.

SANTOS, W. L. P.; MÓL, G. S. (Org.). Química e Sociedade. Manual do Professor. São Paulo: Nova Geração, 2005.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. Reportagens TPE, 2014. Disponível em http:// http://www.todospelaeducacao.org.br/reportagens-tpe/30096/483-dos-professoresensino-medio-tem-licenciatura-nadisciplinaque-ministram. Acesso em: 14 nov. 2014.

ZANON, L. B. Tendências curriculares no ensino de Ciências/Química: um olhar para a contextualização e a interdisciplinaridade como princípios da formação escolar. Campinas: Editora Átomo, 2008.

ZANON, L. B.; MALDANER, O. A. (Org.). Fundamentos e propostas de ensino de química para a educação básica no Brasil. Coleção educação em química. Ijuí: Editora Unijuí, 2012.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n31p41-52

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 2139

Total de downloads do artigo: 1650