O corpo da cena no balé clássico: entre técnicas, expressividade e imitações prestigiosas

Kátia Silva Souza dos Anjos

Centrou Universitário Senac-SP Brasil

Marília Velardi

Universidade de São Paulo (USP)

Régia Cristina Oliveira

Universidade de São Paulo (USP) Brasil

Resumo

Considered as one of the possibilities of performing arts, the classical ballet can be understood as a way in which stories depend on characters who, without the use of words, enact stories which are typical of the traditional repertoire. This text aims to discuss issues related to the body of the scene, the scenic body of the artist in classical ballet. In order to do so, we conducted a qualitative investigation and used the observation of ballet shows and ten semistructured interviews with Brazilian professional dancers as investigation techniques. The testimonies of the classical professional dancers were the material that allowed the analyzes of the speeches. Based on the analyzes, we highlight the following results: the existence of a prestigious imitation among the dancers who were interviewed; the existence of an “extracotidiano 1” body in classical ballet; the existence of explicit and implicit techniques in ballet. The study is based upon a theoretical perspective that takes not only the body of classical ballet and its techniques, but the human body itself and its techniques as sociocultural reality, produced in culture, according to rules and values defined by this reality and the social field that builds them.

Palavras-chave


Scenic body. Classical ballet. Techniques.


Texto completo:

Referências


ANJOS, K. S. S. dos; OLIVEIRA, R. Cristina; VELARDI, M. A construção do corpo ideal no balé clássico: uma investigação fenomenológica. Rev. bras. educ. fís. esporte, São Paulo, v. 29,n. 3, p. 439-452, set. 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/1807-55092015000300439.

ANJOS, K. S. S. dos. O corpo cênico do balé clássico: um estudo a partir de relatos de bailarinos (as) clássicos (as) brasileiros (as). São Paulo, 2017. Dissertação (Mestrado) - Escola de artes, ciências e humanidades, Universidade de São Paulo, 2017

BARBA, E. Anthropologie Théâtrale. In Barba, E. Savarese, N. Anatomie de l’acteur. Gazillac: Bouffonneries -Contrastes, 1985.

BERTHOLD, M. História Mundial do teatro. 6ed. São Paulo: Perspectiva, 2014

BICUDO, M. A. V. B. A pesquisa qualitativa olhada para além dos seus procedimentos. In: BICUDO, M. A. V. B. (org.). Pesquisa qualitativa segundo a visão fenomenológica. São Paulo: Cortez, 2011.

BOURDIEU, P. As regras da arte, génese e estrutura do campo literário. Lisboa. Editorial Presença. 1996.

________________. Os três estados do capital cultural. In: Catani e Nogueira (Org.)Escritos da Educação. Petrópolis: Vozes, 1999

________________. O mercado de bens simbólicos. In Bourdieu, Pierre (org. Sergio Miceli).A Economia das Trocas Simbólicas. São Paulo, Perspectiva, 2007.

DA MATTA, R. O ofício de etnólogo, ou como ter “anthropological blues” In: Nunes, ED(org). A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978,p. 23-35.

HAAS, A. N.; GARCIA, A. C. D.; BERTOLETTI, J. Imagem corporal e bailarinas profissionais. Rev Bras Med Esporte, Niterói, v. 16, n. 3, p. 182-185, June 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 Aug. 2017.

LE BRETON, D. As paixões ordinárias: antropologia das emoções. Petrópolis: Vozes, 2009.MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

RANIERI, L. P.; BARREIRA, C. R. A. A entrevista fenomenológica. In: IV Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos Qualitativos, 2010, Rio Claro. Anais… São Paulo: SEPQ; Rio Claro: Universidade estadual paulista, 2010. ISBN – 978-85-98623-04-7. Disponível em: http://www.sepq.org.br/Ivsipeq/anais/artigos/46.pdf. Acesso em 30 jul.2016

STRAZZACAPPA, M.; MORANDI, C. Entre a arte e a docência: a formação do artista da dança. Campina, SP: Papirus, 2015.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n48p201-209

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 260

Total de downloads do artigo: 165