Tecnologia Assistiva no processo de ensino-aprendizagem de Surdos

Queila Pahim da Silva

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) Brasil

Núbia Flávia Oliveira Mendes

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) Brasil

Sylvana Karla da Silva de Lemos Santos

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) Brasil

Resumo

O presente artigo tem como objetivo identificar a importância da Tecnologia Assistiva na educação de Surdos em uma instituição de ensino da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Trata-se de um estudo de caso, com pesquisa bibliográfica e a aplicação de entrevista com questionário a quatro setores da instituição: gestão, docência, estudantes Surdos e um Tradutor/Intérprete de Língua de Sinais. Os resultados indicam que, apesar da difusão e popularização das mídias sociais, há diferenças no entendimento dos respondentes quanto à Tecnologia Assistiva (TA), o que reflete a falta de efetivação entre o que a gestão percebe ser feito a favor dos estudantes Surdos pelo uso da TA, o que o professor acredita estar fazendo para esses estudantes e o que o Tradutor e Intérprete de Língua de Sinais e os discentes Surdos vivenciam na sala de aula.

Palavras-chave


Educação de Surdos; Mídias; Tecnologia Assistiva


Texto completo:

Referências


AMORIM, M. L. C.; SOUZA. F. F.; GOMES. A. S. Educação a distância para surdos: acessibilidade de plataformas virtuais de aprendizagem. Curitiba: Appris, 2016.

BELLONI, M. L. Educação para a mídia: missão urgente da escola. Comunicação e Sociedade, São Paulo, v. 10, n. 17, p. 36-46, 1991. DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v39n17p33-46. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO/article/view/8338. Acesso em: 20 out. 2019.

BERENZ, N. Surdos venceremos: the rise of the brazilian deaf community. In: MONAGHAN, L. et al. (org.). Many Ways to Be Deaf: International Variation in Deaf Communities. Washington, DC: Gallaudet University Press, p. 173-193, 2003.

BÉVORT, E.; BELLONI, M. L. Mídia-Educação: conceitos, história e perspectivas. Educ. Soc., Campinas, SP, v. 30, n. 109, p. 1081-1102, set./dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302009000400008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 9 jun. 2019.

BRASIL. Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Brasília: Casa Civil, 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em: 13 jun. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.296, de 02 de dezembro de 2004. Brasília, DF: Presidência da República, 2004. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=03/12/2004&jornal=1&pagina=5. Acesso em: 18 dez. 2019.

BRASIL. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Comitê de Ajudas Técnicas. Tecnologia Assistiva. Brasília, DF: Presidência da República, 2009. Disponível em: https://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/publicacoes/livro-tecnologia-assistiva.pdf. Acesso em: 9 jun. 2019.

BRIGGS, A.; BURKE, P. Uma história social da mídia: de Gutenberg à internet. Tradução: Maria Carmelita Pádua Dias. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

CASTRO JÚNIOR, G.; PROMETI, D. Acessibilidade linguística e cultural na educação de surdos: a Libras como estratégia didática no ensino/pesquisa/extensão. Revista ECOS, Cuiabá, MT, v. 24, n. 1, p. 314-351, 2018. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/3049. Acesso em: 30 mar. 2020.

CONTE, E.; MARTINI, R. M. F. As tecnologias na educação: uma questão somente técnica? Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 40, n. 4, p. 1191-1207, out./dez. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edreal/v40n4/2175-6236-edreal-40-04-01191.pdf. Acesso em: 15 dez. 2019.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GOLDFELD, M. A criança surda. São Paulo: Pexus, 1997.

KARNOPP, L. B. Literatura, Letramento e Práticas Educacionais Grupo e Estudos e Subjetividade. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 7, n. 2, p. 98-109, jun. 2006. DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v7i2.795. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/795. Acesso em: 30 mar. 2020.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MOURA, M. C. O Surdo: caminhos para uma Nova Identidade. 1996. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1996.

PALLOF, H.; PRATT, K. Building Learning Communities in Cyberspace. São Francisco: Jossey Bass Publishers, 1999.

PINTO, J. M. A.; PRIETCH, S. S. Ubi-Converge: Uma Tecnologia Assistiva para suporte ao Processo de Ensino-Aprendizagem de Estudantes Surdos. Nuevas Ideas en Informática Educativa, Santiago, v. 10, p. 74-84, 2014. ISBN: 978-956-19-0889-5. Disponível em: http://www.tise.cl/volumen10/. Acesso em: 30 mar. 2020.

QUADROS, R. M. Educação de surdos: efeitos de modalidade e práticas pedagógicas. In: MENDES, E. G.; ALMEIDA, M. A.; WILLIAMS, L. C. de A. (org.). Temas em educação especial IV. São Carlos: EdUFSCar, 2004. p. 55-61. Disponível em: https://www.porsinal.pt/index.php?ps=artigos&idt=artc&cat=7&idart=50. Acesso em: 30 mar. 2020.

ROCHA, E. F.; CASTIGLIONI, M. C. Reflexões sobre recursos tecnológicos: ajudas técnicas, tecnologia assistiva, tecnologia de assistência e tecnologia de apoio. Revista de Terapia Ocupacional, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 97-104, 2005. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v16i3p97-104. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rto/article/view/13968. Acesso em: 30 mar.2020.

ROCHA, J. A. P.; DUARTE, A. B. S. Diretrizes de acessibilidade web: um estudo comparativo entre as WCAG 2.0 e o e-MAG 3.0. Inclusão Social, Brasília-DF, v. 5, n. 2, p. 73-86, 2012. Disponível em: http://revista.ibict.br/inclusao/article/view/1678. Acesso em: 30 mar. 2020.

SANTOS, P. K.; DANTAS, N. M. R. Tecnologias assistivas e a inclusão do estudante surdo na educação superior. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, v. 3, n. 3, p. 494-514, 2017. DOI: https://doi.org/10.22348/riesup.v3i3.7793 Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8650620. Acesso em: 30 mar. 2020.

SCOLARI, S.; KRUSSER, R. Design e educação de surdos: aspectos relevantes para o projeto de infográficos bilíngues Libras/Português. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE ERGONOMIA E USABILIDADE DE INTERFACES HUMANO TECNOLÓGICA, 16, 2017, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 2017. DOI: 10.5151/16ergodesign-0217. Disponível em: http://pdf.blucher.com.br.s3-sa-east-1.amazonaws.com/designproceedings/16ergodesign/0217.pdf. Acesso em: 30 mar. 2020.

SIQUEIRA, A. B.; CERIGATTO, M. P. Mídia-educação no ensino médio: por que e como fazer. Educar em Revista, Curitiba, n. 44, p. 235-254, abr./jun. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n44/n44a15.pdf. Acesso em: 22 out. 2019.

SOARES, I. O. Educomunicação: um campo de mediações. Comunicação & Educação, São Paulo, p. 12-24 set./dez, 2000. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i19p12-24. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36934. Acesso em: 16 out. 2019.

SONZA, A. P. et al. Tecnologia Assistiva e Software Educativo. In: SONZA, A. P. et al. (org.). Acessibilidade e tecnologia assistiva: pensando a inclusão sociodigital de PNEs. Bento Gonçalves, RS: IFRS, 2013. p. 199-311. Disponível em: https://drive.google.com/open?id=1wtpwN4govndQFhGOYwtHnCVZ3bCegrJ0 Acesso em: 30 mar.2020.

SOUZA, M. V.; GIGLIO, K. (org.). Mídias digitais, redes sociais e educação em rede: experiências na pesquisa e extensão universitária [livro eletrônico]. São Paulo: Blucher, 2015. Disponível em: https://www.blucher.com.br/livro/detalhes/midias-digitais-redes-sociais-e-educacao-em-rede-1134. Acesso em: 30 mar. 2020.

STROBEL, K. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: UFSC, 2009.

STUMPF, M. R. Educação de Surdos e Novas Tecnologias. Florianópolis: UFSC, 2010. Disponível em: http://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoPedagogico/educacaoDeSurdosENovasTecnologias/assets/719/TextoEduTecnologia1_Texto_base_Atualizado_1_.pdf. Acesso em: 30 mar.2020.

WOODWARD, J. Implications for sociolinguistic research among the Deaf. Sign language Studies, 1972, n.1, p.1-7.

ZANELLI, J. C. Pesquisa qualitativa em estudos da gestão de pessoas. Estudos da Psicologia, v. 7, num. especial, p. 79-88, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v7nspe/a09v7esp.pdf. Acesso em: 30 mar. 2020.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2020v1n50p23-33

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1811

Total de downloads do artigo: 2217