Mudança organizacional x sociedade - O impacto dos serviços educacionais a distância na realidade dos usuários

Isabel Virgolino Egidio

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Maria de Fátima Oliveira Silva

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Resumo

Considerando a Educação a Distância (EAD) e a inserção de novas tecnologias de comunicação e informação (TICs) no processo educacional, como uma impactante mudança organizacional promovida pelas Instituições de Ensino, o objetivo desta pesquisa é descrever como os serviços educacionais a distância, prestados pelas Instituições do Polo de Itaporanga - PB, mudam a realidade dos seus usuários. Para atingir esse objetivo foi realizada uma pesquisa de campo, visando: identificar e descrever as instituições educacionais que prestam serviços EAD no polo de Itaporanga; historiar o processo de inclusão da EAD nos serviços dessas instituições; verificar os benefícios que esta mudança organizacional provocou na vida das pessoas; destacar a necessidade e importância de acesso ao conhecimento que essa mudança trouxe para a sociedade de Itaporanga e regiões vizinhas. Como instrumento, foi aplicado um questionário aos alunos EAD que estão cursando ou já concluíram suas graduações, bem como às Coordenações dos cursos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e Instituto Federal da Paraíba (IFPB) ofertados no Polo de Itaporanga - PB. Após análises quanti-qualitativas dos dados, os resultados indicaram que a EAD é uma mudança organizacional promovida pelas instituições de ensino estudadas que oportuniza, à população atendida pelo Polo de Itaporanga, a aquisição de novos conhecimentos e a mudança na sua forma de uso dessa tecnologia.

Palavras-chave


Educação a Distância; Mudança organizacional; Ensino-aprendizagem; Recursos tecnológicos; Sociedade


Texto completo:

Referências


ALMEIDA, M. E. B. Tecnologia e educação a distância: abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S151797022003000200010&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 04 ago. 2018.

ALONSO, K. M. A educação a distância e um programa institucional de formação de professores em exercício. In: PRETI, O. (org.). Educação a distância: construindo significados. Cuiabá: Nead/IE-UFMT; Brasília: Plano, 2000. p. 229-246.

AZEVEDO, D. R. O aluno virtual: perfil e motivação. Universidade do Sul de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

BARROS, D. M. V. Educação a distância e o universo do trabalho. Bauru: EUDSC, 2003.

BELLONI, M. L. Educação a distância. Campinas: Autores Associados, 2006.

BELLONI, M. L. Educação a distancia. 5. ed. Campinas: Autores Associados, 2008.

BELLONI, M. L. Educação a Distância. 6. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

BRASIL. Decreto nº. 9.057, de 25 de maio de 2017. Brasília, DF: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5622.htm. Acesso em: 01 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, [1996]. Disponível em: https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/109224/lei-de-diretrizes-e-bases-lei-9394-96. Acesso em: 01 set. 2018.

BRENNAND, E. G. de G. As tendências pedagógicas na educação brasileira. João Pessoa: UFPB, 2002. (Série Sala da Aula).

CAMPOS, F. C. A.; COSTA, R. M. E. da; SANTOS, N. Fundamentos da educação a distância, mídias e ambientes virtuais. Juiz de Fora: Editar, 2007. ISBN 978-85-882-7967-4.

CARVALHO, M. E. P. Pesquisa aplicada à educação. In: BRENNAND, Edna Gusmão de Góes; BEZERRA, Lebiam Tamar Silva (org.). Trilhas do aprendente. João Pessoa: Ed. Universitária/UFPB, 2009. v. 5, p. 154-204.

CHIAVENATO, I. Introdução a teoria geral da administração. 3. ed. São Paulo: Campos, 2004.

CONFESSOR, F. I. C. As novas tecnologias na escola e sua relação com a aprendizagem. Revista Construir Notícias, Recife, ano 12, n. 69, p. 32-33, abr. 2013.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 34. ed. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2006.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância: práticas pedagógicas. São Paulo: Papirus, 2003.

KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 4. ed. São Paulo: Papirus, 2006.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2007.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2008.

MAIA, C; MATTAR, J. ABC da EAD: educação a distância hoje. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

MAIA, M. de C. O uso da tecnologia de informação para a educação a distância no ensino superior. 2003. 294 f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) — Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2003. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/2463/74603.pdf?sequence=2. Acesso em: 21 jul. 2018.

MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MORAN, J. M. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas. In: MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos Tarciso; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 8. ed. Campinas: Papirus, 2000, p. 11-65.

MORAN, J. M. O que é um bom curso a distância? São Paulo, 2002. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/bom_curso.htm. Acesso em: 22 ago. 2018.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2007.

MORAN, J. M. A distância e o presencial cada vez mais próximos, São Paulo, 2010. Disponível em: http://www.eca.usp.br/moran/proximos.htm. Acesso em: 18 ago. 2018.

MOORE, M; KEARSLEY. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008. Disponível em: https://www.academia.edu/5116276/Uma_Vis%C3%A3o_Integrada. Acesso em: 05 ago. 2018.

MOTTA, P. R. Transformação organizacional: a teoria e a prática de inovar. 5. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

NICOLAIO, K; MIGUEL, L. A.

Democratização do ensino por meio da

educação a distância. Revista Intersaberes, Curitiba, ano 5, n. 9, p. 68-91, jan./jun. 2010. Disponível em: https://www.uninter.com/intersaberes/index.ph p/revista/article/viewFile/184/148.

Acesso em: 08 ago. 2018.

OROFINO, M. I. Mídias e mediações escolares: pedagogia dos meios, participação e visibilidade. São Paulo: Cortez, 2005.

PEREIRA, M. L. J. de B. Modelos de mudança nas organizações brasileiras: uma análise crítica. In: BJUR, W.; CARAVANTES, G. R. (org.). Reengenharia ou readministração? Do útil e do fútil nos processos de mudança. Porto Alegre: AGE, 1995. p. 108-159.

PETRI, O. Autonomia do aprendiz na educação a distância: significados e dimensões. In: PETRI, O. Educação a distância: construindo significados. Cuiabá: Plano 2000.

PIMENTEL, N. M. Introdução à educação a distância. Florianópolis: SEAD/UFSC, 2006.

RAMOS, M. N. A. Pedagogia das competências: autonomia ou adaptação? 3. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SANTOS, E. O. dos. Articulação dos saberes na EAD online. In: SILVA, Marcos (org.). Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa. São Paulo: Loyola, 2003, p. 217.

SILVA, R. S da. Objetos de aprendizagem para a educação a distância. 1. ed. São Paulo: Novatec, 2011. ISBN 978-85-7522-225-6.

VERGARA, S. C.; PINTO, M. C. S. Cultura e mudança organizacional: o caso Telerj. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 2, n. 2, p. 63-84, May/Aug. 1998.

WOOD Jr, T. Mudança organizacional: aprofundando temas atuais em administração de empresas. São Paulo: Atlas, 1995.

ZANATTA, R. M. Educação a distância no Brasil: aspectos legais. In: COSTA, Maria Luisa Furlan; ZANATTA, Regina Maria (org.). Educação a distância no Brasil: aspectos históricos, legais, políticos e metodológicos. Maringá: EDUEM, 2008.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n47p11-23

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 860

Total de downloads do artigo: 645