Framework Multi-LIBRAS para integração e colaboração de soluções para deficientes auditivos

Luciana Pereira Oliveira

Instituto Federal da Paraíba (IFPB), Campus João Pessoa.

Marianna Soares Veríssimo

IFPB

Joffily Ferreira dos Santos

Resumo

Vem crescendo o número de soluções para pessoas com deficiência auditiva. Por exemplo, vêm surgindo diversas soluções de tradutores de Português para LIBRAS para facilitar a comunicação entre ouvintes e surdos. Por outro lado, muitos projetos de pesquisa estão descontinuados, não sendo possível executar os aplicativos desenvolvidos e muito menos repetir experimentos descritos nos artigos. Então, como os pesquisadores poderiam trabalhar de maneira colaborativa a construção de novos aplicativos e melhorias dos softwares existentes? Seria possível distintos grupos de pesquisa criarem um dicionário de Português e LIBRAS aberto? Objetivando-se esse ambiente colaborativo, definiu-se o framework Multi-LIBRAS, que oferece flexibilidade e extensibilidade para integrar qualquer solução para LIBRAS e algoritmos de avaliação. O artigo irá apresentar uma visão geral, as camadas externas e internas do framework bem como exemplificar o uso do Multi-LIBRAS, que dá suporte a soluções descritas em qualquer linguagem de programação.

Palavras-chave


LIBRAS, Framework, Língua de Sinais, Tradutor


Texto completo:

Referências


AGUIAR, T. C.; CHAIBUE, K. Histórico das Escritas de Línguas de Sinais. Revista Virtual de Cultura Surda, n. 15, 2015. Disponível

em: . Acesso em: 20 set. 2015.

Barros, M. E. Escrita das Línguas de Sinais: proposta teórica e verificação prática. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2008.

BOUZID, Y; JEMNI, M. TuniSigner: A Virtual Interpreter to Learn Sign Writing. 2014 Ieee 14th International Conference On Advanced Learning Technologies, [s.l.], jul. 2014. Institute of Electrical & Electronics Engineers (IEEE). DOI: 10.1109/icalt.2014.176.

CASS, S. The 2015 Top Ten Programming Languages. IEEE Spectrum, 20 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2015.

COLLING, J. P. Requisitos para inserção de libras em softwares educacionais para os anos iniciais. 2014. 55 f. Monografia (Especialização em Ciência da Computação) –Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2014.

COLLING, J. P; BOSCARIOLI, C. Avaliação de tecnologias de tradução português-libras visando o uso no ensino de crianças surdas. Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 12, n. 2, p. 1-100, dez. 2014.

CORRÊA, Y. et al. Tecnologia Assistiva: a inserção de aplicativos de tradução na promoção de uma melhor comunicação entre surdos e ouvintes. In:CICLO DE PALESTRAS NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO, 13., 2014, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Cinted, 2014. p. 1-10.

FUSCO, E. X-LIBRAS: um Ambiente Virtual para Língua Brasileira de Sinais. 2004. 156 f. Dissertação (Mestrado em Computação) – Centro Universitário Eurípides de Marília, Fundação de Ensino Eurípides Soares da Rocha, Marília, 2004.

MATTSSON, M. Object-Oriented Frameworks: a Survey of Methodological Issues, M.Sc. Dissertation (Master of Computer Science and Business Administration) – Department of Computer Science and Business Administration, University College

of Karlskrona/Ronneby, LU-CS-96-197, 1996.

MATSUMOTO, T.; KATO, M.; IKEDA, T. JSPad. Proceedings Of The 3rd International Universal Communication Symposium On - Iucs ‘09, [s.l.], 2009. Association for Computing Machinery (ACM). DOI: 10.1145/1667780.1667855.

OLIVEIRA, L. P.; OLIVEIRA, G. A. Estudo de softwares em termos de disponibilidade e de maturidade para ensinar libras. In: CONGRESSO NORTE-NORDESTE DE PESQUISA E INOVAÇÃO, 10., Anais... Rio Branco: CONNEPI, 2015. p. 3-30.

PAPADOGIOGARKI, M. et al. Gesture synthesis from sign language notation using MPEG-4 humanoid animation parameters and inverse

kinematics Intelligent Environments, 2006. 2nd IET International conference on.

PIVETTA, E. M.; ULBRICHT, V.; SAVI, R. Tradutores automáticos da linguagem português oral e escrita para uma linguagem visual-espacial da língua brasileira de sinais. 2011. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2015.

QUEVEDO, S. R. P. de; VANZIN, T.; ULBRICH, V. R. Ambientes virtuais de aprendizagem bilíngues para surdos em EAD. Revista

Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, v. 13, 2014.

SILVA, I. Q. et al. Avaliação da Compreensão de Textos Jornalísticos em Português, em Librol e em LIBRAS por Estudantes Surdos. In: II ENCOMPIF - ENCONTRO NACIONAL DE COMPUTAÇÃO DOS INSTITUTOS FEDERAIS, II., 2014, Brasília. Anais... Brasília: DF, XXXIV CSBC, 2014. p. 718-721

SUTTON, V.; FROST, A. SignWriting: Sign Languages Are Written Languages. 2008. Disponível em: http://www.signwriting.org/archive/docs6/sw0523-US-SignWritingVAILConference2008. pdf>. Acesso em: 20 set. 2015.

Fontoura, M. F.; Uma Abordagem Sistemática para o Desenvolvimento de Frameworks. Tese (Doutorado em ) – Departamento de. Informática, PUC-Rio, 1999.

TRINDADE, D. de F. G. Incop: um framework conceitual para o design de ambientes colaborativos inclusivos para surdos e não surdos de cultivo a comunidades de prática. 2013. Tese (Doutorado em Informática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n36p11-19

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1830

Total de downloads do artigo: 1783