Um diagnóstico das práticas de medição de desempenho utilizadas pelas empresas exportadoras de frutas do Vale do São Francisco

Ana Cristina Gonçalves Castro Silva

ORCID iD Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) Brasil

Jose de Castro Silva

Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) Brasil

Resumo

O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo. No Vale do São Francisco (VSF), o empreendedorismo, a cooperação entre os produtores e as características ambientais favorecem a produção de frutas. Na tentativa de padronizar os produtos e seus processos, os produtores vêm fazendo uso de certificados que atestem que seus produtos são seguros e obtidos de maneira sustentável. Este trabalho apresenta um diagnóstico da relação entre a certificação e a utilização de práticas de medição de desempenho pelas empresas exportadoras de frutas do VSF. Foi realizado um estudo de caso, e a análise dos dados foi feita utilizando a técnica de análise de conteúdo. Os resultados mostraram que todas as empresas pesquisadas possuem certificados que dão acesso a mercados internacionais, sendo o certificado EurepGAP/ GlobalGAP o mais utilizado. Além disso, o monitoramento dos processos e produtos são realizados continuamente por meio de indicadores de desempenho, mesmo nos casos em que não há um sistema de medição de desempenho.

Palavras-chave


Fruticultura; Certificação; Medição de desempenho; Vale do São Francisco


Texto completo:

Referências


BISBE, J.; MALAGUENO, R. Using strategic performance measurement systems for strategy formulation: Does it work in dynamic environments? Management Accounting Research, v. 23, p. 296-311, 2012.

BUSTAMANTE, P. M. A. C. A Fruticultura no Brasil e no Vale do São Francisco: Vantagens e Desafio. REN – Revista Econômica do Nordeste, v. 40, n. 1, p. 153-171, 2009.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Balança Comercial Brasileira por Município. 2013. Disponível em: http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/sistema/balanca/. Acesso em: 03 jul. 2013.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Pecuária do Abastecimento (MAPA). Cadastro de exportadores de Frutas no MAPA. 2009. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/vegetal/RegistroAutorizacoes/CADASTRO%20DE%20EXPORTADORES%20DE%20FRUTAS%2019%2011%202009_0.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2013.

CALLADO, A. L. C.; CALLADO, A. A. C.; ALMEIDA, M. A. A utilização de indicadores de desempenho não-financeiros em organizações agroindustriais: um estudo exploratório. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, v. 10, n. 1, p. 35-48, 2008.

DORR, A. C.; GROTE, U. Demanda por certificação no setor de frutas: estudo de caso do Vale do São Francisco. In: SOBER – Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Porto Alegre, 2009.

EMBRAPA MEIO AMBIENTE. Princípios da Produção Integrada. 2013. Disponível em: http://www.cnpma.embrapa.br/projetos/prod_int/principiospi.html/. Acesso em: 20 ago. 2013.

FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations. Disponível em: http://faostat.fao.org/site/339/default.aspx. Acesso em: 03 jul. 2013.

FONSECA, H. V. P.; XAVIER, L., F.; COSTA, E. F. Análise das exportações de uvas frescas brasileiras: uma estimação gravitacional a partir do modelo de regressões aparentemente não relacionadas. Rev. de Economia Agrícola, v. 57, n. 2, p. 81-98, 2010.

GIMBERT, X.; BISBE, J.; MENDOZA, X. The role of performance measurement systems in strategy formulation processes. Long Range Planning, v. 43, p. 477-497, 2010.

GLOBALGAP. Disponível em: http://www.globalgap.org. Acesso em: 20 ago. 2013.

GOULART, D. F. Certificações privadas como requisito de acesso a canais europeus de distribuição: o caso GLOBALGAP na manga do Vale do São Francisco. 146 f. Dissertação (Mestrado em Administração e Desenvolvimento Sustentável) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2011.

GUEDES, M. S. B.; SENA, M.; TOLEDO, S. Certificação como estratégia competitiva internacional dos produtores de frutas no Brasil. In: ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA E ECOLOGIA (ECO-ECO), 7., 2007. Anais... Fortaleza - CE.

HERZOG, N.V.; TONCHIA, S.; POLAJNAR, A. Linkages between manufacturing strategy, benchmarking, performance measurement and business process reengineering. Computers and Industrial Engineering, v. 57, n. 3, p. 963-975, 2009.

IBRAF – Instituto Brasileiro de Frutas. Frutas Frescas: exportação. Disponível em: http://www.ibraf.org.br/estatisticas/est_frutas.asp. Acesso em: 03 de jul. de 2013.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estratégia em ação: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

LEÃO, É. L. S. Fluxo comercial do APL de fruticultura irrigada do Vale do Submédio do São Francisco – Pernambuco/Bahia: Uma análise de aspectos socioeconômicos e das políticas. 159 f. Dissertação (Mestrado em Administração e Desenvolvimento Rural) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2011.

LI, P., TANG, G. Performance measurement design within its organizational context: evidence from China. Management Accounting Research, v. 20, n. 3, p. 193-207, 2009.

LIMA, E. P. et al. Performance measurement systems: A consensual analysis of their roles. Int. J. Production Economics, v. 146, p. 524-542, 2013.

LIMA, J. P. R.; MIRANDA, É. A. A. Fruticultura Irrigada no Vale do São Francisco: Incorporação Tecnológica, Competitividade e Sustentabilidade. Revista Econômica do Nordeste, v. 32, p. 611-632, 2001.

MICHELI, P.; MARI, L. The theory and practice of performance measurement. Management Accounting Research, v. 25, p. 147-156, 2014.

NEELY, A.; GREGORY, M.; PLATTS, K. Performance measurement system desing: a literature review and research agenda. International journal of operations & production management, v.25, n.12, p.1228-1263, 2005.

NUDURUPATI, S. S. et al. State of the art literature review on performance measurement. Computers & Industrial Engineering, v. 60, p. 279-290, 2011.

OLIVEIRA, L. A. A importância das normas internacionais para o comércio da fruticultura brasileira. 153 f. Dissertação (Mestrado em Ciências, Economia Aplicada) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, 2005.

PHUSAVAT, K. et al. Performance measurement: roles and challenges. Industrial Management & Data Systems, v. 109, n. 5, p. 646-664, 2009.

POPOVA, V.; SHARPANSKYKH, A. Modelling organizational performance indicators. Information Systems, v. 35, n. 4, p. 505-527, 2010.

SALVI, J. V.; MATOS, M. A.; MILAN, M. Avaliação do desempenho de dispositivo de corte de base de colhedora de cana-de-açúcar. Engenharia Agrícola, v. 27, n.1, p. 201-209, 2007.

SANTOS, C. E. et al. Anuário brasileiro da fruticultura. Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta Santa Cruz, p. 136, 2013.

SANTOS, R. R. P. Certificação de frutas no Brasil: influências na coordenação e gerenciamento das cadeias de suprimentos. 162 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos: UFSCAR, 2008.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, 2013. Disponível em: http://www.sebrae-sc.com.br/leis/default.asp?vcdtexto=4154. Acesso em: fev. de 2014.

SUGUISAWA, J. M. et al. Qualidade de aplicação de herbicida em lavoura de trigo. Engenharia Agrícola, v. 27, n. 1, p. 41-47, 2007.

TAN, K. H.; PLATTS, K. W. Linking operations objectives to actions: a plug and play approach. International Journal of Production Economics, v. 121, n. 2, p. 610–619, 2009.

TATICCHI, P.; BALACHANDRAN, K. R. Forward performance measurement and management integrated frameworks. International Journal of Accounting and Information, v. 16, n. 2, p. 140-154, 2008.

WATTS, T.; MCNAIR-CONNOLLY, C. J. New performance measurement and management control systems. Journal of Applied Accounting Research, v. 13, n. 3, p. 226-241, 2012.

ZU, X.; ROBBINS, T. L.; FREDENDALL, L. D. Mapping the critical links between organizational culture and TQM/six sigma practices. International Journal of Production Economics, v. 123, n. 1, p. 86-106, 2010.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n32p43-50

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1846

Total de downloads do artigo: 1146