Impacto da degradação ambiental sobre a caracterização da ictiofauna do estuário do Rio Paraíba (Nordeste do Brasil)

Ticiano Vanderlei de Siqueira Alves

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Resumo

A industrialização é um agente indutor do crescimento urbano, que, realizado de forma desordenada, provoca a ocupação indevida do solo, trazendo consequências às áreas de preservação. As implicações produzidas pela ocupação indevida das margens dos cursos d’água produzem como resultados principais: a abreviação dos processos de erosão, o assoreamento dos rios, a deterioração da qualidade da água e a redução da biodiversidade aquática e terrestre local. O presente trabalho visou analisar, preliminarmente, no estuário do Rio Paraíba, o impacto da degradação das Áreas de Preservação Permanente na estruturação da ictiofauna, por intermédio do estudo comparativo entre duas margens equivalentes e em estados distintos de preservação. Utilizando-se de 320 metros de redes de emalhar em cada uma das margens, realizaram-se as coletas para a caracterização da composição íctica local. Por meio de índices ecológicos, como abundância, riqueza, similaridade, entre outros, foi possível distinguir a ictiofauna das duas margens. Supõe-se que o bom estado de conservação da vegetação de mangue da margem não degradada proporciona, às diversas espécies de peixes, um ambiente complexo, rico em alimentos e abrigos. Recomenda-se que este estudo seja realizado no período de um ano, levando em consideração as alterações sazonais dos parâmetros ambientais.

Palavras-chave


Degradação das APP; Manguezal; Diversidade íctica; Índices ecológicos; Crescimentos populacional e urbano


Texto completo:

Referências


ALMEIDA, Z. S.; ACIOLI, F. A.; VASCONCELOS-FILHO, A. L. Levantamento da ictiofauna na área de Itapissuma (Itamaracá-PE). Pesq. Foco, São Luís, v. 6, n. 7, p. 79-107, 1998.

ANDRADE, J.; SANQUETTA, C. R.; UGAYA C. Identificação de Áreas Prioritárias para Recuperação da Mata Ciliar na UHE Salto Caxias. Espaço Energia, 3. ed. 2005.

ANDREATA, J. V. et al. Alguns aspectos da ecologia das espécies de peixes da Laguna da Tijuca, período de março de 1987 a fevereiro de 1989. Acta Biol. Leopoldensia, v. 12, n. 2, p. 247-268, 1990.

ARAÚJO, F. G. et al. Estrutura da comunidade de peixes demersais da baía de Sepetiba, RJ. Revista Brasileira de Biologia, v. 58, n. 3, p. 417-430, 1998.

BLABER, S. J. M.; BLABER, T. G. Factors effecting the distribution of juvenile estuarine and inshore fish. J. Fish Biol, n. 17, p. 143-162, 1980.

BRUM, M. J. I. et al. Ictiofauna do sistema lagunar de Maricá (RJ). Acta Biol. Leopoldensia, v. 16, n. 2, p. 45-55, 1994.

CARPENTER, K .E. The living marine resources of the Western Central Atlantic. Part 1 (Acipenseridae to Grammatidae). FAO Species Identification Guide for Fishery Purposes and American Society of Ichthyologists and Herpetologists Special Publication. v. 2. Rome: FAO, p. 601-1374, 2002.

CARR, W. E.; ADAMS, C. A. Food habits of juvenile marine fishes occupying seagrass beds in the estuarine zone near Crystal River, Florida. Transactions of the American Fisheries Society, v. 102, n. 3, p. 511-540, 1973.

CETESB. Determinação do Zooplâncton: métodos qualitativos e quantitativos. Normalização técnica. São Paulo: Cetesb, L 301, 1978.

CHAPMAN, S.B. Methods in plant ecology. New York: J. Wiley, 1976.

CHAVES, P. T.; VENDEL, A. L. Análise comparativa da alimentação de peixes (Teleostel) entre ambientes de marisma e de manguezal num estuário do sul do Brasil (Baía de Guaratuba, Paraná). Revista Brasileira de Zoologia, v. 25, n. 1, p. 10-15, Mar. 2008.

CHEUNG, W.W.L.; PITCHER, T.J. AND PAULY, D. A fuzzy logic expert system to estimate intrinsic extinction vulnerabilities of marine fishes to fishing. Biol. Conserv, n. 124, p. 97-111, 2005.

CIPÓLLI, M.N. Regime alimentar. In: BENDAZOLI, A.; ROSSI-WONGTSCHOWSKI, C.L.D.B. (Org.). A manjuba no Rio Ribeira de Iguape: biologia, comportamento e avaliação do estoque. São Paulo: IBAMA/IOUSP/IP-AS/SEMA, 1990. p. 17-18

COSTA, F. Documentário da ictiofauna, região das lagoas Mundaú-Manguaba. Projeto de levantamento ecológico-cultural, 2 a etapa. Maceió: CDT/SEPLAN/ Governo do Estado de Alagoas, 1980. 200 p.

CROOK, D. A.; ROBERTSON, A. I. Relationships between riverine fish and woody debris: implications for lowland rivers. Marine and Freshwater Research, v. 50, n. 8, p. 941-953, 1999.

CURTIS, J.T.; McINTOSH, R.P. The interrelations of certain analytic and synthetic phytosociological characters. Ecology, v. 31, p. 434-455, 1950.

ESKINAZI, A. M. Peixes do canal de Santa Cruz - Pernambuco - Brasil. Trab. Oceanogr, Recife, v. 13, p. 283-302, 1972.

FIGUEIREDO, J. L.; MENEZES, N. A. Manual de peixes marinhos do sudeste do Brasil - Volume II (Teleostei 1) - Famílias Elopidae a Atherinopsidae. São Paulo: Museu de Zoologia/USP, 1978. 110 p.

______. Manual de peixes marinhos do sudeste do Brasil - Volume III (Teleostei 2) - Famílias Lampridae a Echeneidae. São Paulo: Museu de Zoologia/USP, 1980. 98 p.

______. Manual de peixes marinhos do sudeste do Brasil - Volume VI (Teleostei 5) - Famílias Acanthuridae a Molidae. São Paulo: Museu de Zoologia/USP, 2000. 116 p.

FISHBASE. Disponível em: http://www.fishbase.org/. Acesso em: 20 nov. 2011.

FISHER, W. FAO Species Identification Sheets for Fishery Purposes. Western Central Atlantic (Fishing Area 31). Roma: FAO, v. 1-7,1978.

FONTES, L. C. Erosão marginal associada a impactos ambientais a jusante de grandes barragens: O caso do baixo curso do Rio São Francisco. 2002. 321 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Universidade Federal de Sergipe, 2002.

FROESE, R.; PAULY, D. World Wide Web electronic publication. Disponível em: www.fishbase.org. Acesso em: 10 jan. 2010.

GELWICK, F. P.; MATTHEWS, W. J. Trophic relations of streams fishes. p. 475-492. In: HAUER, F. R.; LAMBERTI, G. A. (Org.). Methods in Stream Ecology. San Diego: Academic Press. 1996. 674 p.

GOMES, A. S.; Ferreira, S. P. Análise de Dados Ecológicos. Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2004. Disponível em: http://www.uff.br/ecosed/apostila.pdf. Acesso em: 12 jan. 2010.

HOLANDA, F. S. R. et al. Riparian vegetation affected by bank erosion in the lower São Francisco River, Northeastern Brazil. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 2, p. 327-336, 2005.

HOSTIM-SILVA, M. et al. Estrutura populacional de Xenomelaniris brasiliensis (Quoy & Gaimard, 1824) (Osteichthyes-Atherinidae) na Lagoa da Conceição, SC, Brasil. Arquivos de Biologia e Tecnologia, v. 38, n. 3, p. 949-960, 1995.

IRVING, M. A.; OLIVEIRA, A. M. E.; LIMA, H. H. Aspectos bioecológicos do estuário do Rio Pacoti, Ceará, Brasil. Arq. Ciên. Mar., Fortaleza, v. 27, p. 91-100, 1988.

KOIKE, J.; GUEDES, D. S. Peixes dos arrecifes de Pernambuco e estados vizinhos. In: ENCONTRO DE ZOOLOGIA DO NORDESTE, 3., Recife, Anais... Recife: UFPE, 1981. p. 35.

LAMPRECHT, H. Silvicultura nos trópicos: ecossistemas florestais e respectivas espécies arbóreas – possibilidades e métodos de aproveitamento sustentado. Eschbornm: GTZ, 1990. 343 p.

LIMA-FILHO, D. A. Caracterização florística de 03 hectares de floresta de terra na região do rio Urucu-AM. 1996. 162 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 1996.

LOBO, E. A.; LEIGHTON, G. Estructuras comunitarias de las fitocenosis planctonicas de los sistemas de desembocaduras de rios y esteros de la zona central de Chile. Revista de Biologia Marinha, Valparaíso, v. 22, n. 1, p. 1-29. 1986.

LOPES, P. R. D; OLIVEIRA-SILVA, J. T.; FERREIRA-MELO, A. S. A. Contribuição ao conhecimento da ictiologia do manguezal de Cacha de Pregos, Ilha de Itaparica, Baía de Todos os Santos, Bahia. Revista Brasileira de Zoologia, Curitiba, v. 15, n. 2, p. 315-325, 1998.

MARQUES, J. G. W. Levantamento da ictiofauna estival do complexo estuarino de Maceió. 1978. 90 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1978.

MCKERGON, L. A. et al. Before and after riparian management: Sediment and nutrient exports from a small agricultural catchment, Western Australia. Journal of Hydrology, v. 270, n. 1, p. 253–272, 2003.

MEDEIROS, J. D.; SCHAFFER W. B. A importância das normas gerais para o meio ambiente. Disponível em: < http://zip.net/bxsZ32>. Acesso em: 21 jan. 2010.

MENEZES, N. A.; FIGUEIREDO, J. L. Manual de peixes marinhos do sudeste do Brasil - Volume IV (Teleostei 3) - Famílias Carangidae a Sciaenidae. São Paulo, Museu de Zoologia/USP, 1980.

______. Manual de peixes marinhos do sudeste do Brasil - Volume V (Teleostei 4) - Famílias Mullidae a Gobiidae. São Paulo, Museu de Zoologia/USP, 1985.

MENEZES, N. A. et al. Peixes de riacho da Floresta Costeira Atlântica Brasileira: um conjunto pouco conhecido e ameaçado de vertebrados. In: SIMPÓSIO DE ECOSSISTEMAS DA COSTA SUL E SUDESTE BRASILEIRA: ESTRUTURA, FUNÇÃO E MANEJO, 1., São Paulo, Águas de Lindóia. Anais..., São Paulo: Academia de Ciências do Estado de São Paulo, p. 290-295, 1990.

MERONA, B.; BITTENCOURT, M. M. A pesca na Amazônia através dos desembarques no mercado de Manaus: resultados preliminares. Memória Sociedad Ciências Natutales La Salle, v. 48, p. 433-453, 1988.

MICHELI, E. R.; KIRCHNER, J. W. Effects of wet meadow riparian vegetation on stream bank erosion. 1. Remote sensing measurement of stream bank migration and erodibility. Earth Surface Process and Landform., v. 27, n. 2, p. 627-639, 2002.

MUSICK, J.A. Criteria to define extinction risk in marine fishes. Fisheries, v. 24, n. 12, p. 6-14, 1999.

NAIMAN, R.J.; DÉCHAMPS, H. The ecology and management of aquatic-terrestrial ecotones. Man and the Biosphere series, v. 4, Unesco, Parthenon Publ. Group, Paris, 1990.

NAIMAN, R.J., DÉCAMPS, H.; FOURNIER, F. Role of land/inland water ecotones in landscape management and restoration: a proposal for collaborative research. MAB Digest 4, Unesco, Paris. 1989.

OLIVEIRA, A. M. E. Composição e distribuição da ictiofauna nas águas estuarinas do Rio Jaguaribe (Ceará-Brasil). Arq. Ciên. Mar., Fortaleza, v. 16, n. 1, p. 9-18, 1976.

OLIVEIRA, C. A. et al. Avaliação da retenção de sedimentos pela vegetação ripária pela caracterização morfológica e físico-química do solo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 12, p. 1281-1287, 2010.

PARRISH, J. D. Fish communities of interacting shallow-water habitats in tropical oceanic regions. Oldendorf: Marine ecology progress series, v. 58, n. 1, p. 143-160, 1989.

ROBERTSON, A. I.; S. J. M. BLABER. Plankton, epibenthos and fish communities,. In: ROBERTSON, A. I.; ALONGI, D. M. (Org). Tropical mangrove ecosystems. Washington, American Geophysical Union, Coastal and Estuarine Studies 41, 1992. p. 63-100

ROBERTSON, A. I.; DIXON, P.; DANIEL, P. A. Zooplankton dynamics in mangrove and other nearshore habitats in tropical Australia. Marine Ecology Progress Series, v. 43, p. 139-150, 1988.

ROSA, R. S. Lista sistemática de peixes marinhos da Paraíba (Brasil). Rev. Nordestina Biol., João Pessoa, v. 3, n. 2, p. 205-226, 1980.

ROSA, R. S.; ROSA, I. L.; ROCHA, L. A. Diversidade da ictiofauna de poças de maré da praia do Cabo Branco, João Pessoa, Paraíba, Brasil. Revista brasileira de Zoologia, Curitiba, v. 14, n. 1, p. 201-212, 1997.

ROSSO, S. Amostragem, Repartição Espacial e Diversidade – Dominância de Comunidades de Costões Rochosos: uma Abordagem Metodológica. São Paulo: Labmar. 1996. 23 p.

ROY, P. S.; TOMAR, S. Landscape cover dynamics pattern in Meghalaya. Remote Sensing, v. 22, n. 18, 2001.

SANTOS, A. F.; CARDOSO L. G. Delimitação das áreas de preservação Permanente (Mata ciliar) da microbacia hidrográfica do Ribeirão Faxinal, Botucatu-SP. In: SEMINÁRIO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO PARAÍBA DO SUL: O EUCALIPTO E O CICLO HIDROLÓGICO, 1., Taubaté, Brasil. Anais... Taubaté: IPABHi, p. 231-235, 2007.

SHANNON, C.E.; WEAVER, W. The Mathematical Theory of Communication. Urbana. University of Illinois Press. 1949. 117 p.

SERGIPENSE, S.; CARAMASCHI, E. P.; SAZIMA, I. Morfologia e hábitos alimentares de duas espécies de Engraulidae (Teleostei, Clupeiformes) na Baía de Sepetiba, Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Oceanografia, v. 47, n. 2, p. 173-188, 1999.

SOARES, L. H. Catálogo dos peixes do litoral do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil (Osteichthyes e Chondrichthyes). Bol. Depto. Oceanogr. Limnol., Centro de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, v. 7, p. 1-39, 1988.

SOMASHEKAR, K. Phytoplankton constituents as indicator of water quality: a study of the river Cauvery. International Journal Environmental Studies, v. 23, p. 209-215, 1984.

SORENSEN, T. A method of establishing groups of equal amplitude in plant sociology based on similarity of species and its application to analyses of the vegetation on Danish commons. Biologiske Skrifte, v. 5, p. 1-34, 1948.

UIEDA, V. S.; UIEDA, W. Species composition and spatial distribution of a stream fish assemblage in the east coast of Brazil: comparison of two field study methodologies. Brazilian Journal of Biology, v. 61, n. 3, p. 377-388, 2001.

VASCONCELOS FILHO, A. L.; CAVALCANTI, E. F.; SOUZA, S. T. Composição e distribuição da fauna ictiológica no Canal de Santa Cruz (Parte Sul - Itamaracá - Pe). Revista Nordestina de Zoologia, v. 1, n. 1, p. 247-262, 1994.

VASCONCELOS FILHO, A. L.; OLIVEIRA, A. M. E. Ictiofauna. p. 143-154. In: BARROS, H. M. et al. (Eds.). Gerenciamento participativo de estuários e manguezais. Recife: Ed. Universitária, UFPE, 2000.

WANG, X. H.; YIN, C. Q.; SHAN, B. Q. The role of diversified landscape buffer structures for water quality improvement in an agricultural watershed, North China. Agricultural Ecosystem And Environment, v. 107, n. 2, p. 381-396, 2005.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n35p111-124

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 2068

Total de downloads do artigo: 1507