Diversidade genética entre etnovariedades de mandioca cultivadas no estado de Mato Grosso, Brasil

Auana Vicente Tiago

ORCID iD Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Brasil

Mariéllen Schmith Wolf

ORCID iD Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Brasil

Eliane Cristina Moreno de Pedri

ORCID iD Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Brasil

Larissa Lemes dos Santos

ORCID iD Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Brasil

Sérgio Alessandro Machado Souza

ORCID iD Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Brasil

Ana Aparecida Bandini Rossi

ORCID iD Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Brasil

Resumo

O cultivo da mandioca se destaca na agricultura brasileira pelo fácil manuseio, pela adaptação edafoclimática e pelo desempenho produtivo satisfatório. Diante disso, este trabalho teve como objetivo estimar a divergência genética entre 17 etnovariedades de mandioca e selecionar, com base no desempenho agronômico, aquelas que possam ser utilizadas em futuros programas de melhoramento genético com a espécie. As etnovariedades de mandioca foram avaliadas com base em sete descritores agronômicos quantitativos. Estes foram submetidos à análise de variância e agrupados pelo teste de Scott e Knott, ao nível de significância de 5% de probabilidade. A técnica de análise multivariada foi empregada para avaliar a divergência genética entre as etnovariedades, baseada na distância generalizada de Mahalanobis. Todas as análises foram realizadas com auxílio do programa Genes. A análise de variância mostrou diferença significativa, pelo teste de F, e a análise de agrupamento possibilitou a detecção de variabilidade genética entre as etnovariedades de mandioca por meio de sete características quantitativas. Portanto, houve divergência genética entre as etnovariedades de mandioca com potencial de uso em futuros programas de melhoramento com a espécie.

Palavras-chave


análises biométricas; caracteres quantitativos; macaxeira; mandioca; Manihot esculenta


Texto completo:

Referências


AFONSO, S. D. J.; ALFREDO, T. J. C.; SERRANO, L. R. P. Diversidade genética em variedades de mandioca (Manihot esculenta Crantz) nas condições agroecológicas de Malanje. Redel – Revista Granmense de Desarrollo Local, v. 4, p. 527-540, 2020. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Sandra-Afonso-4/publication/341988222. Acesso em: 10 dez. 2020.

AGUILERA, J. G.; BARROS, P. P. V.; ZUFFO, A. M.; MARTÍNEZ, L. A.; REZENDE, J. R. M.; TAVEIRA, A. C.; MARTINS, W. C.; ABREU, M. S. Caracterização e diversidade genética de germoplasma de mandioca-de-mesa da região urbana de Chapadão do Sul, MS. In: ZUFFO, A. M.; AGUILERA, J. G.; OLIVEIRA, B. R. (org.). Ciência em Foco. Nova Xavantina: Pantanal Editora, 2019. Cap. 2, p. 14-29. E-book. DOI: http://dx.doi.org/10.46420/9786581460006cap2.

ALMEIDA JÚNIOR, J. J.; SANTOS, G. A.; PEROZINE, A. C.; MATOS, F. S. A.; SMILJANIC, K. B. A.; MARTINS FILHO, M. B. Custo de implantação da cultura da mandioca (Manihot esculenta, L), no Sudoeste goiano, município de Mineiros estado de Goiás. In: COLÓQUIO ESTADUAL DE PESQUISA MULTIDISCIPLINAR, 1.; CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA MULTIDISCIPLINAR, 1., 2016, Mineiros. Anais [...]. Mineiros: Unifimes, 2016. Disponível em: https://www.unifimes.edu.br/ojs/index.php/coloquio/article/view/23. Acesso em: 10 dez. 2020.

BROWN, A. H. Isozymes, plant population genetic structure and genetic conservation. Theoretical and Applied Genetics, v. 52, n. 4, p. 145-157, 1978. DOI: https://doi.org/10.1007/BF00282571.

CRUZ, C. D. Genes Software – extended and integrated with the R, Matlab and Selegen. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 38, n. 4, p. 547-552, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/asagr/a/sLvDYF5MYv9kWR5MKgxb6sL/abstract/?lang=en. Acesso em: 10 dez. 2021.

EMBRAPA – EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Mandioca. Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://www.embrapa.br/mandioca-e-fruticultura/cultivos/mandioca. Acesso em: 10 dez. 2020.

FAO – FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS. Production. In: FAO – FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS. FAOSTAT: Data. 2019. Disponível em: https://www.fao.org/faostat/en/#data. Acesso em: 21 fev. 2021.

FERNANDES, F. D.; GUIMARÃES JÚNIOR, R.; FIALHO, J. F.; VIEIRA, E. A. Mandioca na alimentação animal. In: FIALHO, J. F.; VIEIRA, E. A.; BORGES, A. L. Cultivo da mandioca para a Região do Cerrado. Planaltina: Embrapa Cerrados, 2017. p. 71-72. (Sistema de Produção, 8). Disponível em: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1081020. Acesso em: 21 fev. 2021.

FIALHO, J. F.; VIEIRA, E. A.; BORGES, A. L. Cultivo da mandioca para região do cerrado. Cruz das Almas: Embrapa Mandioca e Fruticultura; Planaltina: Embrapa Cerrados, 2017. 95 p. Versão eletrônica. Disponível em: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1081020. Acesso em: 10 dez. 2020.

FIGUEREDO, P. E.; TIAGO, A. V.; ZANETTI, G. T.; PINTO, J. M. A.; ROSSI, A. A. B.; HOOGERHEIDE, E. S. S. Diversidade genética de mandiocas na região periurbana de Sinop, Mato Grosso, Brasil. Revista Magistra, v. 30, p. 143-153, 2019. Disponível em: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1113281. Acesso em: 10 dez. 2020.

FRANCO, P. C. I.; FARIA, M. L.; BILCK, A. P.; SOARES, E. A. Atividade antimicrobiana e caracterização de filmes de amido de mandioca/quitosana, reforçados com fibras de cana-de-açúcar. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 2, p. 8766-8779, 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/7105/6221. Acesso em: 10 dez. 2020.

FUKUDA, W. M. G.; GUEVARA, C. L. Descritores morfológicos e agronômicos para a caracterização de mandioca (Manihot esculenta Crantz). Cruz das Almas: Embrapa Mandioca e Fruticultura, 1998. 38 p. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/638631. Acesso em: 10 dez. 2020.

GILES, J. A. D. Estudos genéticos em populações de Coffea canephora e Manihot esculenta. 2017. 58 f. Dissertação (Mestrado em Agricultura Tropical). – Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, São Mateus, 2017. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8216. Acesso em: 10 dez. 2020.

GONÇALVES, K. Y.; LERMEN, F. H.; MATIAS, G. S.; COELHO, T. M. Modelo paramétrico para avaliar a cinética de hidratação de amido natural de mandioca. In: ENCONTRO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 8., 2019, Campo Mourão. Anais [...]. Campo Mourão: EEPA, 2019. Disponível em: http://www.dep.uem.br/gdct/index.php/simeprod/article/view/1682. Acesso em: 10 dez. 2020.

GRIGOLO, S.; FIOREZE, A. C. C. L.; DENARDI, S.; VACARI, J. Implicações da análise univariada e multivariada na dissimilaridade de acessos de feijão comum. Revista de Ciências Agroveterinárias, v. 17, n. 3, p. 351-360, 2018. DOI: https://doi.org/10.5965/223811711732018351.

LANDAU, E. C.; SILVA, G. A.; ROCHA, M. S. Evolução da produção de mandioca (Manihot esculenta, Euphorbiaceae). In: LANDAU, E. C.; SILVA, G. A.; MOURA, L.; HIRSCH, A.; GUIMARÃES, D. P. (ed.). Dinâmica da produção agropecuária e da paisagem natural no Brasil nas últimas décadas: produtos de origem vegetal. Brasília, DF: Embrapa, 2020. v. 2, cap. 30, p. 981-1008. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1122683/evolucao-da-producao-de-mandioca-manihot-esculenta-euphorbiaceae. Acesso em: 21 fev. 2021.

LEONEL, M. Uso dos subprodutos da industrialização da mandioca na alimentação animal. In: CEREDA, M. P. (coord.) Manejo, uso e tratamento de subprodutos da industrialização da mandioca. São Paulo: Fundação Cargill, 2001. p. 229-239.

MAHALANOBIS, P. C. On the generalized distance in statistics. Proceedings of the National Institute of Science of India, v. 2, n. 1, p. 49-55, Apr. 1936. Disponível em: http://library.isical.ac.in:8080/jspui/bitstream/10263/6765/1/Vol02_1936_1_Art05-pcm.pdf. Acesso em: 10 dez. 2020.

MARTINS, M. P. C. Técnicas multivariadas na determinação da dissimilaridade genética entre populações anãs de tomateiro do tipo saladete. 2020. 21 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) – Universidade Federal de Uberlândia, Monte Carmelo, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/29740. Acesso em: 10 dez. 2020.

PAZ, R. B. O. Adubação potássica e desempenho agronômico de cultivares de mandioca de mesa em ambiente de cerrado. 2019. 50 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia – Produção Vegetal) – Universidade Federal de Goiás, Jataí, 2019. Disponível em: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/9779. Acesso em: 10 dez. 2020.

PAZ, R. B. O.; COSTA, C. H. M.; VIEIRA, E. A.; COELHO, M. V.; CRUZ, S. C. S.; MACHADO, L. B. Desempenho agronômico de cultivares de mandioca de mesa em ambiente do cerrado. Colloquium Agrariae, v. 16, n. 3, p. 37-47, 2020. Disponível em: https://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/3127. Acesso em: 10 dez. 2021.

PEDRI, E. C. M.; SANTOS, L. L.; WOLF, M. S.; TIAGO, A. V.; CARDOSO, E. S.; HOOGERHEIDE, E. S. S.; ROSSI, A. A. B. Diversidade genética entre etnovariedades de mandioca cultivadas no norte do estado de Mato Grosso por meio de descritores morfoagronômicos. Research, Society and Development, v. 10, n. 5, e25410514871, 2021. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14871.

RAO, C. R. Advanced statistical methods in biometrics research. New York: Wiley, 1952. 389 p.

RIBEIRO, F. W.; RODRIGUES, C. C.; ARAÚJO, M. S.; SILVA, A. C.; MATOS, F. S. Custos de produção e rentabilidade econômica do cultivo da mandioca em Goiás. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 14, n. 1, p. 104-110, 2019. DOI: https://doi.org/10.18378/rvads.v14i1.5961.

SCOTT, A. J.; KNOTT, M. A cluster analysis method for grouping means in the analysis of variance. Biometrics, v. 30, n. 1, p. 507-512, Sept. 1974. DOI: https://doi.org/10.2307/2529204.

SILVA, B. S. Caracterização botânica e agronômica da coleção de trabalho de mandioca da Embrapa Acre. 2010. 75 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Centro de Ciências Biológicas e da Natureza, Universidade Federal do Acre, Rio Branco, 2010. Disponível em: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/737056. Acesso em: 23 out. 2021.

SILVA, M. A.; COSTA, B. M.; TAVARES, J. T.; OLIVEIRA, G. J. C.; JAEGER, S. M. P. L.; STRADA, E. S. O. Variação nos teores de compostos cianogênicos durante o processo de fenação de ramas de mandioca (Manihot esculenta Crantz). Revista Magistra, v. 23, n. 3, p. 149-153, 2011.

SINGH, D. The relative importance of characters affecting genetic divergence. Indian Journal of Genetics and Plant Breeding, v. 41, n. 2, p. 237-245, 1981. Disponível em: http://www.isgpb.org/documents/archive/ijgpb-41-2-010.pdf. Acesso em: 10 dez. 2020.

TIAGO, A. V.; HOOGERHEIDE, E. S. S.; PEDRI, E. C. M.; ROSSI, F. S.; CARDOSO, E. S.; PINTO, J. M. A.; PENA, G. F.; ROSSI, A. A. B. Genetic diversity and population structure of cassava ethno-varieties grown in six municipalities in the state of Mato Grosso, Brazil. GMR – Genetics and Molecular Research, v. 18, n. 4, gmr18357, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.4238/gmr18357.

TIAGO, A. V.; HOOGERHEIDE, E. S. S.; ROSSI, A. A. B.; MORENO, E. C.; CABRAL, J. C.; PAULA, R. P. Descritores morfológicos na caracterização de etnovariedades de mandioca no município de Alta Floresta, MT. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE RECURSOS GENÉTICOS, 4., 2016, Curitiba. Anais [...]. Brasília, DF: Sociedade Brasileira de Recursos Genéticos, 2016. Disponível em: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1060047. Acesso em: 10 dez. 2020.

VENDRAMINI, J. M.; NEVES, L. G.; BARELLI, M. A. A.; ELIAS, J. C. F.; LUZ, P. B. Otimização do uso dos descritores morfo-agronômicos de mandioca em análise multivariada. Revista Ciência Agronômica, v. 42, n. 4, p. 906-913, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1806-66902011000400012.

VIEIRA, E. A.; FIALHO, J. F.; FALEIRO, F. G.; BELLON, G.; FONSECA, K. G.; CARVALHO, L. J. C. B.; SILVA, M. S.; PAULA-MORAES, S. V.; SANTOS FILHO, M. O. S.; SILVA, K. N. Divergência genética entre acessos açucarados e não açucarados de mandioca. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 43, n. 12, p. 1707-1715, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-204X2008001200010.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id6276

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 903

Total de downloads do artigo: 499