Reflexões sobre prática de ensino de literatura mais interativa a partir do uso de tecnologias digitais

Golbery de Oliveira Chagas Aguiar Rodrigues

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Dayana de Sousa Silva

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Joanna Lígia de Queiroz Marques

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Resumo

Na perspectiva de contínua revisão de práxis metodológica do ensino, aqui especificamente da abordagem da literatura, nossa proposta de trabalho se insere. Com o avanço e a acessibilidade das tecnologias voltadas para o desenvolvimento educacional, pensar softwares educacionais como ferramentas didático-metodológicas tem se tornado uma realidade nas salas de aulas brasileiras. Este trabalho parte da seguinte questão-problema, formulada frequentemente por professores e estudiosos: como tornar as aulas de literatura para alunos recém-ingressos no ensino médio mais dinâmicas e interativas? A fim de trazer reflexões pertinentes para essa questão, de modo geral, tivemos como objetivo desenvolver plugins interativos no ambiente virtual de aprendizagem Moodle para tornar as aulas de literatura mais dinâmicas. Metodologicamente, para o alcance dessa meta, foram elaboradas apostilas que foram convertidas em plugins interativos, com destaque para o Drag and Drop into image. Como resultados imediatos, foram vislumbradas maior audiência às aulas e participação mais flagrante por parte dos alunos, na lógica da estética da recepção, conforme Jauss (2002), com a consequente dinamicidade no ato de ministração das aulas tendo em vista a inserção tecnológica na abordagem de conteúdos de natureza mais teórica. Nossa perspectiva está fundamentada em Barros (2007), Mercado (2002), Lucas (2001), Cirne (1973), Plaza (1987), entre outros.

Palavras-chave


ensino; interatividade; intersemiose; literatura; tecnologia


Texto completo:

Referências


ARAÚJO, R. S. Contribuições da metodologia WebQuest no processo de letramento dos alunos nas séries iniciais no Ensino Fundamental. In: MERCADO, L. P. L. (org.). Vivências com Aprendizagem na Internet. Maceió: Edufal, 2005. p. 23-24.

BARROS, D. M. V. Formação continuada para docentes do Ensino Superior: o virtual como espaço educativo. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 7, n. 20, p. 103-122, jan./abr. 2007. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1891/189116807010.pdf. Acesso em: 29 ago. 2022.

CEREJA, W. R. Ensino de literatura: uma proposta dialógica para o trabalho com literatura. São Paulo: Atual, 2005.

CIRNE, M. A linguagem dos quadrinhos. Petrópolis: Vozes, 1973.

EISNER, W. Quadrinhos e arte sequencial. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GAIA, R. Educomunicação & Mídias. Maceió: Edufal, 2001.

GAIA, R.; NEVES, N. P. S. Educação mediada por interface: a mensagem pedagógica da hipermídia. In: NUNES, P. (org.). Mídias Digitais & Interatividade. João Pessoa: EDUFPB, 2009.

JAUSS, H. R. A estética da recepção: colocações gerais. In: LIMA, L. C. (coord. e trad.). A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. 2. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002. p. 67-84.

KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2007. (Coleção Papirus Educação).

LUCAS, F. Literatura e comunicação na era da eletrônica. São Paulo: Cortez, 2001.

MERCADO, L. P. L. Novas tecnologias na educação: reflexões sobre a prática. Maceió: EDUFAL, 2002.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 5. ed. Campinas: Papirus, 2012.

PIAGET, J. Science of Education and the Psychology of the child. New York: Orion Press, 1970.

PINHEIRO, H. Poesia na sala de aula. São Paulo: Parábola, 2018. (Série Estratégias de Leitura, 61).

PLAZA, J. Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 1987.

SANCHO, J. Para uma tecnologia educacional. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

VALENTE, J. A. (org.). Computadores e Conhecimento: repensando a educação. Campinas: UNICAMP, 1993.

WOLTON, D. Internet e depois? Uma teoria crítica das novas mídias. 3. ed. Tradução: Isabel Crossetti. Porto Alegre: Sulina, 2012. (Coleção Cibercultura).


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id5317

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 615

Total de downloads do artigo: 268