Terceirização: um estudo sobre trabalho e trabalhadores do IFPB, Campus João Pessoa

Gekbede Dantas Targino

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus João Pessoa Brasil

Eduardo Fernandes Felix

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus João Pessoa Brasil

Alysson Gabriel Ferreira Pessoa

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus João Pessoa Brasil

Israel Marcelino da Silva

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), campus João Pessoa Brasil

Resumo

Este artigo objetiva apresentar os resultados do nosso estudo sobre a terceirização no IFPB, Campus João Pessoa, entre 2017 e 2019, com projetos executados a partir de editais vinculados na instituição. Buscamos compreender o fenômeno da terceirização na Administração Pública por meio dos trabalhadores ligados ao suporte ao ensino. Escolhemos a metodologia quantitativa para sistematizar os dados oriundos dos 38 questionários aplicados e das entrevistas semiabertas, com aporte teórico da Sociologia do Trabalho. A terceirização, como prática do trabalho, não é um fenômeno novo. Ela é considerada para a administração um dos mecanismos potencializadores do alcance da gestão, porém pode revelar situações de degradação no trabalho e gargalos na obtenção da eficiência, dependendo de como ocorrem as contratações. A abordagem do tema nos faz compreender os trabalhadores chamados para a eficiência, mas colocados nos bastidores. Quem são esses trabalhadores? Como percebem o seu próprio trabalho? Como se relacionam com a instituição? Quais setores ocupam? Por fim, tais observações nos mostram o cenário dos impactos do trabalho terceirizado, bem como suas condições. Visto que o trabalho é um elemento estruturante das relações sociais, refletir sobre esse assunto é compreender todas as suas dimensões no serviço público.

Palavras-chave


Trabalho; Terceirização; Administração Pública


Texto completo:

Referências


ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho: ensaios sobre a metamorfose e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez, 1995.

ANTUNES, Ricardo . Século XXI: nova era da precarização estrutural do trabalho? In.: ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy. Infoproletários: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009. p. 231-238.

ANTUNES, Ricardo (Org.). Riqueza e miséria do trabalho no Brasil III. São Paulo: Boitempo, 2014.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BRASIL. Lei nº 13.429, de 31 de março de 2017. Altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras providências; e dispõe sobre as relações de trabalho na empresa de prestação de serviços a terceiros. Congresso Nacional, Brasília, 2017a. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis n º 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Congresso Nacional, Brasília, 2017b. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2020.

CATTANI, Antonio David. (Org.). Trabalho: horizonte 2021. Porto Alegre: Escritos, 2014.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos. São Paulo: Atlas, 2000.

DIAS, Ana Patrícia. A terceirização da força de trabalho: precarização, desigualdade e conflitos. Natal: EDUFRN, 2014.

DIAS, Reinaldo. Reestruturação produtiva e os processos de terceirização nas empresas. In.: DIAS, Reinaldo. Sociologia das Organizações. São Paulo: Atlas, 2008. p. 130-144.

DIAS, Sabrina de Oliveira Moura. Do paradigma da terceirização à prática da desterceirização nas empresas. In.: OLIVEIRA, Roberto Véras de; SANTANA, Marco Aurélio (Orgs.). Trabalho em territórios produtivos reconfigurados no Brasil. João Pessoa: UFPB, 2013, pp. 75-105.

DRUCK, Graça. Terceirização: (des)fordizando a fábrica – um estudo do complexo petroquímico da Bahia. São Paulo: Boitempo, 1999.

DRUCK, Graça. A terceirização na saúde pública: formas diversas de precarização do trabalho. Trabalho. Educação. Saúde, vol. 14. Rio de Janeiro, 2016, pp. 15-43. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v14s1/1678-1007-tes-14-s1-0015.pdf. Acesso em: 2 nov. 2018.

JÚNIA, Raquel. Adeus ao direito do trabalho. Revista POLI, EPSJV, Fiocruz, jul./ago. 2016.

LIMA, Jacob Carlos (Org.). Ligações perigosas: trabalho flexível e trabalho associado. São Paulo: Annablume, 2007. (Coleção Trabalho e a Contemporaneidade).

LIMA, Jacob Carlos. A terceirização e os trabalhadores: revisitando algumas questões. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 2010a, vol. 13, n. 1, pp. 17-26.

LIMA, Jacob Carlos. Participação, empreendedorismo e autogestão: uma nova cultura do trabalho? Sociologias. Porto Alegre, ano 12, n. 25, set./dez. 2010b, pp. 158-198.

MAIA, Samantha. A terceirização do trabalho será liberada no Brasil? Carta Capital, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2016.

MARTINELLO, Braz Lincoln. O princípio da eficiência na terceirização dos serviços na administração pública. Um dilema: continuar contratando ou abrir concurso público? 95f. Monografia (Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Administrativo e Gestão Pública). Brasília: UNICEUB/ICPD, 2006.

OLIVEIRA, Sidinei Rocha de; PICCININI, Valmíria Carolina. A constituição do trabalho na sociedade moderna. In.: PICCININI, Valmíria Carolina; ALMEIDA, Marilis Lemos de; OLIVEIRA, Sidinei Rocha de (Orgs.). Sociologia e Administração: relações sociais nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. p. 203-218.

POCHMANN, Márcio. O trabalho terceirizado. In.: POCHMANN, Márcio. Nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Boitempo, 2012, pp. 109-123.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id4996

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 467

Total de downloads do artigo: 262