Propriedades da cana-de-açúcar e qualidade da bebida brasileira caldo de cana

João Víctor de Andrade dos Santos

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Coxim Brasil

Geilson Rodrigues da Silva

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Brasil

Lucas Pereira Gandra

ORCID iD UNOPAR, Pólo Coxim / Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Brasil

Angela Kwiatkowski

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso do Sul (IFMS), Campus Coxim Brasil

Aline dos Santos Garcia Gomes

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Campus Rio de Janeiro Brasil

Resumo

Além de ser matéria-prima para o açúcar, a cana é considerada uma alternativa para o setor de biocombustíveis e outras bioenergias são produzidas a partir da queima do seu bagaço. A cana também é utilizada in natura sob a forma de forragem, e também como alimentação animal ou como matéria-prima para a fabricação de cachaça, caldo de cana, rapadura e melado. O caldo de cana é uma bebida obtida pela extração do caldo pela moagem (esmagamento) do colmo da cana-de-açúcar. O alto teor de sacarose em sua composição química, confere ao colmo o sabor doce devido. A cana-de-açúcar é uma cultura semiperene de grande versatilidade, sendo matéria-prima do açúcar (sacarose), da cachaça, do álcool e da rapadura. Como há poucos trabalhos na literatura científica que destacam a cana-de-açúcar para produção da bebida caldo de cana, também conhecida como garapa, este trabalho visa apresentar alguns aspectos da cultura e da bebida, como características químicas e conservação. A conservação é um aspecto importante a ser analisado, visto que o caldo de cana tem em sua composição alto teor de sacarose, o que pode promover elevado índice de degradação dos componentes da bebida e reduzir sua qualidade tão apreciada pelos brasileiros. Embora seja uma bebida popular, o caldo de cana ainda carece de condições de higiene mais apropriadas para a sua comercialização. Sendo assim, este trabalho destaca que ainda são necessárias contribuições científicas para o fortalecimento comercial da bebida.

Palavras-chave


Saccharum L.; Conservação; Qualidade; Garapa; Moagem


Texto completo:

Referências


AMSON, G. V. Comércio ambulante de alimentos em Curitiba: perfil de vendedores e propostas para programa de boas práticas higiênicas na manipulação de alimentos. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Alimentos) – Setor de Tecnologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (BNDS); CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS (CGEE). Bioetanol de cana-de-açúcar: energia para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Série Informe Técnico, nº 35 de 19 de junho de 2008. Gerenciamento do risco sanitário na transmissão de doença de Chagas aguda por alimentos. 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. RDC n. 218 de 29 de julho de 2005. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Higiênicos-Sanitários para manipulação de alimentos e bebida preparados com vegetais, 2005.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Secretária de Vigilância em Saúde. Departamento de Apoio à Gestão de Vigilância em Saúde. Manual Técnico de Diagnóstico Laboratorial da Salmonella spp. Série de Normas e Manuais Técnicos, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN NET. Doença de Chagas Aguda: casos confirmados 2011. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/tabnet/dh?sinannet/chagas/bases/chagasbrnet.def. Acesso em: 30 de jun. 2020.

CARVALHO, L. R.; MAGALHÃES, J. T. Avaliação da qualidade microbiológica dos caldos de cana comercializados no centro de Itabuna – BA e práticas de Produção e higiene de seus manipuladores. Revista Baiana de Saúde Pública, Ilhéus, v. 31, n. 2, p. 238-245, 2007.

CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento. 2019. Acompanhamento da safra brasileira. Disponível em: http://www.conab.gov.br/. Acesso em: 10 de jul. de 2020.

COSTA, M.; TAVARES, V. R.; AQUINO, M. V. M.; MOREIRA, D. B. Doença de Chagas: Uma revisão bibliográfica. Revista Eletrônica Refacer. v. 2, n. 1, p. 1-20, 2013.

FAVA, A. R. Atletas ingerem garapa para repor energia. Jornal da UNICAMP, Campinas, 3-9 maio 2004.

FERNANDES, A. C. Cálculos na agroindústria da cana-de-açúcar. 2. ed. Piracicaba, SP: Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros do Brasil (STAB), 2003.

GUERRERO, I.; CHABELA, L. Meat and Poultry. Spoilage of cooked meats and meat products. Problems caused by bacteria. p. 1266-1272. In: Robinson, R., Batt, C. & Patel, P. Encyclopedia of food microbiology. Bath: Academic Press, 2000.

HAMERSKI, F. Estudo de variáveis no processo de carbonatação do caldo de cana-de-açúcar. 150 f. Dissertação de Mestrado em Tecnologia de Alimentos, Setor de Tecnologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009.

IANNI, B. M.; MADY, C. Como era gostoso o meu caldo de cana. Arquivos Brasileiro de Cardiologia, v. 85, n. 6, p. 379-381,2005.

KLEIN, V. Características agronômicas, químicas e bromatológicas de variedades de cana-de-açúcar para uso forrageiro. 39 f. Dissertação de Mestrado em Agronomia, Departamento de Agronomia, Universidade Federal de Goiás, Jataí, 2010.

LOPES, C. H.; GABRIEL, A. V. M. D.; BORGES, M. T. M. R. Produção de etanol a partir da cana-de-açúcar: tecnologia de produção de etanol. 2017.

MACHADO, C. M. M.; ABREU, F. R. Produção de álcool combustível a partir de carboidratos. Revista de Política Agrícola, s/v, n. 3, p. 64-78, 2006.

MANOCHIO, C. Produção de bioetanol de cana-de-açúcar, milho e beterraba: uma comparação dos indicadores tecnológicos, ambientais e econômicos. 35 f. Trabalho de conclusão de curso, Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Alfenas, Poços de Caldas, 2014.

MAPA. Ministério da Agricultura. Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Política Agrícola. Departamento de Café, Cana-de-Açúcar e Agroenergia. Produção Brasileira de Cana-de-açúcar, Açúcar e Etanol. 2020. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/agroenergia/arquivosproducao/001PRODUOBRASILEIRADECANADEACARACAREETANOL_10072020.pdf. Acesso em 18 jul. 2020.

MARQUES, G. M. R. Secagem de Caldo de Cana em Leito de Espuma e Avaliação

Sensorial do produto. 2009. 84 f. Dissertação em engenharia de Alimentos. Departamento

de Engenharia de Alimentos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetinga, 2009.

OLIVEIRA, A. C. G.; NOGUEIRA, F. A. G.; ZANÃO, C. F. P.; SOUZA, C. W. O.; SPOTO, M. H. F. Análise das condições do comércio de caldo de cana em vias públicas de municípios paulistas. Segurança Alimentar e Nutricional. v. 13, n. 2, p. 6-18, 2006.

PEREIRA, D. H.; GROTTO, C. G. L. Produção e análises de combustíveis sólidos alternativos obtidos a partir de resíduos agroindustriais. Desafios-Revista Interdisciplinar Da Universidade Federal Do Tocantins, v. 5, n. Especial, p. 196-203, 2018.

PRADO, S. P. T.; BERGAMINI, A. M. M.; RIBEIRO, E. G. A.; CASTRO, M. C. S.; OLIVEIRA, M. A. Avaliação do perfil microbiológico e microscópico do caldo de cana in natura comercializado por ambulantes. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 69, n. 1, p. 55-61, 2010.

REZZADORI, K. Pasteurização térmica e com membranas de caldo de cana adicionado de suco de maracujá. Dissertação de mestrado. 161 f. Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Programa de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos. Florianópolis, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/94346/278703.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em 18 jul. 2020.

RIBEIRO, F. C.; SILVA, J. I. C.; SARAIVA, A. S.; BARRO FILHO, C. D. ARAÚJO, R; J. T.; ERASMO, E. A. L. Cana de açúcar no cenário energético tocantinense: influência da adubação química sobre variáveis agroindustriais Revista Brasileira de Energias Renováveis, v. 4, p. 24- 37, 2015.

RIPOLI, T. C. C.; RIPOLI, M. L. C. Biomassa de cana-de-açúcar: colheita, energia e ambiente. Piracicaba: Barros e Marques Ed. Eletrônica, 302 p, 2004.

ROACH, B. T.; Daniels, J. A review of the origin and improvement of sugarcane. In: Oficina Proc Copersucar Int da Raça Canavieira. Centro Tecnológico Copersucar, Piracicaba-SP,

p. 1-31, 1987.

RODRIGUES, L. D. A cana-de- açúcar como matéria prima para a produção de biocombustíveis: Impactos Ambientais e o zoneamento agroecológico como ferramenta para mitigação. 64 f. Trabalho de conclusão de curso em análise ambiental, Faculdade de Engenharia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2010.

ROSS, T.; NICHOLS, D. Ecology of bacteria and fungi in foods. Influence of temperature. In: Robinson, R.; Batt, C. & Patel, P. Encyclopedia of food microbiology. Bath: Academic Press. 2000.

SANTOS, M. A. Caldo de cana (Saccharum officinarum) probiótico adicionado de prebióticos: aceitação sensorial e estabilidade físico-química e probiótica. 85 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Alimentos). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos – PEG/UEM, Universidade Estadual de Maringá, Maringá-PR, 2018.

SEABRA, J. E. A. Avaliação técnico-econômica de opções para o aproveitamento integral da biomassa de cana no Brasil. 298 f. Tese (Doutorado em Planejamento de Sistemas Energéticos), Escola de Engenharia, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2008.

SILVA, N.; JUNQUEIRA, V. C. A.; ARRUDA, S. N. F.; TANIWAKI, M. H.; GOMES, R. A. R.; OKAZAKI, M. M. Manual de métodos de análise microbiológico de alimentos. São Paulo: Varela, 2017.

SILVA XAVIER, C. G.; BACELAR, R. G. A.; SANTOS, E. J. R.; LANICELI, J. A.; BRITO, M. C.; MURATORI, M. C. S. Condições higiênicos sanitárias do caldo de cana-de-açúcar comercializado em Teresina–Piauí. PUBVET, v. 12, p. 133, 2018.

SIQUEIRA, R. S. Manual de microbiologia de alimentos. Brasília: EMBRAPA, SPI: Rio de Janeiro: EMBRAPA, CTAA, 1995.

SUZART, C. A. G.; BERGARA, S.; MOLINA, G.; MORETTI, R. H. Caracterização de cultivares de cana-de-açúcar (Saccharum ssp.) para a produção de caldo de cana: Rendimento de caldo e valor de Brix. In: Congresso Brasileiro de Ciências e Tecnologia de Alimentos. 2007.

TENUTES, A.; COUTINHO, L. S.; SCABORA, M. H. Condições higiênico-sanitárias e qualidade microbiológica do caldo de cana na região da prainha, em Cuiabá-MT. In: Simpósio de Segurança alimentar alimentação e saúde. 5, 2015. Bento Gonçalves. ANAIS. 6 p. 2015.

VIAN, C. E. F. Árvore do conhecimento cana-de-açúcar: qualidade da matéria-prima. Ageitec. EMBRAPA. Brasília, 2006. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-deacucar/arvore/CONTAG01_138_22122006154842.html. Acesso em: 30 jun. 2020.

WHO-WORLD HEALTH ORGANIZATION. Weekly epidemiological record. 6 FEBRUARY. n. 6. Suppl. 90. p. 33–40. 2015.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id4793

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 362

Total de downloads do artigo: 197