Avaliação da Qualidade das carcaças de cordeiros alimentados com diferentes substratos alternativos da cultura do Abacaxi (Ananas comossus)

Carlos Wagner Carvalho Pinto

Médico veterinário Brasil

Louis Helvio Rolin de Brito

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Wandrick Hauss de Sousa

ORCID iD Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (EMEPA) Brasil

Maria das Graças Gomes da Cunha

Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (EMEPA) Brasil

Janduí Escarião da Nobrega Junior

ORCID iD Faculdade Murialdo (FAMUR) Brasil

Resumo

O experimento teve como objetivo avaliar o efeito de diferentes dietas sobre as características quantitativas e qualitativas da carcaça de cordeiros Santa Inês. Foram utilizados 24 cordeiros Santa Inês, do sexo masculino, não castrados, com idade média de cinco meses e com peso inicial de 18,5 kg. O experimento foi submetido a um Delineamento Inteiramente Casualisado (DIC) com oito repetições (animais) e três tratamentos. A fase experimental foi de 63, 80,5 e 98 dias, para os animais alimentados com as seguintes dietas: substrato de abacaxi mais concentrado (T2), silagem mista de milho-capim d’água mais concentrado (T3) e feno de capim d’água mais concentrado (T1), respectivamente. Os resultados obtidos foram: os animais alimentados com o feno de substrato de abacaxi e a silagem mista de milho-capim d’água obtiveram os melhores pesos de carcaça quente e fria (14,16 kg e 13,7 kg; 13,21 kg e 13,01 kg, respectivamente), quanto ao rendimento verdadeiro de carcaça, o feno de substrato de abacaxi obteve melhor resultado que os demais. Em relação às medidas de morfométria e à compacidade das carcaças, não houve diferença entre as dietas fornecidas. No que diz respeito aos cortes comerciais, foram encontrados os seguintes resultados em percentagem nas meias-carcaças: T1 - 8,86 % (pescoço); 19,27 % (paleta); 26,79 % (costela); 11,61 % (lombo) e 33,45% (perna). T2 – 8,54% (pescoço); 19,80 % (paleta); 26,56 % (costela); 13,90 % (lombo) e 31,18 % (perna). T3 – 8,56 % (pescoço); 20,79 % (paleta); 25,61 % (costela); 13,33 % (lombo) e 31,69 % (perna), respectivamente. Para as características qualitativas da carcaça, os tratamentos não apresentaram diferenças, com exceção do T2, que foi inferior aos demais quanto à textura da carne. O T2 proporcionou resultados acima dos demais tratamentos – T3 e T1 – para: Ganho de Peso Médio Diário, Conversão Alimentar, Peso da Carcaça Quente, Peso da Carcaça Fria e Rendimento Verdadeiro.

Palavras-chave


Cordeiro; Dieta; Nutrição; Carne


Texto completo:

Referências


ALVES, D. D. et al. Características de carcaça, componentes não-carcaça e morfometria em ovinos submetidos a diferentes estratégias de suplementação. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 34, n. 6, p. 3093-3104, nov./dez. 2013.

CARTAXO, F. Q. et al. Características quantitativas da carcaça de cordeiros terminados em confinamento e abatidos em diferentes condições corporais. R. Bras. Zootec., v. 38, n. 4, abr. 2009.

COSTA. G. Os maiores produtores nacionais de abacaxi. Disponível em: http://gonzagacosta.blogspot.com.br/2015/06 /os-maiores-produtores-nacionais-de_3.html. Acesso em: 24 out. 2017.

CUNHA, M. das G. G. et al. Características quantitativas de carcaça de ovinos Santa Inês confinados alimentados com rações contendo diferentes níveis de caroço de algodão integral. R. Bras. Zootec., v. 37, n. 6, p.1112-1120, 2008.

FERNANDES, A. R. M. et al. Características qualitativas da carcaça e da carne de cordeiros terminados em confinamento alimentados com dietas contendo soja grão ou gordura protegida. R. Bras. Zootec., v. 40, n. 8, p.1822-1829, 2011.

GIANLORENÇO, V. K. A produção de carne ovina pode ser mais rentável que bovina. 2015. Disponível em: http://www.sebraesp.com.br/index.php/165-produtos-online/administracao/publicacoes/artigos/8030-producao-de-carne-ovina-pode-ser-mais-rentavel-que-bovina. Acesso em: 19 mai. 2017.

GRANDIS, F. A. et al. Características de carcaças e qualidade da carne de cordeiros Alimentados com diferentes teores de torta de soja em substituição ao farelo de soja. Cienc. Anim. Bras., Goiânia, v. 17, n. 3, p. 327-341, jul./set. 2016.

IBGE. Produção da Pecuária Municipal. Rio de Janeiro. 2011a. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Producao_Pecuaria/Producao_da_Pecuaria_Municipal/2011/tabelas_pdf/tab01.pdf. Acesso em: 12 jul. 2017.

. Produção da Pecuária Municipal. Rio de Janeiro. 2011b. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Producao_Pecuaria/Producao_da_Pecuaria_Municipal/2011/tabelas_pdf/tab04.pdf. Acesso em: 12 jul. 2017.

MARQUES, B. A. de A. et al.Características quantitativas e qualitativas da carcaça de ovinos Santa Inês em função da relação volumoso:concentrado na dieta, com e sem gordura protegida. Rev. Acad. Ciênc. Anim., v. 14, p. 91-100, 2016.

MASCIOLI, A. S. et al. Pesos e rendimentos de carcaça de ovinos Santa Inês alimentados com farelo do fruto da manga em substituição ao farelo de milho. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA. Águas de Lindoia, SP, 18 a 22 de maio de 2009. Disponível em: http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CPATSA-2009-09/40999/1/OPB2358.pdf. Acesso em: 12 jul. 2017.

MÜLLER, L. Normas para a avaliação de carcaças e concurso de carcaças de novilhos. 2. ed. Santa Maria: Imprensa Universitária, 1987. 31p.

NRC. National Research Council. Nutrient requeriment of sheep. 6. ed. Washington: National Academy Press, 1985. 99p.

PINTO, C. W. C.; COSTA, J. M. O.; NOBREGA JUNIOR, J. E. Alternativa para produção de cordeiros Santa Inês em confinamento, alimentados com subprodutos da agroindústria. Revista AGROTEC, v. 35, n. 1, p 185-190, 2014.

RIISPOA. Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal. 2017. DECRETO Nº 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9013.htm. Acesso em: 14 mar. 2018.

SAS Institute. SAS user’sguide: statitics. 5. ed. Cary, Ny, 1985. 956p.

SILVA, D.V. Análises de alimentos. Métodos químicos e biológicos. 2. ed. Viçosa: Universitária, 1990, 165p.

SOARES, B. C. et al. Desempenho e características de carcaças de cordeiros suplementados com diferentes níveis de resíduo de biodiesel. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v. 64, n. 6, Belo Horizonte, dez. 2012.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n42p146-153

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1388

Total de downloads do artigo: 1150