Análise dos acidentes de trânsito com vítimas fatais no município de Natal/RN no período de 1999 a 2014

Emilly Lindolfo de Souza

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Sybelle Araujo Dantas

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Nabel Khivya Correia Costa

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Jássio Pereira de Medeiros

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Lenin Cavalcanti Brito Guerra

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Brasil

Resumo

Nos últimos anos, os acidentes de trânsito apresentam-se como uma das principais causas dos altos índices de mortalidade no Brasil, principalmente entre os homens e os jovens. Nesse contexto, o município de Natal-RN apresenta números consideráveis em acidentes de trânsito, sendo esse um problema também mundial. Dessa forma, o objetivo deste texto é analisar, por meio de diversos indicadores (número de mortes, gênero, faixa etária, tipo de envolvido e tamanho da frota) a evolução dos acidentes de trânsito, com vítimas fatais, ocorridos no município de Natal-RN, no período de 1999 a 2014. Trata-se, pois, de um estudo predominantemente descritivo, fundamentado em dados secundários disponibilizados pelo Ministério da Saúde e pelo Denatran. A partir deste estudo, constatou-se que os acidentes de trânsito com vítimas fatais estão se tornando mais frequentes e sendo causados, na maioria das vezes, por indivíduos do sexo masculino, jovens, motociclistas e pedestres. Destaca-se que o foco das observações do perfil esteve voltado para os “causadores” dos acidentes, e não das vítimas. Essas informações seriam justificadas pelo aumento constante da frota de veículos no período estudado. Assim sendo, estes dados revelam a necessidade de maior intervenção do Estado na implementação de programas preventivos, na execução de suas funções sociais, na aplicação de ações fiscalizadoras efetivas, avançando, assim, nos estudos a respeito da qualidade dos investimentos em relação à redução dos índices de acidentes de trânsito e, consequentemente, na minimização do número de mortalidade.

Palavras-chave


Acidentes; Trânsito; Mobilidade urbana; Mortalidade


Texto completo:

Referências


ANDRADE, S. M.; MELLO-JORGE, M. H. P. Características das vítimas por acidentes de transporte terrestre em município da região sul do Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 34, p. 149-156, 2000.

ANDRADE, L. M. et al. Acidentes de motocicleta: características das vítimas e dos acidentes em hospital de Fortaleza–CE, Brasil. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, v. 10, n. 4, 2009.

ANDRADE, S. S. C. A.; MELLO-JORGE, M. H. P. Internações hospitalares por lesões decorrentes de acidente de transporte terrestre no Brasil, 2013: permanência e gastos. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 26, n. 1, p. 31-38, mar. 2017.

BACCHIERI, G.; BARROS, A. J. D. Acidentes de trânsito no Brasil de 1998 a 2010: muitas mudanças e poucos resultados. Revista de Saúde Pública, v. 45, n. 5, p. 949-963, 2011.

BASTOS, Y. G. L.; ANDRADE, S. M.; SOARES, D. A. Características dos acidentes de trânsito e das vítimas atendidas por serviço pré-hospitalar em cidade do Sul do Brasil, 1997-2000. Cadernos de Saúde Pública, v. 21, n. 3, p. 815-822, jun. 2005.

BARROS, A. J. D. et al. Acidentes de trânsito com vítimas: sub-registro, caracterização e letalidade. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 4, p. 979-986, ago. 2003.

BRASIL, Ministério da Saúde. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10). 10ª Revisão. Brasília: v.1, 1993.

BRASIL. Lei n. 9.503, de 23 de setembro de 1997. Institui o Código de Trânsito Brasileiro. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 set. 1997.

BRASIL. Lei n. 11.705, de 19 de junho de 2008. Dispõe sobre o consumo de bebida alcoólica por condutor de veículo automotor, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 jun. 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Óbitos por causas externas – 2014. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/ext10uf.def. Acesso em: 25 nov. 2016.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia Científica. São Paulo: Pearson, 2007.

COSTA, L. A. Caracterização dos acidentes de trânsito no município de Goiânia-GO. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva), Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

DENATRAN. Estatísticas Gerais sobre Trânsito. Brasília: Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN, 2015.

DESLANDES, S. F.; SILVA, C. M. F. P. Análise da morbidade hospitalar por acidentes de trânsito em hospitais públicos do Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 34, n. 4, ago. 2000.

DETRAN-RN. Relatório estatístico das vítimas fatais em acidentes de trânsito, no Rio Grande do Norte, no ano de 2014. Natal, 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=240810. Acesso em: 27 out. 2016.

IPEA. Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras – Relatório Executivo. Brasília: IPEA/DENATRAN/ANTP, 2006.

IPEA. Estimativa dos Custos dos Acidentes de Trânsito no Brasil com Base na Atualização Simplificada das Pesquisas Anteriores do Ipea: Relatório de Pesquisa, 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/160516_relatorio_estimativas.pdf. Acesso em: maio 2017.

MARÍN, L.; QUEIROZ, M. S. A atualidade dos acidentes de trânsito na era da velocidade: uma visão geral. Cadernos de Saúde Pública, v. 16, n. 1, p. 7-21, 2000.

MELCOP, A. G. T.; CHAGAS, D. M. M.; AGRIPINI FILHO, D. O consumo de álcool e os acidentes de transito: Pesquisa sobre a associação entre o consumo de álcool e os acidentes de transito nas cinco regiões brasileiras. Recife -PE: CCS Gráfica e Editora, 2011.

MELLO-JORGE, M. H. P. Acidentes de trânsito no Brasil: um atlas de sua distribuição. São Paulo: ABRAMET, 2013.

MORAIS NETO, O. L. et al. Mortalidade por acidentes de transporte terrestre no Brasil na última década: tendência e aglomerados de risco. Ciência & saúde coletiva, v. 17, n. 9, p. 2223-2236, 2012.

NEVES, J. L. R. Síndrome de ícaro: a educação infantil e a segurança no trânsito brasileiro. Rio de Janeiro: FUNENSEG, 2002.

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES. Evolução da frota de automóveis e motos no brasil 2001–2012. Relatório 2013. Disponível em: http://www.observatoriodasmetropoles.net/download/auto_motos2013.pdf. Acesso em: 25 nov. 2016.

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES. Estado da motorização individual no Brasil. Relatório 2015. Disponível em: http://www.observatoriodasmetropoles.net/download/automoveis_e_motos2015.pdf. Acesso em: 25 nov. 2016.

OLIVEIRA, N. L. B.; SOUSA, R. M. C. Diagnóstico de lesões e qualidade de vida de motociclistas, vítimas de acidente de trânsito. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 11, n. 6, p. 749-756, dez. 2003.

OLIVEIRA, N. L. B.; SOUSA, R. M. C. Motociclistas frente às demais vítimas de acidentes de trânsito no município de Maringá. Acta Scientiarum Health Sciences, v. 26, n. 2, p. 303-310, 2004.

OMS. Relatório global sobre o estado da segurança viária 2015. Disponível em: http://www.who.int/violence_injury_prevention/road_safety_status/2015/Summary_GSRRS2015_POR.pdf. Acesso em: 25 nov. 2016.

PAIXÃO, L. M. M. M. Acidentes de trânsito em Belo Horizonte [manuscrito]: qualificação da informação e caracterização de grupos vulneráveis 2008 – 2010. 2014. 122 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública)–Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

PORTAL DO TRÂNSITO BRASILEIRO. Acidentes – causas. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2016.

RAMOS, C. S. Caracterização do acidente de trânsito e gravidade do trauma: um estudo em vítimas de um hospital de urgência em Natal/RN. 2008. 117 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem)–Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2008.

SANTOS, A. M. R. et al. Distribuição geográfica dos óbitos de idosos por acidente de trânsito. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 20, n. 1, 2016.

SOARES, D. F. P. P.; BARROS, M. B. A. Fatores associados ao risco de internação por acidentes de trânsito no Município de Maringá-PR. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 9, n. 2, p. 193-205, jun. 2006.

SOARES, R. A. S. et al . Caracterização das vítimas de acidentes de trânsito atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) no Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, Brasil, em 2010. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 21, n. 4, p. 589-600, dez. 2012 .

SOUZA, V. R.; CAVENAGHI, S.; ALVES, J. E. D. Mapeamento dos óbitos por local de ocorrência dos acidentes de trânsito na cidade do Rio de Janeiro. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 15., 2006, Caxambu-MG. Anais... Caxambu-MG: ABEP, set. 2006. Disponível em: http://www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2006/docspdf/ABEP2006_358.pdf. Acesso em: 20 jul. 2011.

JUNIOR, R. T.; BRAGA, M. G. C. Avaliação das informações estatísticas de acidentes de trânsito disponíveis nos sites dos departamentos estaduais de trânsito do Brasil. Rio de Janeiro, 2010.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n42p59-71

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 1480

Total de downloads do artigo: 1205