ENRIQUECIMENTO NUTRICIONAL DA CASCA DE BANANA POR PROCESSO BIOTECNOLÓGICO PARA OBTENÇÃO DE RAÇÃO ANIMAL PELETIZADA

Lúcia Fátima Araújo

ORCID iD http://www.ufrn.br Universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil

Profa. Dra. Adjunta da UFRN

Emerson Moreira Aguiar

ORCID iD http://www.ufrn.br Universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil

Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias

Escola Agrícola de Jundiaí

Robson Rogério Pessoa Coelho

ORCID iD http://www.ufrn.br UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Brasil

Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias

Escola Agrícola de Jundiaí

Luiz Eduardo Santiago

ORCID iD http://www.ufrn.br Universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil

Engenheiro Químico da UFRN

Adriana Margarida Zanbotto

ORCID iD http://www.ufrn.br universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil

Bacharel em Química

Programa de Pós-Graduação em produção Animal da UFRN

Resumo

A industrialização do principal resíduo da banana é a sua casca que compreende aproximadamente 45% do peso total deste fruto. O trabalho teve como objetivo analisar o aproveitamento da casca de banana madura na alimentação animal em forma de pellet. O enriquecimento das cascas de banana foi realizado em quatro tratamentos a seguir:  T1 = Casca de banana na forma in natura; T2 = Casca de banana + 2% de levedura; T3 + Casca de banana + 2% de levedura + 1% de ureia; T4 + Casca de banana + 2% de levedura + 2% de ureia. Foram analisadas as características químicobromatologica dos tratamentos na forma in natura e processada, obtendo-se valores proteicos de 5,28%; 12,33%; 12,33% e 24,09%, respectivamente. O enriquecimento dos pelletes de casca de banana com a levedura e/ou ureia aumentaram substancialmente o valor proteico destes em relação deste na forma in natura. Os tratamentos que foram adicionados os níveis de ureia (1 % e 2%) reduziram os conteúdos de FDN, FDA, CHOT, CNF, CEL e HC nos pelletes, porém deferiram entre si (P<0,005). Para os teores de MS e PB houve um aumento significativo (P<0,005) em relação aos pelletes na forma in natura, resultando em uma elevada eficiência da bioconversão do processo.

 

Texto completo:

Referências


A.O.A.C. ASSSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS -Official methods of analysis. 15 ed. Arlington; 2005.

ARAÚJO, L. F.; Enriquecimento proteico do mandacaru sem espinhos (Cereus jamacaru P.DC) e palma forrageira (Opuntia ficus-indica Mill) por fermentação semi-sólida. 2004. 195f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB

ARAÚJO, L. F.; MEDEIROS, A. N.; PERAZZO NETO, A.; OLIVEIRA, L. S. C.; SILVA, F. L. H. Protein enrichment of cactus pear (Opuntia ficus indica Mill) using Saccharomyces cerevisae in solid-state fermentation. Brasilian Archives of Biology and Technology, v. 48, n. Special, p. 161-168, 2005.

ARAÚJO, L. F.; AGUIAR. E. M.; COELHO, R. R. P. “Processo biotecnológico para produção de ração peletizada contendo resíduos de caju”. Patente de Invenção: submetida ao NIT-UFRN Número do registro - BR 10 2015 025182 3 data de depósito: 01/10/15 Universidade Federal do Rio Grande do Norte – Natal – RN. Brasil.

ELIYAHU, D.; YOSEF, E.; WEINBERG, Z.G. HEN, Y.; NIKBACHAT, M.; SOLOMON, R.; 312 MABJEESH, S.J. Composition, preservation and digestibility by sheep of wet by-products from 313 the food industry. Animal Feed Science and Technology, 2015.

EMAGA, H. T. et al. Ripening influences banana and plantain peels composition and energy contented. Tropical Animal Health and Production. vol. 43, p. 171-177. Kluwer Academic Publishers. Boston, 2011

FERREIRA, D. F. Sistema para análise de variância (Sisvar). Apostila, UFLA:

Lavras, 2000. 38p.

FIGUEIREDO, M. P. Nutrição de bovinos leiteiros e reações metabólicas. Bahia Agrícola, v.1, n.2, p. 51, 1996.

FREITAS, A.W. de P; PERREIRA, J.C.; ROCHA, F.C.; COSTA, M.G.; LEONEL, F.P.; 316 RIBEIRO, M.D. Avaliação da qualidade nutricional da silagem de cana-de-açúcar com aditivos 317 microbianos e enriquecida com resíduo da colheita de soja. Revista Brasileira de Zootecnia, 318 Viçosa, v.35, n.1, 2006.

GONDIM, J.A.M; MOURA, M.F.V; DANTAS, A. S; MEDEIROS, R.L.S; SANTOS, K.M. composição centesimal e de minerais em cascas de frutas. Campinas, Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 25, n.4, p.825-827, dez.2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Levantamento Sistemático 327 da Produção Agrícola. Rio de Janeiro v.29 n.7 p.1-87, 2016.

N.R.C. NATIONAL RESEARCH COUNCIL. (Washington). Nutrient requirements of beef cattle. 6. ed. Washington: National Academy of Science, (Nutrient requirements of domestic animals, 6) v.1. p.157,2001.

PONTES, S.F.O: CARNEIRO, J.C.S.S.; BONOMO, P.; CHAVES, M.A. Processamento e qualidade de banana da terra (musa sapientum) desidratada. Itapetinga, Dissertação (Mestrado em Engenharia de Processos de Alimentos) Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. 86p.2009.

RIBEIRO, W. S.; COSTA, L.C.; ALMEIDA, E.I.B. CARNEIRO, G.G.; BARBOSA, J.A. 351 Procedência, qualidade e perdas pós-colheita de banana Pacovan no mercado atacadista da 352 EMPASA de Campina Grande, PB. Tecnologia & Ciência Agropecuária, v.4, n.3, p.33-42, 2010.

SEBRAE. Conheça o mercado da bananicultura. Informativo 2016. Serviço Brasileiro de 361 Apoio à Micro e Pequenas Empresas, 2016. Disponível em: 362

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/conheca-o-mercado-da-363 bananicultura,187b9e665b182410VgnVCM100000b272010aRCRD. Acessado em: 23 de março de 2019.

SILVA, J.D. Análise de Alimentos (métodos químicos e biológicos). Editora UFV. São Paulo, 1998.

SLATER, A.L., EASTRIDGE, M.L. FIRKINS, J.L. Effectes of starch source and leved of forage neutral detergent fiber on performance by dairy sews. Journal of Dray Science. v.83, n.2, p. 313–321,2000.


DOI: http://dx.doi.org/10.35512/ras.v3i2.3046

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 130

Total de downloads do artigo: 121