Saúde dos docentes das escolas municipais de Cáceres, Mato Grosso, Brasil

Fernanda Heloisa de Mello

Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT Brasil

Profissional de Educação Física. Mestra em Educação.  Docente na Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade do Estado de Mato Grosso.

Daniele Helena da Silva

Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Técnica em Enfermagem e Profissional de Educação Física.

Resumo

As implicações para a saúde dos professores, diante das atuais formas de ser do trabalho educativo configuram um quadro problemático, que permeia desde o abandono da carreira até problemas de saúde, colocando em questão os sentidos do trabalho e a sua não realização. Tendo em vista a relevância da temática “os afastamentos de docentes por agravos a saúde” e os reflexos sociais, essa pesquisa teve como objetivo geral identificar as principais causas de afastamento de docentes das atividades laborais nas escolas de Cáceres, Mato Grosso - Brasil, que estejam relacionadas às condições de saúde, a partir da Classificação Internacional de Doenças – CID 10 entre os anos de 2015 e 2018. Para que pudéssemos identificar as causas dos afastamentos docentes adotamos como procedimento técnico a pesquisa documental. As informações necessárias ao desenvolvimento do estudo foram coletadas por meio de atestados médicos, documento este que pode transcrever a causa de afastamento do docente das suas atividades laborais. O aprofundamento das análises foi realizado em trezentos e noventa e seis afastamentos e quatrocentos e noventa e dois registros da CID 10. Debruçamo-nos nas classificações que apareceram com maior frequência, como as das letras F com noventa e um registros, as da letra M com cento e vinte e seis que representam, respectivamente, transtornos mentais e comportamentais e doenças ou problemas relacionados ao sistema musculoesquelético e tecido conjuntivo. Os resultados das análises de afastamentos de docentes das escolas cacerenses alertam para problemas corriqueiros de afastamento de docentes também em outros locais do país. 

Palavras-chave


Afastamento; Docentes; Trabalho; Saúde.


Texto completo:

Referências


ATKINSON, L. R.; et al. Introdução à Psicologia de Hilgard. Tradução Bueno, D.; 13. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 562-563

BASTOS, Joseane Aparecida Quintão Romero. O mal-estar docente, o adoecimento e as condições de trabalho no exercício do magistério, no ensino fundamental de Betim/MG /. Belo Horizonte, MG, f. 149. Dissertação (Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2009.

BATISTA, Jaqueline Brito Vidal; CARLOTTO, Mary Sandra; MOREIRA, Antônio Marcos. Depressão como Causa de Afastamento do Trabalho: Um Estudo com Professores do Ensino Fundamental. Pisco. Porto Alegre, v. 44, n. 2, p. 257-262, abr. - jun. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. CID 10. Departamento de Informática do SUS - DATASUS. 2018. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2018.

CARDOSO, Jefferson Paixão et al. Prevalência de dor musculoesquelética em professores. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 12, n. 4, p. 604, 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2018.

CRUZ, Roberto Moraes et al. Saúde docente, condições e carga de trabalho. Revista Electrónica de Investigación y Docencia (REID), p. 147-160, 4 jul. 2010. http://www.revistareid.net/revista/n4/REID4art8.pdf.

FATCS. AGÊNCIA EUROPEIA PARA A SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO. Introdução às lesões musculoesqueléticas. https://osha.europa.eu/pt/node/6928/file_view. Portugal, 2007. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2018.

GASPARINI, Sandra Maria; BARRETO, Sandhi Maria; ASSUNÇÃO, Ada Ávila. Prevalência de transtornos mentais comuns em professores da rede municipal de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 22, n. 12, p. 2679 - 2691, dez 2016. http://www.scielo.br/pdf/csp/v22n12/16.pdf.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOUVEIA, Carina José Berenguer. Burnout, ansiedade e depressão nos professores. Lisboa, 2010. 44 p. Dissertação (Mestrado Integrado em Psicologia) - Universidade de Lisboa, 2010. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

HARGREAVES, Andy; COSTA, Ronaldo Cataldo; CORSO, Luciana Vellinho. Aprendendo a mudar: O ensino para além dos conteúdos e da padronização. Tradução Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2002.

HARGREAVES, Andy. Os professores em tempos de mudança: o trabalho e a cultura dos professores na idade pós-moderna. In: HARGREAVES, Andy. A intensificação: o trabalho dos professores – melhor ou pior. Alfragide: Mc Graw-Hill Editora de Portugal, 1998.

SCHUSTER, Marcieli; SCHROEDER, Tania Maria Rechia. Estresse, dor e lesões musculoesqueléticas em professores de Cascavel - PR. Educere et Educare Revista de Educação. Cascavel, v. 12, n. 242, jan./abr. 2017. http://e-revista.unioeste.br/index.php/educereeteducare/article/viewFile/14792/11198.

VALENTE, Adriana Maria Silva Lima; BOTELHO, Clovis; SILVA, Ageo Mário Cândido da. Distúrbio de voz e fatores associados em professores da rede pública. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. São Paulo, v. 40, n. 132, p. 183-195, 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/2594-4355a2019v2n1p9-17

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 191

Total de downloads do artigo: 75