SÍNDROME DE BURNOUT: UM ESTUDO EM UM TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS

Fernanda Oliveira Alves

ORCID iD http://lattes.cnpq.br/600606329193026 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG - Campus Araçuaí) Brasil

Bacharel em Administração pelo IFNMG - Campus Araçuaí

Nayara Teixeira Santos

ORCID iD https://lattes.cnpq.br/9711435416463491 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG - Campus Governador Valadares) Brasil

Mestre em Engenharia e Gestão de Processos e Sistemas (IETEC) Pós-graduada em Gerenciamento de Projetos (Estácio de Sá) Graduada em Administração (PUC Minas)

Ismael Mendes dos Santos Júnior

ORCID iD http://lattes.cnpq.br/0934515697449530 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG - Campus Araçuaí) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Brasil

Prof.Ismael Mendes dos Santos Júnior

Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico IFNMG Campus Araçuaí

lattes.cnpq.br/0934515697449530

Kennya de Lima Ribeiro

ORCID iD http://lattes.cnpq.br/6767195797197214 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG - Campus Araçuaí) Brasil

Mestre em Desenvolvimento Social pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Graduada em Administração pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Técnica em Processamento de Dados pela Fundação Educacional Montes Claros (FEMC)

Resumo

Entender de que forma os fatores e as características do ambiente, bem como as condições do trabalho se relacionam com as doenças ocupacionais, entre elas a síndrome de Burnout, se tornou algo importante na atualidade. Nesta direção, este trabalho objetivou analisar como os fatores e as características do ambiente e condições de trabalho podem acarretar a síndrome de burnout em servidores públicos em um tribunal de justiça de Minas Gerais. Para consolidar essa pesquisa utilizou-se como instrumento de análise a abordagem qualitativa e para obter os resultados foi utilizado como ferramenta de pesquisa o questionário aplicado aos servidores da comarca. Com base nos resultados relacionados à exaustão emocional, despersonalização e realização pessoal, pode-se perceber que existe desgaste no entusiasmo e na vontade de trabalhar dos respondentes. Quanto às características do ambiente e das condições de trabalho, percebe-se que não é grande a insatisfação, mas se sentem incomodados com o barulho. Por outro lado, através dos resultados relacionados à relação de trabalho e cobrança por resultados, pode-se perceber que a jornada de trabalho é desgastante levando em consideração o excesso de trabalho, a pressão a qual são submetidos, a rigidez das normas e a cobrança por resultados.

 

Palavras-chave: Síndrome de Burnout; Fatores; Despersonalização; Exaustão.

Texto completo:

Referências


ABREU, S. A. et al. Determinação dos sinais e sintomas da síndrome de burnout através dos profissionais da saúde da santa casa de caridade de alfenas nossa senhora do perpétuo socorro. Três Corações, (2015).

ALVES, E. F.. Qualidade de vida do cuidador de enfermagem e sua relação com o cuidar. Revista Brasileira em Promoção de Saúde, Fortaleza, v.26, n.1, p. 36-44, 2013.

ANDRADE, P. S. A.; CARDOSO, T. A. O. Prazer e Dor na Docência: revisão bibliográfica sobre a Síndrome de Burnout. Scielo. São Paulo, 2012.

BONOMO, A. M. S. Síndrome de Burnout em servidores públicos de uma autarquia federal e sua relação com condições de trabalho. Brasília, 2014.

BORGES, Livia Oliveira et al. A síndrome de burnout e os valores organizacionais: um estudo comparativo em hospitais universitários. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2002.

CARLOTTO, M. S. & CÂMARA, S. G. Análise da produção científica sobre a Síndrome de Burnout no Brasil. PSICO, Porto Alegre, PUCRS, v. 39, n. 2, pp. 152-158, abr./jun. 2008.

DECEZARO, A. et al. O estresse dos enfermeiros que atuam na unidade de terapia intensiva: uma revisão de literatura. Revista UNINGÁ Rewiew. Maringá, v.19, n.2, p. 29-32, 2014.

DORTA, A. A. et al. Trabalho e saúde: reflexões sobre as estratégias de enfrentamento do trabalhador. Omnia Saúde. São Paulo, v.9, n.2, p. 28-44, 2012.http://www.fai.com.br/portal/ojs/index.php/omniasaude/article/view/394/pdf> Acesso em: 13 de maio de 2021.

GALINDO, R. H.; FELICIANO, K. V. O.; LIMA, R. A. S.; SOUZA, A. I. Síndrome de Burnout entre enfermeiros de um hospital geral da cidade do Recife. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, 2012.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. Ed. São Paulo. Editora Atlas S.A. 2010.

_________. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

KOLTERMANN, A. P. Estresse ocupacional em trabalhadores bancários: prevalência e fatores associados. Revista Saúde. Santa Maria, v. 37, 2011.

LIMA, A. S.; FARAH, B. F.; TEIXEIRA. M. T. B. Análise da prevalência da síndrome de burnout em profissionais da atenção primária em saúde. Rio de Janeiro, 2018.

LIPP, M. E. N. Globalização e mudanças: O Stress do novo milênio. Disponível em . Acesso em 08 de dezembro de 2020.

MAESTRALI, B. O. Como as condições adversas do ambiente de trabalho ruim podem afetar o estado emocional de seus empregados. PUC Rio, Rio de janeiro. 2017.

MENDES, A. M.; FERREIRA, M. C. Inventário sobre trabalho e riscos de adoecimento – ITRA: instrumento auxiliar de diagnóstico de indicadores críticos no trabalho. In: MENDES, A. M. (Org.). Psicodinâmica do Trabalho - Teoria, Método e Pesquisas. 1ª Ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. p. 111-125.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde; OPAS/OMS, 2001.

OLIVEIRA, LA, BALDAÇARA, LR, & Maia, MZB. Afastamentos por transtornos mentais entre servidores públicos federais no Tocantins. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 2015.

PALAZZO, L. dos S.; CARLOTTO, M. S.; AERTS, D. R. G. de C. Síndrome de burnout: estudo de base populacional com servidores do setor público. Revista Saúde Pública. v. 46. n. 6. 2012.

RAMOS, P., RAMOS, M. M., & BUSNELLO, S. J. Manual prático de metodologia da pesquisa: artigo, resenha, projeto, TCC, monografia, dissertação e tese. 2005.

REATTO, D.; Prevalência da Síndrome de Burnout no setor bancário no município de Araçatuba (SP). Araçatuba SP, 2014.

SALANOVA, M., & LLORENS, S. Hacia una perspectiva psicosocial del burnout: cuando el trabajo "nos" quema... In E. A. Tomás, J. L. A. Estramiana, A. G. Luque, R. M. Centeno, & I. S. Gallo (Orgs.), Nuevas formas de organizacíon del trabajo y la empleabilidad (pp. 271-295). Oviedo: Universidad de Oviedo. 2011.

SANTI, G. A.; Estresse no ambiente de trabalho uma apresentação a síndrome de Burnout. Assis, 2014.

SILVA, C. F.; OLIVEIRA, F. B. Fatores motivacionais para os servidores públicos dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia – IFETs: uma revisão de literatura. Revista Gestão e Organizações ISSN 2526-2289 v. 03, n. 02, Jun/Dez. 2018.

SILVA, P. O.; CAVALCANTE, M. C. M. Análise acerca do aperfeiçoamento constante da Gestão Pública municipal relacionada ao Plano de Carreira, Cargos e Salários e Controle Social. Revista Gestão e Organizações ISSN 2526-2289 v. 03, n. 02, Jun/Dez. 2018.

SILVA, J. A. R. O. A flexibilização da jornada de trabalho e seus reflexos na saúde do trabalhador. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, 2013.

SILVA, M. G.; BARROS, B. P. Percepção de estresse de servidores na Atenção Básica de Saúde de Dourados-MS. Saúde em Redes, Porto Alegre, v.1, n., p. 35-52, 2015.

SILVA, R. P. et al. Burnout e estratégias de enfrentamento em profissionais de enfermagem. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v.670, n.1, p. 130-145, 2015.

SILVA, S. C. P. S. et al. A síndrome de burnout em profissionais da Rede de Atenção Primária à Saúde de Aracaju, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2015, v. 20, n. 10 [Acessado 4 Dezembro 2020] , pp. 3011-3020. Disponível em:. ISSN 1678-4561. https://doi.org/10.1590/1413-812320152010.19912014.

SOUSA, I. F. de; MENDONÇA, H. Burnout em professores universitários: impacto de percepções de justiça e comprometimento afetivo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 25, n. 4, 2009.

TJMG -Tribunal de Justiça. Disponível em: Acesso em 19 de julho de 2021.

VALERETTO, F. A.; ALVES, D. F. Fatores desencadeantes do estresse ocupacional e da síndrome de burnout em enfermeiros. Revista Saúde Física & Mental- UNIABEU v.3 n.2 Agosto-Dezembro 2013.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 15.ed. São Paulo:Editora Atlas. 2014.

VIEIRA, I. Conceito de burnout: questões atuais de pesquisa e a contribuição clínica. Revista Brasileira de Saúde ocupacional, 35(122), 269- 276. 2010.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/2526-2289v7n2p33-46

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 172

Total de downloads do artigo: 89