Avaliação do isolamento acústico de protótipo revestido com argamassa adicionada de EVA e vermiculita conforme critérios da NBR 15575-4

Francisco Ygor Moreira Menezes

ORCID iD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Sara Jamille Marques de Souza

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Cícero Joelson Vieira Silva

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) Brasil

Resumo

A preferência por determinados tipos de materiais e a tecnologia construtiva implicam em circunstâncias que podem agregar características de forma a aprimorar as condições de conforto sonoro de edificações, além de influenciar nas mais variadas propriedades que se tem em um sistema construtivo. Desta forma, este trabalho tem por objetivo realizar uma análise, segundo critérios da NBR 15575-4 (ABNT, 2013), Edificações Habitacionais – Desempenho, Parte 4: Sistemas de vedações verticais internas e externas (SVVIE), do conforto acústico de um Sistema de Vedação Vertical (SVV) composto por argamassa de revestimento acrescida da junção entre Etileno Acetato de Vinila (EVA) e vermiculita, com 1,25% em relação à massa da areia, e traço de 1:1:6. Tratou-se de um trabalho experimental no qual, do ponto de vista metodológico, com base na NBR ISO 10052 (ABNT, 2020), Acústica — Medições em campo de isolamento a ruído aéreo e de impacto e de sons de equipamentos prediais (Método simplificado), realizou-se testes para avaliação do isolamento acústico e, em seguida, recorreu-se a NBR 15575-4 (ABNT, 2013) para classificação e avaliação do conforto acústico. Em conformidade com os métodos utilizados obteve-se, como principais resultados a classificação do isolamento acústico no protótipo como de nível superior, com D2m,nT,w de 32 dB.  

Palavras-chave


Conforto acústico; Materiais alternativos; Argamassa de revestimento


Texto completo:

Referências


ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 10052. Acústica – Medições em campo de isolamento a ruído aéreo e de impacto e de sons de equipamentos prediais – Método simplificado. Rio de Janeiro, 2020.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15575-1. Edificações Habitacionais – Desempenho, Parte 1: Sistemas de vedações verticais internas e externas – SVVIE. Rio de Janeiro, 2013.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15575-4. Edificações Habitacionais – Desempenho, Parte 4: Sistemas de vedações verticais internas e externas – SVVIE. Rio de Janeiro, 2013.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 11355. Vermiculita expandida – Análise granulométrica – Método de ensaio. Rio de Janeiro, 2015.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 12179. Tratamento acústico em recintos fechados. Rio de Janeiro, 1992.

ANDRADE, É. S.; GUIMARÃES, C. C. Propriedades de argamassas com eva (ethylene vinyl acetate) em substituição parcial ao agregado. REEC-Revista Eletrônica de Engenharia Civil, v. 13, n. 1, 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS CALÇADISTAS - ABICALÇADOS. Relatório Setorial 2019. Disponível em: http://www.abicalcados.com.br/noticia/abicalcados-apresenta-relatorio-setorial-2019. Acesso em: 01 out. 2019.

BRANCHER, L. R. et al. Acoustic Behavior of Subfloor Lightweight Mortars Containing Micronized Poly (Ethylene Vinyl Acetate) EVA. Materiais, v. 9, n. 51, p. 1-9, 2016.

BRASIL. Lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 03 de agosto de 2010, p. 1.

BROSLER, T. M. Materiais não convencionais na construção civil: presente, passado e futuro no processo de conhecimento dos assentados de Mogi Mirim-SP. 2011. Dissertação (Mestrado), Faculdade de Engenharia Agrícola, Universidade Estadual de Campinas, Campinas - SP, 2011.

CARDOSO, D. A. R. Avaliação do desempenho funcional de uma habitação com estrutura em LSF. 2018. Tese de (Doutorado). Universidade de Coimbra, Coimbra - PT, 2018.

CINTRA, C. L. Argamassa para revestimento com propriedades termo acústicas, produzida a partir de vermiculita expandida e borracha reciclada de pneus. 2013. Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia dos Materiais, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos - SP, 2013.

DA PAZ, E. C.; ZANNIN, P. H. Avaliação do ruído de tráfego noturno – estudo de caso na cidade de Curitiba, Brasil. Raega - O Espaço Geográfico em Análise, v. 31, p. 29-52, 2014.

FIGUEIREDO, F. G. de; SILVA, V. G. da. Processo de Projeto Integrado: recomendações para empreendimentos com metas rigorosas de desempenho ambiental. PARC – Pesquisa em Arquitetura e Construção. Campinas, SP, v. 1, n. 5, p. 1-30, 2010.

FRIEDRICH, A. F. Avaliação da contribuição do revestimento na isolação sonora de paredes de alvenaria. 2010. Dissertação (Mestrado), Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria - RS, 2010.

GARLET, G. Aproveitamento de resíduos de e.v.a. (ethylene vinyl acetate) como agregado para concreto leve na construção civil. 1998. Dissertação (Mestrado), Curso de Pós-graduação em Engenharia Civil, Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre - RS, 1998.

ISO: INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 10140-2, Acoustics – Measurement of sound insulation of building elements – Part 2: Laboratory measurements of airbone sound insulation.

ISO: INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 140-4, Acoustics – Measurement of sound insulation in buildings and of building elements – Part 4: Field measurements of airborne sound insulation between rooms.

ISO: INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 140-5, Acoustics – Measurement of sound insulation in buildings and of building elements – Part 5: Field measurements of airborne sound insulation of façade elements and façades.

ISO: INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 717-1, Acoustics – Rating of sound insulation in buildings and of buildings elements – Part 1: Airborne sound insulation

LUCAS, D.; BENATTI, C. T. Utilização de resíduos industriais para a produção de artefatos cimentícios e argilosos empregados na construção civil. Revista em agronegócio e meio ambiente, v. 1, n. 3, p. 405-418, 2008.

MATEUS, D. Acústica de Edifícios e controlo de ruído. DEC-FCTUC, Coimbra, 2008.

MELO, M. G. M. A.; ANDRADE, F. K. G. Desempenho acústico de fachadas: métodos de

simulação e ensaios de campo. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE QUALIDADE DO PROJETO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 6., 2019, Uberlândia. Anais... Uberlândia: PPGAU/FAUeD/UFU, 2019. p. 1183-1194.

MENEZES, F. Y. M., et al. Adição de EVA e vermiculita em argamassas de revestimento: análise do desempenho térmico. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 17., 2018, Foz do Iguaçu – PR. Anais... Porto Alegre: ANTAC, 2018.

ORTH, C. M.; BALDIN, N.; ZANOTELLI, C. T. A geração de resíduos sólidos em um processo produtivo de uma indústria automobilística: uma contribuição para a redução. Gestão & Produção, São Carlos, v. 21, n. 2, Jun. 2014.

POLARI FILHO, R. S.; MELO, A. B.; BARBOSA, N. P. A reciclagem de resíduos da indústria de calçados (EVA) na execução de painéis de vedação na construção civil: avaliação de desempenho. II ENCONTRO TEMÁTICO MEIO AMBIENTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL - João Pessoa, v. 9, 2003.

ROCHA, F. de M. D. Aproveitamento de resíduos sólidos industriais em materiais alternativos na perspectiva da construção seca: bloco EVA - intertravamento e racionalização das alvenarias. 2008. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa - PB, 2008.

ROCHA, F. M. D. et al. Pré-moldado (bloco EVAi) para alvenaria intertravada: projeto, produção, desempenho e simulação de uso em habitação social. Ambiente Construído, v. 13, n. 2, p. 47-60, 2013.

SIMÕES, F. M. et al. Acústica arquitetônica. Rio de Janeiro: Procel Edifica, 2011.

UGARTE, J. F. O.; SAMPAIO, J. A.; FRANÇA, S. C. A. Vermiculita. IN: Rochas e Minerais Industriais no Brasil: usos e especificações. 2ª ed. Rio de Janeiro: CETEM/MCTI, 2008. p. 865-887.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021id5776

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 240

Total de downloads do artigo: 121