Práticas, saberes e intervenção: prevenção e controle de mosquitos vetores entre escolares de Maceió/AL

Karwhory Wallas Lins da Silva

Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Brasil

Daniela Calumby de Souza Gomes

Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Brasil

Janaila Cristina Braz da Silva

Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Brasil

Jéssica Silva Alves Oliveira

Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Brasil

Kézia Kewyne Lins da Silva

Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Brasil

Sâmea Keise de Oliveira Silva

Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas.

Thiago José Matos Rocha

ORCID iD Centro Universitário Cesmac/Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Brasil

Resumo

Infectious and Parasitic Diseases are a global public health problem. In the State of Alagoas the presence of many rivers, streams, lakes and lagoons favor the proliferation of mosquitoes. In this work we sought to intervene in the maintenance of the health and environment of a school community contributing to the prevention and combat of vector mosquito breeding sites (Aedes sp., Lutzomya sp. Anopheles sp. and C. quinquefasciatus). The implementation of the extension project was approved by the research ethics committee of cesmac university center under no. 2,080,261. A questionnaire containing 26 specific questions about diseases and their vector mosquitoes was applied. Later, lectures were held on the diseases. We also offered a workshop for the construction of the mosquito net and showed a documentary from Fio Cruz. 42.66% of the students were male and 57.34 %were females, the age group ranged from 14 to 22 years. 97.90% of the garbage generated in their homes is taken to the landfill. Fortunately, 39.86% of participants believe that a clean house avoids mosquito foci and 98.60% know that eliminating standing water is important to fight mosquitoes. During intervention actions, students were interested in learning about the consequences of diseases and ways to prevent mosquito proliferation. The results show that students know the importance of avoiding mosquitoes and also know what to do to prevent the proliferation of vector mosquitoes. Therefore, they can be multipliers of good health and environmental practices.

Palavras-chave


Parasites. Health public. Health education.


Texto completo:

Referências


ALMEIDA, E. D.; RODRIGUES, L. C. S.; VIEIRA, J. L. F. Estimates of adherence to treatment of vivax malaria. Malar J., v. 13, p. 321-327, 2014.

ASSUNÇÃO. M. L.; AGUIAR. M. M. Perfil clínico-epidemiológico da dengue no município de Juscimeira – MT. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, Juscimeira, v. 4, n. 4, 249-253, abr. 2014.

AGUIAR-SANTOS, A. M. et al. Epidemiological assessment of neglected diseases in children: lymphatic filariasis and soil-transmitted helminthiasis. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 89, n. 3, p. 250-255, 2013.

ALVES, A. C. et al. Knowledge and practices related to dengue and its vector: a community-based study from Southeast Brazil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 49, n. 2, p. 222-226, 2016.

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ALAGOAS. [online]. 2017. Alagoas em Dados e Informações. Acesso em: 29 nov. 2017. Disponível em: . Acesso em: 29 dez. 2017.

ASSIS, S. S.; PIMENTA, D. N.; SCHALL, V. T. A dengue nos livros didáticos de ciência e biologia indicados pelo programa nacional do didático. Ciência & Educação, Bauru, v. 3, n. 3, p. 633-656, 2013.

BORGES, E. A.; OLIVEIRA, M. A. Educação ambiental com ênfase no consumo consciente e o descarte de resíduos – uma experiência da educação formal. II SEAT – Simpósio de Educação Ambiental e Transdisciplinaridade, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico. [online]. 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Depto. de Vigilância Epidemiológica. Manual de vigilância e controle da leishmaniose visceral, 2014. Disponí-vel em: http://bvsms.saude.gov.br/ bvs/publicacoes/manual_vigilancia_controle_leishmaniose_visceral_1edicao.pdf

CASTRO, E. A.; QUEIROZ, P. R. O vírus da dengue no brasil e as medidas de prevenção, controle e erradicação. 2011. 19 f. Pós-Graduação em Vigilância Sanitária - Centro Universitário de Brasília, 2011.

CONFALONIERI, U. E. C. Variabilidade climática, vulnerabilidade social e saúde no Brasil. Terra Livre, São Paulo, v. I, n. 20, p. 193-204, 2003.

CORDEIRO, L. L. L. R.; SILVA, A. C.; OLIVEIRA, E. L. R. Programa de educação para prevenção e controle de artrópodes transmissores de doenças no município de Viçosa, Alagoas, Em Extensão, Uberlândia, v. 14, n. 2, p. 186-200, 2015.

FULLER T.L.; CALVET G.; CALVET, G.; ESTEVAM, C.G.; ANGELO, J.R.; ABIODUN, G.J.; HALAI, U.; DE SANTIS, B.; SEQUEIRA, P.C.; ARAUJO, E.M.; SAMPAIO, S. A.; MENDONÇA, M.C.L.; FABRI, A.; RIBEIRO, R.M.; HARRIGAN, R.; SMITH, T.B.; GABAGLIA, C.R.; BRASIL, P.; FILIPPIS, A.M.B.; NIELSEN-SAINES, K. Behavioral, climatic, and environmental risk factors for Zika and Chikungunya virus infections in Rio de Janeiro, Brazil, 2015-16. PLoS ONE, v. 12, n. 11, e0188002, 2017.

LOBO. K. S. et al. Conhecimentos de estudantes sobre Leishmaniose Visceral em escolas públicas de Caxias, Maranhão, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.18, n. 8, p. 2295-2300, ago. 2013.

LESSER, J.; KITON, U. A geografia social do zika no Brasil. Estudos Avançados, São Paulo, v. 30, n. 88, p. 167-175, set./dez. 2016.

MAGALHÃES, G.B.; ZANELLA, M.E. A variabilidade climática e a frequência de dengue em Fortaleza, CE, Brasil. Rede Revista Eletrônica do PRODEMA, v. 9, n. 1, p. 35-50, 2015.

MASCHERETTI, M. et al. Febre amarela silvestre: reemergência de transmissão no estado de São Paulo, Brasil, 2009. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 47, n. 5, p. 881-889, 2013.

MOHAPATRA, S., SAMANTARAY, J. C., DASH, S. & RAMAKRISHAN, L. Lipid derangement as diagnostic and prognostic indicator for visceral leishmaniasis patients. Tropical Parasitology, v. 4, n. 2, p. 134-135, 2014.

NETO, V. L. S. Elaboração implementação de ferramenta educativa com ênfase na dengue, zika e chikungunya: relato de experiência. Revista Extendere, Mossoró, v. 4, n. 1, p. 9-18, jan./jun. 2016.

OLIVA, G.; NIETO, J.; MANZILLO, V. F.; CAPPIELLO, S.; FIORENTINO, E.; DI MUCCIO, T.; CARRILLO, E. A randomised, double-blind, controlled efficacy trial of the LiESP/QA-21 vaccine in naïve dogs exposed to two Leishmania infantum transmission seasons. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 8, n. 10, p. e3213, 2014.

OLIVEIRA, K. K. D.; FERNANDES, A. P. N. L.; MOURA, G. S. F. Perfil de morbidade por patologias infecto-contagiosas entre crianças de 0 a 12 anos. FiepBullein On-line, Mossoró, v. 82, p. 203-10, 2012.

PEDROSA, H. F. S. Avaliação do impacto da aplicação das diretrizes do planto diretor de Maceió sobre o escoamento superficial. 2008. 85 f. Dissertação (Mestrado em Recursos Hídricos e Saneamento) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2008.

QUEIROZ, M. F. M. et al. Analysis of sandflies (Diptera: Psychodidae) in Barra do Garças, State of Mato Grosso, Brazil, and the influence of environmental variables on the vector density of Lutzomyia longipalpis (Lutz & Neiva, 1912). Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 45, n. 3, p. 313-317, 2012.

RIBEIRO. J. W.; ROOKE. J. M. S. Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e a saúde pública. 2010. 36 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialista em Análise Ambiental) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2010.

RORIZ, P. A. C.; PERES, W. V.; RAMOS, R. R. Percepção de estudantes de 9º ano sobre dengue, zika e chikungunya. Nexus Revista de Extensão do IFAM, Manaus, v. 2, n. 2, p. 93-100, dez. 2016.

SANTOS, F. P. et al. Convergência de saberes multidisciplinares: teorias e práticas na práxis em saúde na escola. In: Salão do conhecimento, UNIJUÍ, 2016.

Secretária de Estado da Saúde de Alagoas – SESAU. [online]. [2017]. Disponível em: . Acesso em: 28 de out. 2017.

SILVA, S. A. et al. Saneamento básico e saúde pública na Bacia Hidrográfica do Riacho Reginaldo em Maceió, Alagoas. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, p. 599-709, jul./ago. 2017.

VALVERDE, R. Doenças negligenciadas. [online]. Rio de Janeiro. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2016.

VIEIRA, S. N. S. et al. Educação em saúde e o combate à dengue: um relato de experiência. Revista de Enfermagem UFPE on line, Recife, v. 11, n. 5, p. 2227-2230, maio 2017.

ZARA, A. L. S. A. et al. Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Epidemiologia e Serviços Saúde, Brasília, v. 25, n. 2, p. 391-404, abr./jun. 2016.

WHO. Global Programme to eliminate lymphatic filariasis: progress report on mass drug administration, 2010. Releve epidemiologique hebdomadaire / Section d'hygiene du Secretariat de la Societe des Nations = Weekly epidemiological record / Health Section of the Secretariat of the League of Nations, v. 86, n. 35, p. 377–88, 2011.


DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-0306a2021v1n54p137-147

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 273

Total de downloads do artigo: 75