A Tecnologia EGS e sua Aplicação na Exploração de Gás de Xisto no Brasil

Vitor Mascarenhas Péres

http://orcid.org/0000-0002-2247-6881 Instituto Federal da Bahia Universidade Federal da Bahia Brasil

Ex-bolsista da Petrobrás, eletrotécnico e discente de engenharia.  Apresentou um artigo no CONNEPI de 2013 relacionado à produção do biodiesel na Bahia – capacidade atual e potencialidades futuras, e tem uma publicação na revista INNOVER sobre o Smart Grid. Possui curso em Inversores de Frequência, Segurança em Elétrica, Algoritmos bio-inspirados e a sua aplicação na otimização de problemas eletromagnéticos. 

Leonardo Almeida da Silva

Universidade Federal da Bahia Brasil

Técnico em Geologia pelo IFBA (2011-2014). Bolsista do Programa de Formação de Recursos Humanos da Petrobras (2012-2014), cuja atividade de pesquisa teve temática relacionada com petróleo, impactos ambientais e biorremediação, com apresentação de artigo no CONNEPI. Estudante do 1º semestre do curso de Geologia da UFBA. 

Tássia Cristina Bastos de Jesus

Universidade Federal da Bahia Brasil

Formada em técnica em Geologia pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia da Bahia, atualmente cursa Direito na Universidade Federal da Bahia; ex-bolsista da Petrobrás no convênio do PFRH-029, participou de outras edições do Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte e Nordeste de Educação Tecnológica – CONNEPI. 

Thamires de Oliveira Barreto

Instituto Federal da Bahia Brasil

Estagiária da Petrobrás, formada em técnica em Geologia pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia da Bahia; ex-bolsista da Petrobrás no convênio do PFRH-029.  Participou de outras edições do Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte e Nordeste de Educação Tecnológica – CONNEPI

Resumo

Na medida em que a demanda por energia se torna cada vez maior, se faz necessário explorar novas alternativas. Neste contexto, estão o gás de xisto, que revolucionou o mercado energético americano e que é extraído através do fraturamento hidráulico (fracking) e a tecnologia Enhaced Geothermal System (EGS), sistemas geotérmicos que geram energia elétrica e que também utilizam o fraturamento hidráulico. Através de revisões bibliográficas e de dados de sites de notícias e artigos científicos sobre os dois temas, este artigo procurou abordar a possibilidade e a viabilidade de desenvolver os dois em conjunto no Brasil. O Brasil apresentou, assim, três áreas com potencial para desenvolver as duas tecnologias: a Bacia do Parecis, no Planalto Central, a Bacia do Paraná, na região Sul do país e a Bacia Sergipe-Alagoas, no Nordeste Setentrional. Entretanto, os impactos ambientais dos fraturamentos hidráulicos ainda tem dimensões desconhecidas, sendo possível citar sismos, contaminação de aquíferos como consequência de um possível vazamento de gás e a captação dos grandes volumes de água necessários para fraturamento do xisto. Concluiu-se, assim, que se faz necessário desenvolver mais estudos sobre a viabilidade dos desenvolvimentos das duas tecnologias nos locais sugeridos e sobre os possíveis impactos ambientais associados.

Palavras-chave


brasil, egs, energia geotérmica, fracking, gás de xisto


Texto completo:

DOI: http://dx.doi.org/10.18265/1517-03062015v1n31p13-21

O arquivo PDF selecionado deve ser carregado no navegador caso tenha instalado um plugin de leitura de arquivos PDF (por exemplo, uma versão atual do Adobe Acrobat Reader).

Como alternativa, pode-se baixar o arquivo PDF para o computador, de onde poderá abrí-lo com o leitor PDF de sua preferência. Para baixar o PDF, clique no link abaixo.

Caso deseje mais informações sobre como imprimir, salvar e trabalhar com PDFs, a Highwire Press oferece uma página de Perguntas Frequentes sobre PDFs bastante útil.

Visitas a este artigo: 2189

Total de downloads do artigo: 1182